Os 14 tipos de febre (e níveis de temperatura corporal)

A febre é uma das experiências mais comuns na vida de praticamente todos os seres humanos em tempo de se desenvolver e está ligada a uma grande variedade de distúrbios de saúde. Por isso é importante entender esse fenômeno e saber identificar os tipos de febre que existem.

Neste artigo vamos ver que tipos de febre existem de acordo com diferentes classificações, bem como suas características e possíveis riscos à saúde.


    O que é febre?

    A febre, o aumento da temperatura corporal, ocorre como uma reação do corpo a um agente identificado como patógeno, a fim de eliminá-lo e ativar o sistema imunológico.

    Assim, a febre atua como um sinal de que algo está errado em nosso organismo e também promove a não proliferação de germes, já que eles geralmente só se desenvolvem em temperaturas normais entre 35,5 e 37°C; será considerada febre quando a temperatura estiver acima de 38°C, sendo valorizada como urgente quando ultrapassar 41°C. Visto de outra forma, considera-se que a temperatura normal do corpo humano varia de 35,5 a 37°C, podendo variar de acordo com o sujeito.

    Por aqui, temperaturas entre 37 e 38°C são chamadas de febre quando armazenado por 24 horas. Se estiver acima de 38°C, já é considerada febre a 39°C, a febre é classificada como moderada e a 40°C já indica uma situação de emergência.

    Diz-se que um indivíduo tem febre quando há aumento da temperatura corporal, hipertermia; isto ocorre na presença de um possível patógeno, geralmente uma infecção. Esse aumento de temperatura nos diz que nosso sistema imunológico entrou em ação para combater esses elementos que se “infiltraram” no corpo; portanto, funciona como um alarme para agir caso se veja que esse estado febril não está melhorando, e também como um mecanismo defensivo para matar certos micróbios nocivos.

    Os sintomas característicos da febre são: dor de cabeça, dores musculares, calafrios e sonolência. Em geral ocorre uma sensação de cansaço e exaustão.

      Tipos de febre (classificada e explicada)

      Existem diferentes tipos de febre que classificaremos de acordo com sua intensidade, duração, padrão temporal, causa e origem. A classificação da febre de acordo com a intensidade já foi introduzida na seção anterior. Temos: febre se a temperatura for de 37 a 38°C, febre de 38 a 41°C e hiperpirexia se for superior a 41°C.

      Devemos levar em consideração a maneira como medimos a temperatura corporal, pois ela pode variar dependendo do instrumento que usamos.. Isso pode ser medido em diferentes partes do corpo, como boca (oral), reto, axila, orelha ou testa. Considera-se que os mais precisos são aqueles que tomamos por via oral ou retal; os outros três, mais comuns, dão resultados menos precisos. Por isso, quando informarmos nosso médico sobre nossa temperatura, informaremos com qual instrumento de medição a medimos.

      Abaixo veremos alguns dos tipos de febre considerados com base nas variáveis ​​mencionadas acima.

      1. Tipo de febre por duração

      De acordo com sua evolução e a duração da febre, falamos de três tipos de febre

      1.1. Febre aguda

      Como o nome sugere, será a febre que dura menos tempo, menos de 1 semana. As causas usuais desse tipo de febre são virais ou algum tipo de infecção, esse tipo de febre costuma atingir temperaturas mais altas ou piorar conforme o dia avança, mais temperatura durante a noite. Exemplos de febre aguda podem ser infecções da pele, do trato respiratório ou do trato urinário.

        1.2 Febre subaguda ou prolongada

        Falamos de febre subaguda quando o sujeito está febril por mais de 1 semana, mas não excede 3 semanas. Este tipo de febre está ligado a infecções bacterianas, exemplos das quais podem ser febres entéricas, como a febre tifóide.

        1.3 Febre crônica

        A febre crônica excede 3 semanas de sintomas. Isso pode ser devido a uma das curas anteriores (aguda ou subaguda) que não foi curada, ou algum tipo de infecção com uma doença crônica, como HIV ou tuberculose.

        2. Tipos de febre de acordo com o esquema

        De acordo com o padrão temporal dos períodos de febre, distinguimos quatro tipos.

        2.1 Febre intermitente

        Como o nome sugere, neste tipo de febre há variações durante o dia, por 24 horas, dando períodos de febre e outros sem apresentar uma temperatura elevada. Exemplos desse tipo de febre são os abscessos abdominais, causados ​​por uma bolsa de pus ou malária.

        Nas febres intermitentes encontramos febre agitada ou séptica; esta é caracterizada por uma grande diferença de temperatura entre os períodos de febre e não febre; isso geralmente se deve a processos sépticos em que ocorre disfunção orgânica devido à desregulação da infecção.

        Por outro lado, encontramos também febre diária, que apresenta regularmente um episódio de febre diariamente e geralmente é causada por um tipo de Plasmodium, que é um tipo de protozoário (por exemplo, a malária pode ser classificada nesse tipo).

          2.2. Mandando febre

          No tipo de febre recorrente a alta temperatura permanece permanentemente alta, não atingindo níveis normais durante o dia, mas maiores variações ocorrem a 1°C. Um exemplo pode ser a brucelose, um tipo de infecção bacteriana que é transmitida de animais para humanos e é comum com o consumo de alimentos lácteos crus ou não pasteurizados.

