Influência social informativa: o que é e como afeta a forma como pensamos?

A influência social informativa ocorre quando o sujeito deixa sua opinião e aceita a do grupo, pois acreditando que tem mais sucesso, ocorre uma mudança interna. Esse processo é conhecido como conversão, onde observamos o cumprimento do grupo privado.

A influência social acontece mais do que pensamos ou gostaríamos que acontecesse, porque como seres sociais somos afetados pelos julgamentos que expressam nosso ambiente. Diferentes pesquisas têm sido realizadas para verificar essa influência, observando diferentes formas de agir e diferentes fatores que afetam a forma como o grupo influencia.


Neste artigo veremos o que se entende por influência social informativaquem exerce uma influência social, o que é conformidade e quais variáveis ​​a influenciam, e qual é a diferença entre as duas influências sociais.

    O que é influência social informativa?

    A influência informativa, também conhecida como prova social ou demonstração social, é um tipo de acordo que é dado ao grupo. Neste caso, percebe-se uma conformidade privada, pois a mudança de opinião do sujeito é interna; o indivíduo aceita o julgamento do grupo como mais válido do que o seu. Este processo é conhecido como conversão.

    Por outro lado, entendemos por influência social a mudança nas opiniões, julgamentos, ideias ou atitudes de uma pessoa quando exposta aos julgamentos, atitudes ou opiniões de outros. Em outras palavras, é a modificação de nossas crenças, nossa maneira de pensar ou nosso comportamento em relação ao efeito que a sociedade tem sobre nós.

    Embora nós humanos não gostemos de acreditar que nosso comportamento ou a forma como agimos e pensamos seja influenciado pela sociedade, esse evento ocorre constantemente em nosso dia a dia, quando compramos um produto, solicitamos um serviço ou simplesmente assistimos televisão, estamos constantemente ali. recebemos opiniões de outros que, em maior ou menor grau, nos influenciam. Não devemos esquecer que somos seres sociais; sentimos a necessidade de nos relacionar com outros indivíduos de nossa espécie, e é inevitável que eles nos influenciem.

      Quem exerce influência social?

      Quando pensamos em influência social, a primeira ideia que vem à mente está relacionada ao efeito produzido por um grupo maior, ou seja, a maioria, um indivíduo ou um grupo menor, a minoria. Mas essa influência pode ser bidirecional, pois mesmo que pareça mais difícil, usando o modo e os componentes necessários, um pequeno grupo de pessoas pode influenciar o grupo majoritário.

      Assim, dependendo do tamanho do grupo que exerce a influência consideraremos que há conformidade se estiver ligada à maioria ou inovação se, pelo contrário, a mudança estiver ligada à minoria.

        Conformidade

        Como vimos, a conformidade ocorre sob a influência da maioria. Esse efeito produzido pelo grupo majoritário foi verificado em diversas pesquisas, como a realizada pelo psicólogo Muzafer Sherifque foi baseado no efeito autocinético, que consiste na percepção de um movimento errático quando um ponto luminoso é colocado sobre um fundo escuro.

        No experimento do xerife, dois grupos foram formados; um realizou o teste primeiro acompanhado por outros sujeitos e depois sozinho, e o outro grupo fez o processo inverso, primeiro sozinho e depois acompanhado. Os resultados mostraram que quando esses sujeitos foram estudados primeiro sozinhos e depois em grupo, formou-se primeiro uma norma pessoal, e que na segunda condição, em grupo, procurou-se chegar a uma posição compartilhada com os demais. No lugar, quando eles iniciaram o experimento em modo de grupo, uma norma de grupo já se formou que persistiu na situação individual.

        Pesquisas anteriores concluem que diante de um estímulo ambíguo e abstrato, os sujeitos tendem a se guiar pelas opiniões dos outros, mas o surpreendente foi que eles aceitaram e também aceitaram as opiniões dos outros quando o estímulo era claro e objetivo. sabia que os outros estavam errados. Essa influência é particularmente interessante, pois mesmo sabendo que os outros estão errados, preferimos aceitar sua opinião.

        Outro experimento bem conhecido para testar a conformidade da maioria foi conduzido pelo psicólogo Solomon Ash. O teste era fácil, consistia em identificar, a partir de três linhas colocadas juntas, qual era tão longa quanto a outra que era mostrada ao sujeito. Como esperado, o grupo controle teve o melhor desempenho com uma taxa de erro de apenas 0,7%. No lugar, na situação experimental em que o sujeito teve que dar sua resposta publicamente, a taxa de erro aumentou para 37%.

