Como organizar o tempo de estudo em 12 etapas

Muitos alunos, especialmente durante os exames e períodos de dever de casa, se perguntam como organizar melhor o tempo de estudo.

Todos assumem que melhorar o próprio currículo é sinônimo de melhor desempenho acadêmico, mas poucos conseguem aplicá-lo no dia a dia.

É por isso que este artigo, além de ajudar os alunos que têm mais dificuldade em passar nos exames, serve como uma avaliação do tempo e de sua importância no programa educacional.

A importância de gerenciar bem o seu tempo

É sabido que idealmente consiste em organizar o dia em três faixas de 8 horas cada: 8 horas de sono, 8 horas de trabalho / estudo e 8 horas de lazer. No entanto, essa regra mágica dos três oitos é muito difícil de seguir na prática.

Por isso é fundamental organizar o tempo que dedicamos às nossas obrigações, e neste caso, para estudar, seja para as provas como se se tratasse de escrever um trabalho a entregar.

Embora os alunos, ao contrário dos trabalhadores, tenham uma certa vantagem porque têm alguma liberdade para organizar seu tempo, às vezes isso é mais um problema do que uma ajuda. Conforme você envelhece, as horas dos centros de estudo são mais variáveisA universidade é um exemplo claro, tendo turnos da manhã e da tarde.

A organização do tempo de estudo é responsabilidade de todos. O problema para muitos é que, apesar do tempo que gastaram nisso, desenvolveram maus hábitos de estudo. É por isso que, especialmente no ensino médio e na faculdade, que a fase dos exames e do parto é vivida de uma forma muito angustiante. Por não ter um bom plano de estudos, os resultados dos testes são afetados negativamente.

Como organizar o tempo de estudo?

Para obter aproveitamento nos exames e obter a melhor nota possível, é necessário um meticuloso programa de estudos, organizando devidamente o tempo dedicado a cada disciplina de cada disciplina. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a organizar melhor seu tempo de estudo.

1. Tenha um cronograma

Esse conselho, que talvez seja o mais básico, é de vital importância para ter uma ideia de quanto tempo resta antes de enfrentar o teste ou a entrega de um trabalho temido. Ter um calendário, seja digital ou em papel, é a ferramenta que mais pode ajudar o aluno.

Não apenas resenhas ou envios podem ser escritos lá, outros eventos também podem ser relatados e nos alertado sobre este, Bem como atividades extracurriculares, encontros ou outras tarefas domésticas.

2. Crie uma rotina de estudo

Uma vez configurada, é muito importante estabelecer uma rotina de estudos, de preferência diariamente. Todo mundo tem seu próprio biorritmo e, portanto, algumas pessoas são mais produtivas pela manhã, enquanto outras são mais produtivas à tarde ou mesmo à noite.

Sempre que você for mais produtivo, tente estudar na mesma hora todos os dias; é assim que o corpo se acostuma a trabalhar todos os dias.

Como qualquer hábito, estudar é uma questão de fazê-lo até que seja automatizado. Quando feito quase que instintivamente, não acabará sendo algo tão pesado e desmotivador.

3. Priorize metas e evite multitarefa

Há tarefas que devem ser realizadas antes de outras e, portanto, devem receber mais prioridade.. Isso pode ser porque a data de entrega ou revisão está se aproximando.

Deve ser entendido que, embora os seres humanos possam realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo, isso não é de forma alguma recomendado nos sujeitos do estudo.

Por exemplo, tentar estudar matemática e linguagem ao mesmo tempo é uma coisa muito complicada, pois ambas as disciplinas exigem um alto grau de concentração e, se você alternar constantemente entre elas, não será possível assimilar a agenda.

4. Estabeleça metas realistas de curto e longo prazo.

Um objetivo principal pode ser superar as oposições, no entanto, este grande objetivo deve ser quebrado para que possa ser alcançado.

Uma boa maneira de fazer isso é ter em mente todos os tópicos a serem estudados e quantos são os tópicos que os compõem. Uma vez que isso é visto, metas mais realistas podem ser definidas, tanto a curto como a longo prazo.

