As 6 diferenças entre capitalismo e socialismo

Em parte, o que aconteceu em escala global nos últimos séculos tem a ver com a luta entre o capitalismo e o socialismo. A relação entre esses dois sistemas econômicos, políticos e ideológicos tem sido um dos principais motores da história, pois provocou crises militares, gerou iniciativas políticas e sociais e mudou nossa forma de pensar.

Neste artigo, veremos quais são os principais diferenças entre socialismo e capitalismo e em que ideias se baseiam.


    Diferenças entre capitalismo e socialismo

    Deve-se notar que até o momento não há lugares onde haja capitalismo puro e socialismo puroMas, por causa de sua oposição, o que acontece em um sempre muda algo no outro.

    Com isso dito, vamos ver como eles se destacam.

    1. A função atribuída ao Estado

    No capitalismo, o Estado é antes de tudo visto como uma entidade responsável por evitar que seus habitantes violem os direitos fundamentais de seus concidadãos, seja por agressão física, seja pelo roubo e destruição de elementos de sua propriedade. Além disso, o estado pode colocar mais ou menos ênfase na redistribuição.

    No socialismo, por outro lado, o estado é visto como um mecanismo pelo qual uma classe social impõe seus interesses à outra. Como resultado, minorias abastadas podem se proteger de tentativas de coletivizar recursos.

    Um dos principais objetivos do socialismo é, portanto, acabar com o estado completamente. É claro que, a esse respeito, comunistas e anarquistas diferem: os primeiros acreditam que esse processo deve se desenvolver ao longo dos anos, enquanto os últimos acreditam na possibilidade de aboli-lo em poucas horas.

    2. Crítica da propriedade privada ou sua ausência

    A propriedade privada é a pedra angular do capitalismo porque o capital é sempre algo que pertence a um número específico de pessoas, não ao mundo todo. É por isso que neste sistema econômico e produtivo grande atenção é dada à defesa da propriedade privada.

    No socialismo, ao contrário, presume-se que a propriedade privada não tem razão de existir, e que o desejável é a coletivização dos recursos (embora algumas de suas variantes advoguem apenas a coletivização dos meios. Produção, nem todo bem).

    3. Ênfase na liberdade ou insistência na igualdade

    O que importa no capitalismo é que todos tenham a oportunidade de escolher entre tantas opções quanto possível, pelo menos em teoria. Entende-se, portanto, que a ausência ou raridade de proibições e a existência de amplo repertório de ações a realizar e de produtos a adquirir equivalem à liberdade.

    No socialismo, por outro lado, evitamos o consumismo e o princípio da igualdade é ainda mais defendido, Porque sem ela, há pessoas que são obrigadas a escolher entre um leque estreito e opções pouco atraentes, porque há uma classe dominante (o que na prática significa que não há liberdade).

      4. Em um, você está motivado para competir, no outro, você não é

      Outra das grandes diferenças entre socialismo e capitalismo é que neste último as pessoas são educadas para competir umas com as outras, uma vez que não há garantias mínimas de qualidade de vida sistematicamente para a maioria da população.

      No socialismo, nem tudo gira em torno da competição, o que não quer dizer que não se trabalhe (caso não se possa fazer, há sanções). É porque neste sistema se as necessidades básicas são atendidas.

      5. Sistema de produção

      No capitalismo, atenção especial é dada à necessidade de produzir e abrir constantemente novos tipos de mercado por meio da criação de produtos ou serviços. Isso porque pela lógica de sua atuação voltada para a competitividade sempre há entidades ou pessoas interessadas em ir para a concorrência e vender para seus clientes, ou para abrir um novo nicho de mercado com um produto ou serviço que não se parece em nada com o que você está competindo.

      No socialismo, por outro lado, não é necessário produzir constantemente novos bens e serviços, mas apenas quando há uma necessidade evidente.

      6. Focar ou não no interesse individual

      No capitalismo prevalecem as vontades dos indivíduos, o que significa que a ideia de uma economia planejada é rejeitada. É porque Entende-se que precisamos de um mercado livre, Entendida como um contexto em que existem as regulamentações mínimas possíveis na troca de bens e serviços. Além disso, presume-se que o valor de um bem ou serviço é subjetivo, então todo esse marketing viável é justo: se alguém está comprando, é útil.

      Já no socialismo, a ênfase está nos interesses coletivos, portanto, trata-se de enfrentar fenômenos que afetam a todos, como crises de proteção ambiental ou sexismo. O mercado ainda existe, mas é percebido como um meio pelo qual circulam elementos objetivamente úteis à população.

      Deixe um comentário