Os 20 tipos de leitura mais importantes

Ler é um prazer para milhões de pessoas em todo o mundo e, com a escrita, é uma das habilidades cognitivas que permitiu ao ser humano começar a registrar e compreender o que aconteceu antes de sua própria existência. : a invenção da escrita e com ela da leitura supõe a passagem da pré-história à história, e antes mesmo disso já existiam atos comunicativos a nível pictórico que nos poderíamos fazer “ler”.

Mas a leitura é uma atividade que pode ser feita de diferentes formas e com diferentes propósitos, o que nos permite falar sobre muitos tipos de leitura. Ao longo deste artigo, faremos um relatório sobre isso.


    Principais tipos de leitura (e suas características)

    Existem muitas maneiras diferentes que podemos encontrar para ler e compreender o material escrito. Embora não listemos todos os tipos de leituras existentes, veremos a seguir as principais que podem ser realizadas.

    1. Leitura oral

    Chamamos de leitura oral ou vocal este tipo de leitura em que o sujeito expressa por voz o que é lido. Em outras palavras, a leitura oral é o que fazemos quando lemos em voz alta.

    Muitas vezes é usado ao ler algo para outra pessoa ou quando pretendemos usar o som como uma trilha de memória ou como um método para poder focar no conteúdo da leitura mesmo abaixo do ideal.

    2. Leitura subvocal ou silenciosa

    Leitura silenciosa ou subvocal é aquela que ocorre de forma silenciosa e internalizada. Não produzimos nenhum som, mesmo que o reproduzamos mentalmente.

    É um tipo de leitura que requer a capacidade de concentração e requer algum domínio da capacidade de ler com fluência, pois vai diretamente para a interpretação do material visual sem traduzir de fora para o som (vai diretamente para o nível interno). )

    3. Leitura rápida

    Leitura rápida ou superficial é caracterizada por execução rápida, no entanto sem parar ou investigar o que foi lido. Permite-lhe ter uma ideia do que está a ler, do tema e talvez da estrutura básica, mas de uma forma geral e sem ter em conta aspectos mais profundos ou complexos.

      4. Leitura sequencial

      Uma leitura que se faz sem pressa e que leva em conta todo o texto, sem pular nada, mas sem parar para refletir em profundidade sobre nenhum de seus trechos.

      5. Leitura intensiva

      Outro tipo de leitura é intensiva, o que significa que se realiza uma leitura exaustiva e cuidadosa de todo o texto e na qual cada detalhe foi cuidadosamente revisado.

      6. Leitura não intencional ou inconsciente

      Leitura não intencional, como o termo sugere, é aquela que ocorre inconscientemente e sem a vontade do sujeito de ler seu conteúdo.

      Essa leitura implica uma certa capacidade de compreensão leitora, uma vez que isso requer ser capaz de processar a mensagem escrita antes mesmo de perceber que a estamos lendo. Isso é o que acontece quando você lê algo por acidente. Um exemplo pode ser encontrado em quase qualquer produto publicitário, porque é algo que é usado em marketing com estímulos de saída e letras minúsculas.

      7. Leitura mecânica

      Chamamos de leitura mecânica aquilo que ocorre de forma automática, mas voluntária, transformando símbolos e mensagens escritas em sons. Vai de grafemas a fonemas. Contudo, não é necessário apenas entender a mensagem. Este seria o primeiro dos tipos de leitura que aprenderiam, pois é a etapa preliminar necessária para poder compreender a leitura.

      8. Leitura completa ou receptiva

      A leitura compreensiva é caracterizada pelo fato de que o material lido é compreendido pelo leitor, de forma que o ato da leitura envolve a integração do conhecimento e uma interpretação válida do material lido. entender supõe ser capaz de tirar conclusões do material extraído do texto em seguida, agrupe o material lido e extraia as ideias principais do texto. Também requer uma capacidade de leitura mecânica suficiente para poder existir.

      9. Leitura seletiva

      Semelhante à leitura dinâmica, a leitura seletiva é caracterizada pelo fato de o leitor não analisar todo o texto, mas pular a leitura com base nas partes mais relevantes, como conceitos considerados essenciais, títulos ou itens que o leitor procura diretamente.

