Conhecimento mútuo: o que é, suas características e funções

O conhecimento mútuo pode ser entendido como o conjunto de informações que duas ou mais pessoas conhecem, sabendo ou não que a outra pessoa sabe disso. Essa ideia, que à primeira vista parece simples, tem certas nuances dependendo do campo a que se refere.

Este conhecimento pode referir-se a normas, crenças, culturas, trabalho ou qualquer outro aspecto com dimensão social, e pode tornar-se muito importante numa sociedade, tecendo o tecido da convivência.


Em seguida, falaremos sobre o que pode ser entendido como conhecimento mútuo e várias definições que foram propostas para o mesmo termo.

    O que é conhecimento mútuo?

    Em primeiro lugar, devemos entender o conhecimento mútuo exatamente como este, o corpo de conhecimento compartilhado por duas ou mais pessoas. Podemos ampliar o termo, descrevendo-o como uma série de elementos, conhecimentos e habilidades que são compartilhados por várias pessoas em um determinado campo, seja profissional, acadêmico, cultural, ético … Existem várias conceituações deste termo e pode ser compreendido de várias maneiras, dependendo da área à qual estamos nos referindo.

    O conhecimento mútuo se desenvolve por meio de experiências compartilhadas, eventos na vida das pessoas que as fazem compartilhar conhecimentos e também perspectivas, ou pelo menos se assemelharem. O conhecimento mútuo é muitas vezes o que faz com que dois indivíduos se entendam e também se tolerem, destacando o que têm em comum, mas também aceitando suas diferenças.

    Uma definição mais acadêmica do que se entende por conhecimento mútuo é a proposição de Daniel J. e Diane M. Hintz. Esses autores abordam o assunto de uma perspectiva especificamente linguística, especificando que as principais fontes de conhecimento mútuo são a língua e a cultura, estabelecendo que é construído em conjunto por meio de experiência perceptiva compartilhada e interação linguística.

    Existem, no entanto, vozes que diferem desta definição. Alguns autores defendem a ideia de que conhecimento mútuo não significa necessariamente compartilhar a mesma língua materna ou os mesmos traços culturais.. Podemos ver isso como um exemplo de conferência médica internacional, na qual há dois palestrantes, um americano e um japonês. Embora todos falem uma língua diferente e venham de um país diferente com costumes muito diferentes, eles têm um conhecimento comum de medicina. Ambos compartilham habilidades que lhes permitem se comunicar, compreender e respeitar um ao outro.

      Variações conceituais de conhecimento mútuo

      Embora já o tenhamos sugerido, a definição de conhecimento mútuo varia muito dependendo da perspectiva que cada autor ou ramo do conhecimento lhe dá. Disciplinas como lógica e epistemologia concebem o conhecimento mútuo como qualquer fato ou fato conhecido por várias pessoas, embora isso não implique necessariamente que uma pessoa saiba que outras também conhecem essa informação.

      Conforme apresentamos anteriormente, do ponto de vista linguístico, o conhecimento mútuo é entendido como conhecimento que é construído por meio de interações linguísticas e percepções compartilhadas. As fontes de informação para esse conhecimento compartilhado são as crenças, suposições e conversas que ocorrem entre os membros de uma determinada comunidade.

      Ao misturar as ideias que vimos um pouco até agora, podemos concluir que o conhecimento mútuo é tudo o que um grupo de pessoas pode ter em comum, seja idioma, cultura, religião, profissão e outros aspectos. Em todo o caso, é melhor compreendê-lo, e o que se pode sublinhar sobre o conhecimento mútuo é que permite estabelecer laços e promover o desenvolvimento no trabalho e na comunidade.

      Ética social

      A ética define o conhecimento mútuo como o conjunto de regras ou costumes responsáveis ​​por direcionar o comportamento humano dentro de uma comunidade. Nesse sentido, refere-se aos parâmetros sociais que são seguidos e compartilhados pelas pessoas que fazem parte de uma sociedade.

