Diga onde você se sente e eu direi como você está (a psicologia ambiental explica isso)

Se por algum motivo sofremos no Natal, é pelos almoços e jantares em família, um a um. Por esta razão, o centro de toda interação nessas festas é esta mesa em que todos nos reunimos, Nos encontramos, comemos, rimos e nos divertimos.

Mas nem todas as mesas são iguais, nem todos os lugares ao redor. O arranjo espacial exerce diferentes influências sobre as pessoas; no seu nível de participação e na sua natureza. É o tema de um estudo de psicologia ambiental e psicologia de grupo, disciplinas que detalham os efeitos de sua posição sobre a mesa.


Tipos de arranjos espaciais

Em termos da variedade de arranjos espaciais, existem três clássicos: o concentrado, a sócio-repelente e a sóciopata.

1. concentrar

Todos os assentos são orientados em uma direção específica. Com esta disposição concentra a atenção em um objetivo e diminui a interação entre os usuários; a participação é centrada no usuário e vice-versa. Essa é a orientação típica das salas de aula, em que os alunos são incentivados a cuidar do professor e não se comunicarem.

2. Sociofugue

Todos os assentos estão voltados para fora. Organizando desta forma, os usuários viram as costas uns para os outros, então a comunicação interpessoal é limitada. A pouca interação que ocorre neste arranjo tende a ser em um nível intrapessoal e autodirigido. Embora não seja usual, ele recorre a disposições sociofugas, por exemplo em certas correntes da psicanálise em que o paciente retorna ao psicoterapeuta, facilitando a introspecção.

3. Sociopatas

Todos os assentos são virados para dentro. Este caso é exatamente o oposto; os usuários se orientam entre si, facilitando a comunicação interpessoal e aproximando-os do intragrupo. Para os processos de confiança e coesão, é fundamental, pelas facilidades que promove para interação e troca. Isso é mais típico de nossa sociedade em reuniões de grupo, onde o foco está no próprio grupo.

Disposição sociopática: mais comum na vida cotidiana

No entanto, de todas essas disposições, o que mais encontramos em nossa vida diária é o sociopata.

Todos nós nos reunimos à mesa com amigos, família ou durante reuniões de negócios. Isso torna a disposição sociopata mais influente nas esferas de nossa vida e sobre a qual podemos aproveitar ao máximo para aprender. Em uma disposição sociopata dependendo de onde você está, não participe da mesma forma, ou com quem. Se a orientação tem seus efeitos, a geometria também.

quadrado

Uma mesa quadrada tem todos os quatro lados iguais, então todas as pessoas têm a mesma oportunidade de falar no grupo e nenhuma grande diferença parece ser feita. No entanto, influencia relacionamentos menores, díades ou tríades. As pessoas que se sentam no grupo, ou seja, em cadeiras adjacentes, tendem a cooperar, fortalecer-se mutuamente e se dar bem. Por outro lado, nas cadeiras opostas há tendência de competição, favorecendo desentendimentos e questionamentos. É claro que em ambos os arranjos há um grau maior de interação do que se sentarmos nos cantos.

Retangular

Em tabelas retangulares, existem dois lados mais estreitos onde ocorre o efeito do cabeçalho: ocupando esta posição, mais status é conferido. No cabeçalho, não há tanta facilidade de comunicação como no meio dos lados largos, pois limita o contato visual e custa mais ver você. Porém, ao falar, ele chama a atenção com mais facilidade, pois a mesma mesa vaza direciona o olhar para o cabeçalho e facilita o foco da pessoa. Quanto aos lados largos, se alguém está no centro, isso mostra que a pessoa quer se envolver e interagir. Por outro lado, quem está na zona prefere ficar à margem, ver primeiro o que se cozinha e depois intervém – ou não. Isso facilita os papéis de participante e iniciador no centro e de observador e seguidor nos cantos.

Circular

Em arranjos circulares, a orientação dos assentos não muda tão drasticamente quanto em formas geométricas mais rígidas, como quadradas e retangulares. Por causa disso, Para os fins acima, eles tendem a diminuir, por exemplo, não há local que indique status superior, Não é um lugar onde se possa proteger, porque todos estão igualmente expostos. No entanto, existe o efeito Steinzor, que tende a interagir mais com as pessoas à sua frente, a fazer mais contato visual; então, se você tem algo esperando para dizer a alguém, sente-se na frente dele, ele o ajudará.

Outros fatores ambientais

Outros fatores ambientais da ecologia do grupo podem ser a temperatura, que em níveis elevados promove irritabilidade ou ruído como causa de estresse. Mesmo o mesmo tamanho de uma sala pode influenciar no número de pessoas, já que não é o mesmo ser cinco, para realizar a reunião em uma sala grande ou em uma sala pequena. Mas de tudo, o mais controlável é onde nos sentamos e quem sabe, talvez no próximo Natal queiramos trocar de lugar.

Deixe um comentário