      10. Leitura reflexiva

      A leitura reflexiva é caracterizada pelo fato de que, ao ler o texto, quem o lê é capaz não só de tirar conclusões e avaliar a adequação do texto, mas também também pode permitir que você reflita e reflita sobre seu próprio conhecimento, Lacunas e forças além do que pode ser extraído e valorizado do próprio material.

      11. Leitura literal

      Esse tipo de leitura é caracterizado pelo fato de que as informações extraídas do texto são processadas sem qualquer dedução, de forma que apenas o significado direto das palavras escritas é levado em consideração. A possível existência de duplo sentido ou diferentes interpretações não é valorizada. além do que a mensagem significa explicitamente.

      12. Leitura inferencial

      Ao contrário da leitura literal, a leitura inferencial é baseada no material implícito no texto, mesmo que não apareça diretamente no texto.

      São utilizadas ideias e significados obtidos não apenas do texto direto, mas também do contexto em que o material é produzido, das possíveis intenções dos autores ou do conhecimento que o leitor possui a esse respeito. Permite tirar conclusões que não se encontram no próprio texto, Além de interpretar os duplos sentidos e outros sentidos do conteúdo.

      13. Leitura crítica

      A leitura crítica envolve uma leitura inferencial do material escrito para o qual, por sua vez uma nuance avaliativa é adicionada pelo leitor: Não se trata apenas de ler, mas de analisar o texto. Além de interpretar a informação escrita, ele avalia e julga não só o que está escrito, mas o que dela pode ser extraído e, principalmente, se o que é lido é válido e confiável segundo o ponto de vista e o julgamento do leitor.

      14. Leitura informativa

      Consideramos leitura informativa aquela cujo objetivo principal é a obtenção e / ou transmissão de conhecimentos, e a finalidade do ato de leitura para incorporar dados pode obter material. Não se destina a ser divertido ou divertido, embora possa acabar sendo secundário.

      15. Leitura recreativa

      A leitura recreativa é caracterizada principalmente pelo fato de que é realizado com o único propósito de entreter e desfrutar, Sem a intenção de receber informações reais ou aprimorar conhecimentos (embora isso possa ser alcançado, este não será o propósito real da leitura, mas um benefício secundário).

      16. Leitura científica

      Podemos denominar leitura científica aquilo que tem interesse e aplicação no nível científico, o que implica uma leitura abrangente e crítica além da realização de uma busca completa por informações verificáveis. Também visa adquirir conhecimentos, geralmente sobre um tema específico identificado anteriormente. Pode incluir a leitura e interpretação de dados estatísticos e fórmulas específicas para diferentes disciplinas científicas.

      17. Leitura fonética

      A leitura fonética caracteriza-se pelo fato de não se tratar tanto de encontrar sentido no conteúdo e no material escrito, mas sim de trabalhar o som, a articulação e a fonética com que as palavras são lidas.

      18. Leitura de música

      A leitura de música é um tipo de leitura que difere dos outros porque, se houver, o simbolismo executado não se concentra em encontrar significado no nível do conceito, mas principalmente fornece informações sobre um som, seu ritmo e a melodia em que deve ser lido. Este é o tipo de leitura pelo qual os músicos interpretam as partituras.

      19. Leitura de Braille

      A leitura em Braille é um tipo de leitura que tem a particularidade de não se basear na interpretação de símbolos percebidos pela visão, mas o simbolismo utilizado para a leitura é percebido pelo tato. Este sistema é o principal mecanismo de leitura da população cega.

      20. Leitura pictográfica

      A leitura pictográfica é uma atividade de leitura em que o sujeito não interpreta grafemas em forma de letras, mas lê imagens pictóricas e símbolos que representam ideias concretas. Na verdade, as primeiras formas de comunicação escrita eram pictográficas, pois os exemplos podiam ser encontrados praticamente desde os tempos pré-históricos.

      Referências bibliográficas:

      • Weaver, C. (1994). Processo e prática de leitura: da psicolinguística à linguagem plena. Portsmouth (New Hampshire): Heinemann.

      Deixe um comentário