As 8 dimensões do ser humano (e em que consistem)

Nós, humanos, somos animais com muito potencial. Estes podem se manifestar em múltiplos contextos, seja na forma de ações físicas ou na forma de capacidades que nos caracterizam.

Com as dimensões do ser humano, referimo-nos ao modo como se dão as potencialidades do ser humano, as quais estão relacionadas ao fato de ocorrer o correto desenvolvimento, tanto individual quanto coletivo, de aspectos como o bem-estar e o crescimento pessoal.


Os humanos são de natureza biopsicossocial, o que significa que somos animais que precisam de interações com os outros e que estão cientes de nossas habilidades, pensamentos, reflexos e, em essência, nossa própria existência.

  • Recomendamos: “Os 16 tipos de personalidade (e suas características)”

Dimensões do ser humano

Neste artigo iremos explicar as oito dimensões do ser humano, Quais são os seguintes.

1. Física

Essa dimensão tem a ver com o próprio corpo, entendido em termos estruturais.

Nosso corpo é a ferramenta física que nos permite realizar ações, estabelecer contato com outras pessoas e adquire grande importância na forma como nos identificamos e nos percebemos.

Esta dimensão inclui os hábitos que as pessoas usam para manter o corpo, por fora ou por dentro, e evitar que ele seja danificado ou desenvolva doenças.

Entre os hábitos que podem ser adotados para evitar que a dimensão física seja afetada negativamente, estão a alimentação saudável, a prática de esportes e a ida ao médico para verificar em que estado se encontra o corpo.

2. Social ou sócio-político

Os seres humanos são sociáveis ​​e é por isso que interagem com os outros é uma das dimensões mais importantes presentes em sua vida.

Como membro de uma sociedade e, mais especificamente, de família, etnia, amigos ou qualquer outro grupo, você deve manter contato com outras pessoas para garantir sua sobrevivência.

Aspectos como desenvolver laços afetivos, ter boas amizades, viver em família sem dinâmicas disfuncionais contribuem para o alcance do bem-estar e da felicidade.

3. Cognitivo

Como seres inteligentes que somos, os seres humanos tentaram explicar o nosso mundo e extraia as leis que o explicam.

Sempre buscamos adquirir o máximo de conhecimento possível, para que possamos prever o que está acontecendo em nosso ambiente, ao invés de usar o novo aprendizado adquirido para melhorar a sobrevivência.

A dimensão cognitiva refere-se à capacidade da espécie humana de usar seu intelecto e criar novos conceitos, modificar seu ambiente e progredir a partir deles.

4. Emocional ou afetivo

As emoções são um aspecto de grande importância para a adaptação humana. Na verdade, é graças a isso que, nas últimas décadas, a ideia de inteligência emocional tem sido defendida.

Ter medo de um leão não é apenas uma coisa que garante a sobrevivência, mas sentir-se triste em um funeral ou mostrar orgulho e alegria por seu próprio objetivo são coisas que facilitam a interação social adequada e os motivam a seguir em frente. A se desenvolver como pessoas.

As emoções são o resultado de um estímulo, interno ou externo. Melhorar esta dimensão implica em conhecer melhor a si mesmo.

A dimensão emocional refere-se não apenas à capacidade de sentir emoções, mas também de identificá-las nos outros e saber o que se está sentindo em um determinado momento e sua causa.

5. Comunicativo ou linguístico

A linguagem é, sem dúvida, a habilidade mais notável do ser humano. Graças a ela conseguimos chegar às civilizações de hoje, e é isso que permite a difusão do nosso conhecimento a longas distâncias através de sistemas escritos.

A dimensão comunicativa refere-se a essa capacidade do ser humano de criar sistemas de signos e símbolos mais ou menos complexos com os quais possa interagir com os outros.

E é essa linguagem que nos permite transmitir nossas ideias, opiniões e experiências sem ter que ser representados fisicamente. Basta que o interlocutor conheça o mesmo código que utilizamos e assim ocorrerá a troca de informações.

Por mais surpreendente que pareça, a linguagem nos permite não apenas compartilhar conhecimento, mas também mudar a realidade.

Dar uma ordem, convidar à reflexão, explicar como fazer algo são atos de comunicação que, por sua vez, se materializam em ações que mudam o ambiente e as ações dos outros.

6. Espiritual ou transcendente

Embora o nome desta dimensão possa parecer limitado a aspectos mais religiosos, a verdade é que a palavra “espiritual” é um guarda-chuva no qual pensamentos filosóficos são incluídos como entender o significado da própria existência.

O ser humano, como animal de inteligência altamente desenvolvida, busca compreender aspectos que vão além do físico, para atingir um nível transcendental.

Existem fenômenos que as leis da física não conseguem explicar, o que pode ser um verdadeiro mistério que além de frustrante pode ser ainda mais interessante.

Como prova, desde tempos imemoriais, os seres humanos criaram religiões e superstições para dar uma explicação, talvez fantástica e irracional, ao desconhecido.

A ideia de Deus, espíritos, fantasmas e encarnações são apenas alguns exemplos da busca do ser humano por aquilo que não pode ver ou perceber fisicamente.

7. Estética

A beleza é uma ideia abstrata e arbitrária. Apesar disso, é algo que adquiriu grande importância ao longo da história da humanidade.

A cultura não só serviu para criar bens úteis para as necessidades mais básicas do ser humano, mas também serviu de base para a criação de arte, para ser admirada.

A visão de algo belo pode gerar toda uma série de emoções e sensações que enriquecem a experiência humana.

A dimensão estética é claramente algo que se manifesta não só em todas as culturas do mundo, mas além disso cada pessoa tem a sua visão de beleza.

Mesmo as pessoas que dizem que não são boas em nada de belas artes tentaram fazer algo artístico em algum momento de suas vidas.

8. Ética e moral

As pessoas precisam saber se comportar para não viver em um mundo de incertezas e anarquia que, sem dúvida, levará a uma situação de caos e onde prevalecerá a lei do mais forte.

A dimensão ética refere-se à capacidade do ser humano em reconhecer o que é mais correto, Quer a partir de seus próprios critérios, quer de acordo com o que os padrões sociais indicam.

Os seres humanos devem tentar agir garantindo o maior bem possível aos outros.

Reconhecer que os outros têm os mesmos direitos que nós, que a liberdade de um pode significar o fim do outro e que para viver em paz e harmonia devemos regular nosso comportamento são aspectos desta dimensão.

Referências bibliográficas:

  • Hernández, D (2015). Educação: uma visão das dimensões do ser humano e da vida. Arquivo acadêmico, 57.
  • Martínez, M. (2009) Dimensões fundamentais do desenvolvimento humano integral. Polis, Jornal da Universidade Bolivariana, 8 (23). 119-138.

Deixe um comentário