Por exemplo, se você tem três meses para estudar 40 tópicos, uma boa maneira de cobri-los é apoiar o aprendizado de April a cada semana. Portanto, cada mês será capaz de ter cerca de um terço de toda a agenda, cumprindo o objetivo final de ver a agenda inteira.

5. Planeje pausas e recreação

Estudar é bom, mas fazê-lo constantemente leva ao esgotamento inevitável. Todos precisam descansar e relaxar enquanto se divertem. No entanto, essas pausas podem ser muito arriscadas, obrigando você a decidir parar de estudar e passar para o dia seguinte.

Por isso, assim como são planejados os horários de agendamento do livreiro, é preciso decidir quando fazer uma pausa, e que sempre dure o mesmo tempo.

6. Vontade

A atitude que o estudo enfrenta é fundamental se você quiser ter sucesso. A motivação para estudar e a vontade são aspectos que influenciam a forma como aprendemos.

Se for entediante e entediante, sempre será visto como indesejado e você não poderá adquirir o hábito de estudar adequadamente.

7. Planeje com antecedência

Você só terá sucesso se estiver bem preparado, por isso é tão importante planejar com antecedência sua sessão de estudos.

Seja estudando em casa ou indo à biblioteca, todo o equipamento deve ser preparado com bastante antecedênciaDe preferência na véspera, evitará improvisar no último minuto e esquecer uma nota ou livro importante.

Também é aconselhável anotar em um papel o que você vai estudar. Você pode pensar que ele tem uma boa memória, mas se ele deixar por escrito o que precisa fazer, ele se certifica de não esquecer.

8. Estude no espaço certo

O local onde você estuda pode ser uma fonte de concentração ou, ao contrário, um ambiente repleto de distrações.

Mas o local mais adequado será sempre a biblioteca, de preferência sozinho. Se você decidir estudar com amigos, deve fazer um esforço conjunto e não se divertir.

9. Evite interrupções

Se você decidir estudar em casa, devemos ter cuidado com as interrupções dos pais ou colegas de quarto, Além de garantir que o celular fique no silêncio ou, melhor ainda, desligado.

Além disso, ao estudar com um computador, evite redes sociais ou páginas que possam envolver algum tipo de entretenimento.

Se você estiver ouvindo música, é melhor escolher o som ambiente, como chuva com trovão, ou música melódica ao invés de cantada. Se for uma música, você pode estar prestando mais atenção do que ela está sendo cantada.

10. Consistência na distribuição de tarefas

Nem todos os assuntos requerem o mesmo tempo de estudo, dadas as diferentes dificuldades e durações. Também pode custar mais um assunto.

Os assuntos devem primeiro ser classificados de acordo com sua dificuldadeE decida dedicar mais tempo às mais difíceis para deixar as mais fáceis para o final do dia ou da semana.

O tempo a dedicar a cada disciplina dependerá da proximidade das datas de exame ou entrega.

11. Mude dos assuntos mais complexos para os assuntos mais simples

O cérebro, assim como os músculos, acaba ficando cansado depois de realizar uma atividade. Por isso é preferível descer, o que é muito cansativo, porque fazer ao contrário é mais arriscado não chegar ao fim.

Se você é uma pessoa produtiva dia e noite, o melhor que podemos fazer é deixar o difícil para o início do dia e o mais fácil de ir para a cama antes.

Do contrário, você é mais produtivo em determinados horários do dia, é melhor começar com o assunto mais complicado e deixar o mais simples para o final da sessão.

12. Rever, revisar e revisar

E, claro, a última dica neste artigo é revisá-lo continuamente.

O exame não serve apenas para estabelecer novos conhecimentosMas também o torna mais ciente de seus dados de contato e, quando apropriado, detecta quaisquer erros que foram cometidos durante a preparação das notas.

Referências bibliográficas:

  • Ausubel, DP (2002). Aquisição e retenção de conhecimento. Uma perspectiva cognitiva. Barcelona: Paidós.
  • Martín, I. & Onrubia, J. (Coords.) (2011). Orientação pedagógica e processo de inovação e melhoria do ensino. Barcelona: Graó.
  • Mayer, RE (2002). Psicologia educacional: aprendizagem nas áreas do conhecimento. Pearson / Prentice Hall.

Deixe um comentário