        O aumento do erro observado no experimento de Asch foi consequência da influência recebida pela maioria: neste experimento o grupo foi cúmplice e, portanto, várias pessoas deram uma resposta intencionalmente falsa, surpreendentemente fazendo com que o sujeito experimental aceitasse a resposta dos outros, mesmo que ele sentisse que era a resposta errada.. Esta pesquisa foi o ponto de partida para outras, como as realizadas para verificar se a adesão se deu em privado ou apenas em público, ou seja, se a opinião do indivíduo realmente muda ou não.

          Variáveis ​​que influenciam a conformidade

          O estudo de Asch e pesquisas subsequentes mostraram que compliance público é mais poderoso do que compliance privado. Ou seja, acontece com mais frequência. No entanto, foram observadas diferentes variáveis ​​que afetarão a adesão, e uma delas é o número de sujeitos que compõem o grupo. Como esperado, se houver mais pessoas exercendo pressão (voluntária ou involuntária), mais influência será dada, mas não aumenta proporcionalmente: de três sujeitos, somando mais um afeta cada vez menos.

          Em relação ao número de sujeitos, também será importante que eles sejam vistos como indivíduos independentes, não se apresentem como um grupo e uma opinião como um todo, mas que dêem a sua. Se eles são percebidos como independentes, mais conformidade aparecerá.

          Outro fator é a presença de um cúmplice. Se adicionarmos um sujeito que dá sua opinião mais cedo e corresponde à do indivíduo experimental, a conformidade diminui.

          Da mesma forma, as variáveis ​​intrapessoais afetam: a competência percebida em relação aos outros e a autoconfiança influenciam a conformidade. Se o sujeito tiver uma melhor percepção de si mesmo, a conformidade com o grupo será menor.

            Influência informativa e influência normativa

            Vemos como os indivíduos são influenciados pelo nosso ambiente e, nesse sentido, para formar uma resposta e acreditar que estamos certos o sujeito leva em consideração duas variáveis. Por um lado, o que ele percebe por meio dos sentidos, ligado à parte mais objetiva; E por outro lado o que outras pessoas pensam ou dizem. De acordo com qual das duas variáveis ​​é a mais forte, falaremos de influência normativa ou de influência informativa já mencionada.

            A principal diferença entre os dois tipos de influência reside no fato de que o sujeito aceita a opinião dos outros porque confia mais no julgamento dos outros do que no seu próprio (neste caso, como já sabemos, nos referimos à influência informativa) ou ele quer ser aceito pelos outros e visto como alguém que apoia o grupo e pensa como eles (Desta vez o tipo de influência é chamado de normativo, já que o objetivo é seguir a norma social para ser percebido positivamente).

            Desta forma, a mudança que ocorre em cada tipo de influência é diferente. No caso da influência informativa, o sujeito deixa sua opinião para aceitar a do grupo, ocorrendo tanto uma mudança de pensamento como de conduta externa. Ao contrário, na influência normativa onde o objetivo é evitar a rejeição e satisfazer o grupo o indivíduo apenas modificará o comportamento visível; seu pensamento interior permanecerá o mesmo, o seusim

            Também em ambos os casos observa-se a conformidade, mas na influência informativa a consideraremos de tipo privado, pois ocorre uma mudança interna. Este processo é conhecido como conversão, o sujeito converte sua opinião. Por sua vez, influência regulatória leva à conformidade pública, pois só modifica seu comportamento diante dos outros; este processo é conhecido como submissão, é submetido para agradar.

            Os dois processos anteriores, submissão e conversão, são independentes. Essa independência é vista quando comparamos a influência da maioria e da minoria. No caso do efeito produzido pelo grande grupo, vemos como a submissão geralmente aparece, ou seja, a influência normativa (o sujeito muda externamente). Ao contrário, a minoria obriga o sujeito a refletir e poder aceitar sua opinião, e assim operará uma mudança interna, uma conversão, sem que esta tenha que ser expressa externamente.

            Referências bibliográficas

            • Golda, C. (2014) Influência Social Informacional e a Internet: Manipulação em uma Sociedade de Consumo. Escritório de Pós-Graduação da Universidade de Towson.
            • Lord, K., Soo Lee, M. e Choong, P. (2001) Diferenças na Influência Social Normativa e Informativa. Avanços na pesquisa do consumidor.
            • Cohen, J. e Golden, E. (1972) Influência social informacional e avaliação do produto. Revista de Psicologia Aplicada.
            • Rivas, MªE., López, M. e González, MªR. (2018) Manual de Preparação do CEDE PIR. Psicologia Social e Organizacional. CEDE: 5ª Edição.

            Deixe um comentário