Como ser mais convincente: 15 dicas práticas

Obviamente, convencer não é fácil, porque a outra pessoa corre o risco de interpretar a situação como um ataque ao seu modo de pensar se não soubermos abordar e expressar bem a mensagem.

Devemos saber que tão importante é a mensagem como a forma como a transmitimos para que chegue e seja aceite pelo nosso interlocutor. Será, pois, essencial apresentar uma mensagem clara e adaptada ao destinatário, ou seja, personalizada, e mostrar-nos confiantes e convictos da nossa proposta, tendo em conta a mensagem verbal e não verbal, os gestos, o tom de voz …


Neste artigo, fornecemos alguns estratégias que podem ser úteis para você ser mais convincente. Lembre-se de que todos têm pontos fortes, então use-os e tente quais técnicas o ajudam mais a convencê-los por meio de sua mensagem.

    Dicas para ser mais persuasivo

    Todos nós nunca conseguimos convencer outra pessoa a fazer nossa proposta. O processo de persuasão não é fácil porque cada indivíduo tem sua própria maneira de pensar e ver as coisas que tende a defender diante dos outros. Da mesma forma, na sociedade em que vivemos, somos ensinados que devemos defender e manter nossas crenças ou nossos pensamentos; “Desistir” das ideias dos outros não é uma coisa boa, mas muitas vezes é visto como um fracasso..

    Temos que ter esses aspectos em mente porque quando tentamos convencer outra pessoa, fazemos isso de forma adequada, sem que ela se sinta atacada ou tenha que defender algo.

    Nesse sentido, convencer é fazer com que alguém mude de ideia ou faça algo com base nas razões ou abordagens que afirmamos. Para conseguir isso, podemos seguir ou levar em conta uma série de chaves para tornar mais eficaz nosso objetivo de convencer e conseguir influenciar o outro. Aqui estão algumas das técnicas utilizadas.

    1. Seja confiante no que você comunica

    É essencial que, se queremos que as nossas propostas sejam tidas em conta, as coloquemos de forma segura e estamos convencidos do que dizemos.

    Por exemplo, não conseguiremos convencê-los a comprar um produto se perceberem dúvidas no argumento que damos, se expressarmos uma contradição em um pequeno diem. Nosso discurso é a ferramenta que temos para convencer, por isso deve ser claro.

    2. Empatia com a outra pessoa

    Parece uma pergunta óbvia, mas quando se trata de tentar convencer alguém, a situação pode ficar um pouco tensa ou podemos ter mais autoridade para alcançar nosso objetivo, mas essa maneira de fazer as coisas não nos permite não ajudar. a melhor maneira de nos mostrar é ser legal e legalpois será assim quando tivermos a chance de persuadir.

    Para convencer o outro, é importante que entendamos e nos coloquemos no lugar dele, como ele vê as coisas, para poder argumentar nossa proposta referindo-se a aspectos que podem beneficiá-lo ou interessá-lo. Se tivermos empatia e deixarmos isso ser conhecido, é mais provável que não nos sintamos atacados e mais propensos a aceitar o que dizemos ou pedimos.

      3. Identifique os pontos que conectam você

      Por mais diferente que seja o seu ponto de vista, é muito provável que haja pontos em que você demonstre alguma semelhança ou esteja satisfeito.; aproveite essa semelhança para expressar que você não é tão diferente. Perceber o outro como igual é fundamental para aceitar o que ele nos propõe, pois não o entenderemos como uma derrota ou um abandono, mas aprovaremos o que ele diz porque é realmente o que queremos ou é o melhor para nós.

      4. Apresente argumentos para sua proposta

      Outra estratégia que pode ajudar a tornar nossa proposta atrativa é saber explicar e dar argumentos concretos a favor da sua proposta. Isso significa que nos ajudará a explicar por que dizemos ou queremos dizer. Se apresentarmos algo bem argumentado, eles provavelmente aceitarão.

      5. Use um tom de voz apropriado

      Para ser mais convincente e também para dar mais segurança, é fundamental que a nossa voz seja a certa. Use um tom médio, não levante a voz ou fale baixo, mantenha um ritmo constante, não acelere, faça pausas e respirações adequadas. Tente não mudar sua voz de forma muito abrupta ou artificialisso tornará mais fácil para o outro sujeito receber e aceitar a mensagem.