          2.3. Febre contínua

          No caso de febre, continua a ocorrer da mesma forma que o tipo de febre anterior; em outras palavras, quer dizer a alta temperatura é mantida ao longo do dia, mas neste caso não ocorre oscilação significativa, a diferença entre a temperatura máxima e mínima não é superior a 1°C. Uma doença que pode apresentar esse padrão febril é o pneumococo, que leva a infecção grave por bactérias, principalmente Streptococcus.

            2.4 Febre recorrente

            A febre recidivante, também chamada de recidivante, periódica ou ondulante, alterna entre períodos de febre e períodos sem febre. Esta definição pode ser semelhante à febre intermitente, mas ao contrário da febre, onde a variação ocorre em 24 horas, no recorrente o intervalo de variação é maior.

            Assim, após um período em temperatura normal, a febre reaparece e outro tipo de padrão já pode se apresentar. Dentro da febre recorrente, dois tipos podem ser diferenciados: a febre de pel-ebstein que se caracteriza por ser pouco frequente e apresentar um padrão de 3 a 10 dias com febre seguida de 3 a 10 dias sem febre e assim por diante e a febre terciária, quaternária e febril . quintana nestes tipos há intervalos febris seguidos de dois (terciários), três (quartianos) ou quatro (quintana) dias com temperatura normal.

            3. Tipos de febre por causa

            Como apontamos acima, o aumento da febre se deve ao aparecimento de um patógeno que ativa o sistema imunológico, desta forma podem ocorrer diferentes causas.

            3.1. febre infecciosa

            Febre devido a infecção é a causa mais comum; pode ocorrer em diferentes partes do corpo e pode ser cutânea, gastrointestinal ou cervical.

            O aumento da temperatura é benéfico, pois ajuda o sistema imunológico a se ativar e funcionar mais rapidamente e, por outro lado, a maioria dos agentes infecciosos prospera em temperaturas normais entre 36 e 37%, deixando de proliferar com o aumento da temperatura.

            3.2. Febre por doença autoimune

            No tipo de febre autoimune o aumento da temperatura é devido à má interpretação do sistema imunológico de suas células, não reconhecidos como tal e atacá-los por esse motivo. Um exemplo é o lúpus, que, entre outros sintomas, causa febre sem causa conhecida.

            3.3. febre oncológica

            Neste caso, o aumento da temperatura e a ativação do sistema imunológico é devido à detecção de um tumor que o corpo interpreta como um patógeno e aumenta seu desempenho para eliminá-lo.

            3.4. Febre da vacina

            A função das vacinas é preparar e ensinar o corpo, o sistema imunológico, como agir na presença de determinados vírus ou bactérias. Assim, consiste em a introdução de certos fragmentos de vírus ou bactérias inativos que geralmente geram apenas uma leve reação.

            3.5. Febre do crescimento do dente

            Quando os dentes começam a sair, é comum a criança apresentar desconforto, podendo até causar aumento de temperatura e inflamação em resposta ao sistema imunológico para proteger o sujeito. O aumento da temperatura é geralmente leve, dando apenas febre.

            3.6. Febre como efeito colateral da droga

            Um efeito colateral de alguns medicamentos, como febre ou alguns décimos de febre, pode ocorrer como efeito colateral. geralmente, se não houver complicações, desaparece quando a droga é retirada.

            3.7. Febre devido à presença de coágulos

            Um coágulo é uma massa de plaquetas, proteínas e células sanguíneas que se unem. Quando esse corpo se forma no sistema circulatório e obstrui ou há risco de obstrução das veias ou artérias, o corpo ativa o sistema imunológico. e aumenta a temperatura corporal facilitando assim a eliminação do coágulo.

            3.8. Febre de origem desconhecida

            Nesse tipo de febre, como o nome sugere, não se sabe qual é a causa, pois não se deve a nenhuma das condições mencionadas. Se a febre durar pouco tempo, não levará a maiores complicações, mas se a temperatura alta persistir por mais de 3 semanas, ou seja, se tornar crônica, o médico continuará analisando qual pode ser a causa desse distúrbio .

            4. Tipos de febre de acordo com sua ocorrência

            Dependendo do modo de início da febre, um início súbito ou lento será diferenciado.

            4.1. Febre de início súbito

            Neste caso observamos que o aumento da temperatura ocorre repentinamente.

            4.2. Febre de início lento

            Considere um início lento quando o aumento da temperatura aparece gradualmente.

            Referências bibliográficas

            • Sanz, S. (2017) Febre. Colégio Oficial de Farmacêuticos da Biscaia.
            • Castell, G. e Durán, T. (2011) Febre. Médicos de família CIMFA Centrale. Pacenya Journal of Family Medicine.
            • Baloian, A. & Sanhueza, E. Fever.
            • Bertran, P. Os 12 tipos de febre (características e riscos para a saúde). Medicoplus. Recuperado em 17/01/22 de https://medicoplus.com/medicina-general/tipos-de-febre

            Deixe um comentário