É o medo de não ter controle (de si mesmo ou de seus relacionamentos)

Em nossa natureza como seres humanos, ela é encontrada a necessidade de sentir que temos nossas vidas sob controle. Esse sentimento nos ajuda a nos sentir seguros e promove o bem-estar psicológico.

Porém, quando essa necessidade de controle se torna uma emergência ou condição essencial para a nossa tranquilidade, pode causar estragos em nossas relações pessoais, bem como em nossa vida profissional e na qualidade de vida em geral.

O que queremos dizer com necessidade de controle?

Ser capaz de saber o que uma pessoa está sentindo medo de não estar no controle devemos primeiro saber qual é a necessidade de controle e quais são suas implicações psicológicas.

Por “necessidade de controle”, queremos dizer a necessidade da pessoa de compreender o que está ao seu redor para exercer um efeito ou poder sobre ela. Bem como a urgência que você sente para determinar uma série de resultados ou consequências antes que ocorram.

Nos casos em que esse senso de controle está ameaçado pelo acasoPorque a situação não depende da pessoa ou porque são os outros que tomam as decisões, é possível que a pessoa experimente uma série de emoções negativas, como a frustração e a raiva, que a obrigam a se engajar em comportamentos de dominação, extorsão ou crítica.

Nesses casos, um mecanismo conhecido como “motivação de controle” é acionado. Movida pela motivação para controlar, a pessoa pode reagir de duas maneiras diferentes: por um lado, pode surgir uma reatância psicológica, por meio da qual a pessoa se esforça ainda mais para tentar controlar uma situação incontrolável; ou pode ser gerado uma sensação de impotência onde as tentativas de dominação desaparecem.

Embora geralmente a tendência de planejar as coisas ou prepará-las com antecedência seja vista como positiva e realmente eficaz para atingir nossos objetivos, quando essa tendência é levada ao extremo e se torna uma necessidade, pode interferir em nossa vida diária.

Qual é a causa desse medo?

Uma necessidade excessiva de controle é freqüentemente causada pelo próprio medo de não tê-lo. Embora as causas exatas desse medo de não estar no controle ainda tenham que ser determinadas, existem teorias que o relacionam com a personalidade ou experiência de eventos traumáticos no passado.

Uma dessas teorias é a hipótese que muitas vezes tem o medo de não ter o controle da situação. um medo irracional de estar à mercê de outros. A causa desse pânico de depender de outras pessoas pode ter suas raízes em eventos traumáticos em que a pessoa se sentiu desamparada ou vulnerável.

Experiências passadas de abuso, negligência ou negligência podem encorajar uma pessoa a buscar desproporcionalmente recuperar a sensação de que tudo em sua vida está sob controle.

No entanto, vários fatores podem desempenhar um papel importante em influenciar a necessidade de controle de uma pessoa, fazendo com que ela fique excessivamente estressada. Esses fatores são:

  • Experiências de vida traumáticas ou abuso.
  • Falta de confiança.
  • ansiedade.
  • Medo de abandono.
  • Baixa auto-estima.

  • Crenças e valores da pessoa.
  • Perfeccionismo.
  • Medo de falhar.
  • Medo de experimentar emoções negativas ou dolorosas.

Como as pessoas precisam de controle?

Embora, à primeira vista, pessoas que têm medo de perder o controle de sua vida, ou que simplesmente têm uma necessidade constante de sentir isso, tendem a parecer fortes e confiantes; a realidade é que por trás dessa aparência reside uma certa fragilidade, bem como uma grande vulnerabilidade à ideia ou ao medo de que haja algumas coisas que não podem ser controladas, Que ocorrem independentemente do que se deseja.

Pessoas que tendem a controlar tudo ao seu redor têm um grande medo do aparecimento de acontecimentos repentinos e imprevistos, pois sua capacidade de ser espontâneo ou de improvisar não está bem desenvolvida.

Além disso, outra das características definidoras dessas pessoas é o sentimento de que o resto depende de sua capacidade de lidar com eventos do dia-a-dia. Esse senso de responsabilidade pode, portanto, se tornar um poderoso estressor.

Que tipos de controles existem?

Existem inúmeras maneiras pelas quais as pessoas podem tentar assumir o controle de seu ambiente e de outras pessoas. Essas pessoas exercem uma espécie de controle de suas relações íntimas, no ambiente familiar, profissional ou social.

1. Necessidade de autocontrole

Quando a pessoa experimenta medo excessivo de não estar no controle de sua vidaVocê pode realizar os seguintes comportamentos:

  • Exercício compulsivo.
  • Limpeza obrigatória ou sanitários.
  • Auto-mutilação.
  • Abuso de substâncias.

2. Necessidade de controle sobre os outros

Aqui estão alguns exemplos dos comportamentos que essas pessoas exercem:

  • Controlando as atividades do casal.
  • Revise itens pessoais, como o telefone de outra pessoa ou a mídia social.
  • Impeça outra pessoa de falar ou ter relacionamentos com familiares ou amigos.
  • Manipulação.

  • Conduta desonesta com terceiros.
  • Paternidade superprotetora.
  • Violência física, Sexual ou emocional.
  • Comportamentos de intimidação ou ridicularização.

Como a psicoterapia pode ajudar?

Abordar os problemas de controle da psicoterapia envolve descobrir na pessoa que existe uma grande necessidade de controle nela. Este ponto é extremamente complicado, porque na maioria dos casos o paciente não é capaz de perceber essa necessidade de dominação ou poder.

Durante a terapia, o paciente e o psicólogo trabalham juntos para lidar com o medo subjacente a essa necessidade. Junto com as emoções associadas a ela, como ansiedade, crie uma série de estratégias de enfrentamento que são úteis quando elas surgem.

Esse processo em que a autoconsciência do paciente é trabalhada pode ajudá-lo a desistir da necessidade de controle.

A psicoterapia cognitiva pode ajudar a pessoa a identificar a verdadeira causa da necessidade de controle: a autoproteção. Instabilidade emocional e falta de opções ou autonomia eles podem fazer com que uma pessoa busque o controle sobre outros aspectos da vida. Reconhecer e lidar com essa fonte de desconforto o ajudará a desenvolver compaixão por si mesmo e a aceitar aquela parte de você que precisa de proteção.

Deixe um comentário