Como parar de absorver as emoções de outras pessoas, em 5 etapas

Sempre que experimentamos uma emoção, o fazemos sob a influência da sociedade ao nosso redor. Isso é algo que está além do nosso controle e, por si só, não tem nada de errado com isso. É simplesmente impossível viver fora das ideias da cultura em que vivemos e dos relacionamentos que temos, e ambas afetam a maneira como pensamos e sentimos.

No entanto, uma coisa é vivenciar nosso lado emocional por meio de influências socioculturais, e outra é se acostumar a como nos sentimos depende de como os outros estão se sentindo. esta é algo que ocorre a partir dos processos mentais próprios da empatiaMas pode levar a uma espécie de “contágio emocional” que pode nos prejudicar quando nos faz cair em emoções negativas de maneira constante e injustificada.

Neste artigo, vamos dar uma olhada em alguns dicas para parar de absorver as emoções de outras pessoas, E como podemos mudar a maneira como reagimos aos sentimentos dos outros para que eles não anulem nosso próprio julgamento e nossa personalidade.

Como parar de absorver as emoções de outras pessoas

Para não sofrer esse contágio emocional constante, siga as orientações abaixo. Lembre-se, entretanto, de que cada caso é único e você precisa encontrar uma maneira de adaptar essas dicas ao seu caso e estilo de vida específicos.

1. Cuidado com as relações de dependência

Essa é uma condição básica para não sermos constantemente contaminados pelas emoções alheias, mas a importância desse conselho vai muito além. Quando entramos em relacionamentos de dependência, nossas ações e sentimentos giram em torno um do outro, que, consciente ou inconscientemente, aprende a nos controlar conduzindo-nos ao estado mental que mais lhe interessa.

Portanto, quer no campo da amizade, quer no das relações de casalÉ importante controlar que todos esses laços emocionais sejam simétricos e justos, sem que uma parte domine a outra, pois, no caso de cair no vício, tornamo-nos praticamente uma extensão do corpo do outro.

2. Expor-se a terceiros

Para não absorver as emoções de outra pessoa o tempo todo, precisamos manter nosso próprio julgamento sobre o que está acontecendo ao nosso redor. Portanto, embora nosso relacionamento com outra pessoa seja saudável, precisamos ter contato frequente com mais pessoas. Cada indivíduo é um ponto de vista, E o simples ato de expor explicações da realidade que se contradizem em certa medida nos aproxima de uma forma única de ver a vida.

3. Analise o tipo de emoções que você mais absorve

Provavelmente, quem tem propensão a absorver emoções, o faz com certas formas de sentir, não com todas. Por exemplo, em muitos casos, a tristeza será a emoção que mais nos tocaráMas, em outros casos, pode ser raiva combinada com ansiedade de vingança.

Parar para pensar sobre isso nos ajudará a determinar os contextos e situações aos quais somos mais vulneráveis.

4. Aprenda a ter uma perspectiva distante

Essa é outra dica que pode ser usada para muitas outras coisas, e geralmente traz benefícios quando alguém pretende ter um ponto de vista mais neutro. É preciso esforço e prática, mas com o tempo você ganha a habilidade de analisar com mais frieza o que está acontecendo.

Por isso, é bom literalmente imaginar ver um fato à distância, Como se fosse uma simulação ou uma história que não se desenrola no nosso plano de realidade. Desse modo, ele rompe com a ilusão de que tudo o que está acontecendo no mundo ou perto de nós é de suma importância e é o centro do universo.

5. Ajude a outra pessoa

Há quem pense que a melhor maneira de não se contaminar com as emoções negativas e o desconforto dos outros é simplesmente cortar o contato com aqueles que as transmitem a nós. Embora possa ser uma dica útil em casos muito extremos, na maioria dos casos não é uma boa ideia. presumir que é um relacionamento saudável no resto dos aspectos.

Por que não é recomendado? Pois desse ponto de vista supomos que o problema esteja isolado em duas pessoas: uma que transmite e outra que recebe sem filtros. Mas o que está acontecendo é exatamente o contrário: há um vínculo, uma relação, que vai além da individualidade. Portanto, faz muito mais sentido tentar ajudar o outro a fugir disso.

Esta é uma opção que muitas pessoas esquecem. Se também absorvemos as emoções negativas de outro podemos chegar à raiz do problema ajudando essa pessoa. Não se trata apenas de como nos sentimos; às vezes, uma pequena ajuda pode fazer uma grande diferença, beneficiando não uma, mas duas pessoas.

Deixe um comentário