Você consegue identificar um mentiroso? Os 8 tipos de mentiras

Todos nós conhecemos o famoso personagem da Disney chamado Pinóquio, que crescia seu nariz toda vez que ele mentia. Pois bem, mais de um deve alongar este órgão do sistema respiratório, porque mentimos mais do que imaginamos.

Isso parece indicar um estudo publicado no livro “Liespotting: Proven Techniques to Detect Deception”, da autora Pamela Meyer. Como este texto explica, as pessoas costumam mentir 10-200 vezes por dia porque costumamos contar partes da verdade. Em outras palavras, dizemos apenas as frases que as pessoas querem ouvir, aquelas que são consideradas socialmente aceitáveis.

Além disso, mentir é mais comum quando acabamos de conhecer alguém novo. Em outro livro chamado “O mentiroso em sua vida”, Robert Feldman, professor de psicologia da Universidade de Massachusetts, explica que: “Mentimos duas a três vezes nos primeiros 10 minutos da primeira conversa com alguém que acabamos de conhecer ” Como isso é explicado? De acordo com Feldman, mentir é um mecanismo automático de proteção da auto-estima que é ativado quando conhecemos alguém pela primeira vez.

O “Efeito Pinóquio” para detectar mentiras

Mas a relação entre a mentira e o nariz, que caracteriza o famoso personagem da Disney, não é apenas ficção científica. Pesquisa realizada pelo Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de Granada mostrou que aumenta a temperatura do rosto quando nos deitamos, especialmente no nariz. Isso é chamado de “efeito Pinóquio”. Para realizar o estudo, eles usaram a termografia: uma técnica que detecta a temperatura corporal.

A verdade é que os humanos são péssimos detectores de mentiras. Isso é confirmado por um estudo da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, que conclui que, quando temos uma pessoa na nossa frente, não percebemos que a outra está nos traindo entre 54% e 56% das vezes. E embora seja difícil pegar um mentiroso pessoalmente, é mais difícil pegar quando se fala no WhatsApp.

  • Se você quiser saber algumas dicas para interpretar mensagens do WhatsApp, pode ler nosso artigo: “Como posso saber se o WhatsApp está mentindo para mim?”

Os 8 tipos de mentiras

Como vemos, todos nós mentimos uma vez. Mas todas as mentiras são iguais? Certamente não. Existem mentiras que não fazem mal a ninguém, mentiras que servem para conseguir algo e mentiras que resultam do exagero.

Então nós apresentamos a você os diferentes tipos de mentiras, Num guia prático que pode ser útil para você ter cuidado nas consultas e no dia a dia.

1. Mentiras piedosas

Você poderia dizer isso mentiras piedosas são mentiras que têm uma justificativa e que, para muitos, são perdoáveis. Isso ocorre porque as mentiras piedosas têm uma intenção benevolente. Por exemplo, se alguém nos dá algo que pode ser especial para ele, mas você não gosta dele e sabe que não vai usar isso em sua vida. Certamente você enquanto e diz a ele que gostou de seu presente. Basicamente, neste exemplo, mentir é usado para não ferir os sentimentos de outra pessoa.

2. Promessas quebradas

Promessas quebradas eles falham em manter um compromisso já assumido, E são caracterizados porque existe algum tipo de contrato implícito. Promessas quebradas podem ser especialmente prejudiciais quando a pessoa que fez a promessa não pretendia cumprir sua palavra desde o início, porque geram esperança na outra pessoa.

Às vezes, pode acontecer que uma mentira inocente também seja uma promessa quebrada. Por exemplo, se uma garota que você pediu para pegar algo, ela aceita seu convite para ficar bem. Mas então, quando chega a hora, ele bate em você porque em nenhum momento ele pretendeu sair com você. Ou seja, ele só fez isso para que você não se sentisse mal no momento e pudesse sair dessa situação comprometida.

3. Mentiras intencionais ou instrumentais

Mentiras intencionais ou instrumentais não são benevolentes, pelo contrário: procuram o próprio interesse. Esses tipos de mentiras têm a particularidade de serem usados ​​para se obter algo, por exemplo, um emprego.