      6. Preste atenção aos seus gestos

      Não queremos que o outro se sinta atacado ou defendido. Portanto, devemos: preste atenção à nossa linguagem corporal, evite gestos bruscos ou aparentemente agressivos, não cruze os braços (postura que expressa uma atitude distante), manter uma posição de pé com as costas retas, não se mover nervosamente, manter a distância correta um do outro, sorrir ou não tocar ou mover objetos constantemente, como uma caneta. Em suma, tentaremos deixar a outra pessoa à vontade.

        7. Olhe nos olhos

        O olhar é muito expressivo. Diz-se que com apenas um olhar podemos dizer muito, por isso será importante que quando comunicamos a nossa mensagem olhemos a outra pessoa nos olhos. Desviar o olhar pode significar insegurança e falta de convicção do que estamos dizendo, além disso, olhar nos olhos também ajuda a captar e prender a atenção do outro.

        8. Dê uma mensagem personalizada

        Quando damos a nossa mensagem tentamos adaptá-la o mais possível ao assunto a que se dirige. Isso nos ajudará a fazer referência a aspectos que podem ser úteis para você, a informações que podem ser do seu interesse ou simplesmente para dizer seu nome, pois marcamos um relacionamento cada vez mais próximo, capturamos mais sua atenção e você nos percebe como alguém que você conhece e não como uma ameaça.

        9. Deixe falar

        Assim como temos tempo para nos expressar, isso lhe permite fazer o mesmo do seu ponto de vista e sentir-se ouvido; manter sua palavra e deixá-lo falar. Dessa forma, também saberemos como ele recebe o que dizemos, podemos mudar nossa abordagem, se necessário, ou reforçar pontos que ele não apenas viu claramente.

          10. Use a fala natural

          Ele usa uma linguagem próxima, tentando não usar detalhes técnicos desnecessariamente e certifique-se de que a pessoa entenda o que você está dizendo, caso contrário será impossível convencê-la. Da mesma forma, a linguagem natural também o ajuda a perceber a situação como mais descontraída, como uma simples conversa e não como uma situação especial ou diferente.

          11. Cuide da sua imagem

          A imagem que se dá do lado de fora também é importante e tanto mais se a situação em que se quer convencer é mais formal. Portanto, recomendamos que você esteja arrumado e bem vestido, no entanto sinta-se confortável e mantenha seu estiloporque assim você terá mais confiança e se sentirá mais seguro.

          12. Use as emoções

          Levando em conta as emoções do outro e as nossas, conectar-se emocionalmente facilita que o outro nos perceba como iguais e acaba aceitando o que pedimos a ele. As emoções podem nos aproximar uns dos outrosentão pratique e use a inteligência emocional.

            13. Autodivulgação

            Com o termo autorregulação, queremos dizer dar mais informações pessoais sobre você, abrir um pouco, nos perceber mais de perto e tornar nosso discurso nosso, para que você tenha mais chance de simpatizar conosco e, assim, convencê-lo mais facilmente a partir da nossa proposta.

            14. Dê importância à mensagem que deseja transmitir

            Ao longo do nosso discurso, haverá partes que são mais importantes do que outras., ideias que queremos alcançar mais do nosso interlocutor. Enfatize-os e enfatize o que você deseja que prevaleça, repita a mensagem usando palavras diferentes para garantir que seja clara e Entendido.

            15. Não perca o propósito da sua mensagem

            Dar informações e argumentar sobre o que transmitimos é importante, mas é igualmente importante não perder de vista o propósito de nosso discurso. Lembre-se qual é o seu objetivo e o que você quer convencer, pois muitas vezes acabamos falando ou focando em questões menos importantes e a mensagem que queremos passar fica camuflada ou obscurecida.

            Referências bibliográficas

            • Van Leeuwen, A. (2013) Persuasão Oculta. 33 Técnicas de influência psicológica na publicidade. Editor do BIS.
            • Schenkelberg, F. (2015) Como melhorar sua capacidade de persuadir. Simpósio Anual de Confiabilidade e Manutenibilidade.
            • Rivas, MªE., López, M. e González, MªR. (2018) CEDE Manual de preparação do PIR. Psicologia Social e Organizacional. Rendimento: 5ª edição.

            Deixe um comentário