Superando o vício emocional: 10 dicas para chegar lá

O ser humano precisa estabelecer relações significativas e profundas com as pessoas ao nosso redor, que nos preenchem, nos dão felicidade e nos fazem sentir melhor tanto psicologicamente quanto psicofisicamente.

No entanto, algumas pessoas desenvolvem um tipo inadequado de relacionamento social e emocional com as pessoas ao seu redor, geralmente com amigos, familiares ou parceiros.

Esse tipo de relacionamento gera grande desconforto na pessoa que o sofre e pode ser explicado como um “vício” para outra pessoa. Estamos falando de dependência emocional.

A dependência emocional consiste em uma série de comportamentos disfuncionais ao interagir com uma pessoa que colocam alguém em prática em seu relacionamento com outra pessoa e caracteriza-se por baixa autoestima, comportamentos submissos, insegurança, medo da solidão e necessidade constante de estar com a pessoa de quem depende.

Diretrizes para superar o vício emocional

Estas são as principais diretrizes e estratégias práticas que podemos usar em nossas relações de dependência para superar esse problema que afeta milhões de pessoas em todo o mundo todos os dias. É sobre princípios que os profissionais de psicologia aplicam na terapia.

1. Identifique o problema

Como acontece com qualquer outro problema psicológico, o primeiro passo é sempre identificar o problema e reconhecer que há algo de errado com nossas vidas diárias.

A dependência emocional é uma alteração psicológica que pode ser facilmente percebida por um observador externo, mas geralmente não é reconhecida pela pessoa que a desenvolve.

Em vez de encontrar desculpas de todos os tipos que minimizem o problema e escondam a dependência emocional sob o pretexto de amor e devoção exclusiva, reconhecer que temos esse problema nos permitirá iniciar o processo até superá-lo.

2. Aprenda a ficar sozinho

Como mencionado, as pessoas que desenvolvem uma dependência emocional de outra pessoa próxima geralmente têm um pânico real ao pensar que seus parceiros ou amigos os deixam e se encontram sozinhos.

Esse medo aumentado é uma das razões pelas quais esse vício e obsessão mal-adaptativos aparecempois a pessoa considera que só ela não encontrará a felicidade na vida e que precisa dos outros para ser feliz.

Para romper com essa dinâmica tóxica, devemos aprender a ficar sozinhos e entender que nossa felicidade não depende de uma pessoa, mas que está em nós, basta encontrá-la.

3. Aumente a autoestima

Outra das causas clássicas da dependência emocional é o baixo nível de auto-estima que leva a pessoa a tornar-se dependente de outra pessoa para se sentir melhor.

Baixa auto-estima pode nos fazer pensar que somos inúteisque nossa vida não tem sentido sem a outra pessoa e que nunca encontraremos a felicidade sem nosso parceiro ou amigo próximo.

Para superar esses pensamentos negativos, podemos formar nossa própria autoestima consultando um profissional psicológico qualificado para nos orientar no aprendizado de vários mecanismos, estratégias ou diretrizes para conseguir isso.

4. Aprenda a estabelecer limites

As pessoas que são emocionalmente dependentes dos outros também mostram atitudes submissas e muito pouca capacidade de estabelecer limites ou tomar decisões pessoais por si mesmas.

Essa submissão às vezes os leva a tolerar todo tipo de desrespeito ou humilhação. por parte da submissa, algo que prejudica sua auto-estima e saúde psicológica geral.

Para superar esse problema e recuperar uma atitude assertiva e confiante, você deve aprender a estabelecer limites e saber dizer “não” quando não concorda com nada.

5. Desafie suas próprias crenças

Muitas vezes, as crenças negativas sobre si mesmo contribuem para minar o moral de uma pessoa e para desenvolver uma maior dependência emocional de uma determinada pessoa.

Essas crenças sobre si mesmo precisam ser desafiadas e substituídas por crenças mais positivas. e adaptativos que nos ajudam a aumentar os níveis de nossa própria auto-estima e nos conscientizam de tudo o que realmente valemos.

6. Atreva-se a superar a incerteza

A incerteza é outra das condições que levam alguém a desenvolver dependência emocional de outra pessoa.

Não saber se alguém nos amará ou pensar que mais cedo ou mais tarde nos deixará pode nos levar a desenvolver uma dependência emocional de nosso parceiro ou amigo próximo.

Para superar esse medo, devemos ousar viver com a incerteza agora vê-lo como uma possibilidade de construir o nosso próprio futuromais do que uma maldição que nos levará ao sofrimento.

7. Encontre a felicidade dentro de você

Para superar a dependência emocional, é essencial, como já foi indicado, esquecer a ideia de que só seremos felizes com x pessoa e começar a acreditar que a felicidade está em todos e que nosotros solos valemos por nosotros mismos.

Isso nos permitirá melhorar nossa auto-estima e nos permitir viver a vida com confiança em nós mesmos, sem depender de ninguém para levar uma vida plena.

8. Mantenha uma vida social ativa

Como seres sociais que somos, as pessoas precisam se relacionar com outras pessoas para se sentirem melhor, compartilhar experiências e se sentir melhor quando colocamos nossas experiências em palavras.

Manter uma vida social ativa, sair com outros amigos nos ajudará a superar o vício em alguém em particular, pois nos permitirá ver que todos têm algo especial e que não adianta ficar obcecado por eles. especial.

9. Trabalhe em si mesmo

Trabalhar em si mesmo significa dedicar um tempo para você e sua saúde mental, além de priorizar seus próprios interesses e necessidades sobre os dos outros.

Ao começar a priorizar a nós mesmos e ao nosso próprio bem-estar, aprenderemos que somos mais importantes e que é absurdo focar corpo e alma no bem-estar dos outros, antes do nosso.

10. Evite idealizar os outros

A dependência emocional baseia-se muitas vezes na idealização do outro, fenômeno psicológico que consiste em maximizar as virtudes e minimizar ou invisibilizar os defeitos da mesma pessoa.

Para superar um caso de vício precisamos ver a outra pessoa objetivamente e considerar muitas nuances ao interpretar suas açõesfocando em suas virtudes e também em seus defeitos, sempre deixando claro que todos somos seres humanos e ninguém deve ser idolatrado.

Você tem que fazer a mesma coisa quando conhece uma nova pessoa com aspirações amorosas ou amigáveis, para não cair na dependência emocional.

Referências bibliográficas

  • Biscotti, O. (2006). Terapia de casal: uma visão sistêmica. 1ª edição. Buenos Aires: Lúmen.
  • Jordan, CH; Spencer, SJ; Zanna, MP; Hoshino-Browne, E.; Correll, J. (2003). Auto-estima elevada segura e defensiva. Journal of Personality and Social Psychology, 85(5): pp. 969-978.

Deixe um comentário