      A partir dessa conceituação, podemos dizer que é uma questão de conhecimento mútuo respeitar as regras de trânsito, respeitar os idosos, não usar boné dentro de casa, usar máscara quando solicitar ou ter o celular desligado durante uma conferência. . Nessa perspectiva, esse conhecimento está vinculado a valores, convivência e respeito.

        Ética de trabalho

        O conhecimento mútuo no local de trabalho é um elemento muito importante para o desenvolvimento de qualquer organização, empresa ou negócio. Aqui podemos falar sobre um caso especial. Paul Harris (1868-1947), que foi o fundador do Rotary International, é provavelmente um dos casos mais notórios e clássicos de interesse pelo desenvolvimento do conhecimento mútuo no campo das organizações. Harris tomou uma série de medidas éticas para promover a comunidade de trabalho e prevenir qualquer conflito interpessoal que poderia surgir e prejudicar a produtividade.

        As medidas de Harris incluíam a imposição de penalidades ou multas se algum dos trabalhadores contasse piadas falsas ou se envolvesse em discussões religiosas ou políticas. Isso tornava uma questão de conhecimento mútuo para os trabalhadores. tolerar e tratar seus colegas com respeito, não falar sobre temas polêmicos ou delicados e focar apenas na realização eficaz das atividades de trabalho e, na conversa, focar em temas superficiais ou emocionalmente não perturbadores.

        No entanto, não se deve pensar que o conhecimento mútuo dentro do ambiente profissional se concentra apenas em padrões ou parâmetros éticos. Esse conhecimento compartilhado também está vinculado ao fortalecimento das semelhanças entre os trabalhadores, com o objetivo de fortalecer as relações de trabalho.

        Sabemos que as pessoas, ao reconhecer os elementos que têm em comum com outras em ambientes de trabalho e não laborais, eles se tornam mais dispostos a colaborar em atividades de grupo para alcançar o bem-estar do grupo. Além disso, as tarefas coletivas são realizadas com mais fluidez e com menos risco de tensões ou conflitos durante as mesmas.

          Sua importância para a convivência humana

          Ter um grupo de pessoas compartilhando as mesmas informações sobre leis sociais e códigos de conduta incentiva a coexistência. Por isso, podemos dizer que o conhecimento mútuo é um dos alicerces mais sólidos das sociedades, intimamente ligado à ética.

          Nem é preciso dizer que isso não se limita às regras, mas também obedece às todos os costumes e crenças compartilhados pela comunidade. Esse conhecimento inclui informações como noções de patrimônio e território, conceitos que configuram e fortalecem a identidade das comunidades.

          Com isto queremos dizer que o conhecimento mútuo que promove a convivência dentro de uma comunidade é constituído pelo patrimônio histórico e cultural do país ou nação. É mais comum que membros de uma cultura particular compartilhem as datas e feriados de sua terra natal, bem como tenham um idioma comum ou sotaque especial, com seu próprio provérbio, vocabulário e terminologia. Também fazem parte do conhecimento mútuo todas as comidas típicas da região, gestos, roupas, edifícios históricos com função cultural, museus …

          Referências bibliográficas

          • Cramton, Catherine. (2001). O problema do conhecimento mútuo e suas consequências para a colaboração dispersa. Ciência das organizações. 12. 346-371. 10.1287 / orsc.12.3.346.10098.
          • Hintz, D; Hintz, M. (sf) A categoria de evidência do conhecimento mútuo em Quechua. Recuperado em 8 de dezembro de 2021 da Academia.
          • Keysar, B., Barr, DJ, Balin, JA e Paek, TS (1998). Referência definitiva e conhecimento mútuo: modelos de processos comuns de compreensão. Journal of Memory and Language, 39 (1), 1-20.
          • Valenzuela, I. (sf) Segundo os cientistas, o conhecimento mútuo torna-nos mais cooperativos.

          Deixe um comentário