Muitas pessoas mentiram sobre o currículo para conseguir um emprego. Como você pode ver, essas mentiras não precisam ter uma intenção maliciosa. Embora em alguns casos as pessoas possam usá-los para machucar outra pessoa.

4. Mentir para si mesmo (autoengano)

Esses tipos de mentiras são inconscientes e têm a ver com nossas crenças porque achamos difícil questioná-las. Além disso, às vezes é difícil para nós aceitar a realidade e é mais fácil mentir para nós mesmos para evitar o medo da incerteza, porque assim não devemos sair da zona de conforto.

Dissonância cognitiva é uma das causas mais comuns de autoengano. Um exemplo clássico desse fenômeno são os fumantes. Eles sabem que fumar pode causar câncer, problemas respiratórios, fadiga crônica e até a morte. No entanto, a grande maioria continua a fumar porque se engana com frases como “de que adianta viver muito se não se pode aproveitar a vida”.

5. Rumores

Rumores têm a ver, mais do que intencionalmente, com o efeito de uma mentira. Uma de suas características é que várias pessoas participam de boatos. Um boato é informações cuja veracidade é duvidosa ou não pode ser corroborada, pois não se sabe com certeza se são verdadeiras. Alguém pode espalhar um boato intencionalmente, mesmo que não haja razão para ter qualquer intenção substantiva.

Por exemplo, um homem chamado Antonio viu um colega de trabalho sair do escritório de seu chefe com uma atitude muito amigável e eles se abraçaram. Surpreso, e como o chefe dele não é exatamente a pessoa mais legal do mundo, ele vai contar para outro (João). Joan, que não viu o acontecimento, mas que, pela reação de Antonio, acha que há algo sério entre o patrão e o empregado, é avisada na manhã seguinte por outro colega de escritório. Este conta a outro colega, que faz o mesmo até que todo o escritório saiba. A última pessoa a explicá-lo recebeu a informação distorcida, e os detalhes dos fatos foram exagerados, de modo que realmente parece haver uma relação romântica entre os dois atores.

Boatos podem causar grandes danos e, de fato, foi uma das estratégias que os nazistas usaram porque a população alemã rejeitou os judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

6. Exagero

Certamente você já conheceu alguém que tende a exagerar tudo o que diz. Por exemplo, ele namorou muitas garotas quando na verdade ele só teve sucesso com uma. Bem, o hype nada mais é do que isso. Geralmente são histórias com um pouco de verdade, mas costumam ser exageradas para impressionar os outros..

Além das histórias em que se acrescentam mentiras, há também mentiras inadimplentes, caracterizadas por a pessoa não inventar a história, mas omitir os dados relevantes.

7. Plágio

plágio refere-se não apenas a mentir, mas também a roubo. Consiste em copiar o trabalho de outro. O plágio é um ato sério e pode ter consequências jurídicas. Alguns alunos reprovaram em certas disciplinas por causa disso, e alguns escritores profissionais teriam copiado as obras de outras pessoas. Além disso, no plágio existe o voluntariado, é um ato de má-fé. Por isso esta é uma das mentiras mais condenáveis, pois une tanto a apropriação de um trabalho que não é seu quanto o luto.

8. Mentiras compulsivas

Mentiras compulsivas essas são as mentiras cometidas, repetidamente, por mentirosos compulsivos. Eles geralmente são causados ​​por um problema sério (por exemplo, baixa autoestima), então essas pessoas geralmente precisam de atenção. Na verdade, um mentiroso compulsivo pode ter dificuldade em parar sua vontade de mentir, e muitas vezes mentem mesmo quando é mais fácil dizer a verdade.

  • Descubra o caso real de um mentiroso compulsivo em nosso artigo: “Mentiroso compulsivo psicanalisado: um caso real”

Referências bibliográficas:

  • Adler, eu minto, enganar ou implicar falsamente. Revisão de filosofia.
  • Carson, Thomas L. (2006). A definição de mentira. Nós.
  • Fallis, Don. (2009). O que está mentindo? Revisão de filosofia.
  • Sorensen, Roy. (2007). Mentiras vergonhosas! Mentir sem querer enganar. Pacific Philosophical Quarterly.

Deixe um comentário