Como aprender a ouvir em uma conversa em 5 etapas

Grande parte de nossa vida diária é baseada na comunicação. Não poderíamos ter os padrões de qualidade de vida que temos sem o fato de vivermos em sociedade. No entanto, às vezes esquecemos que também temos que adicionar algo a esta fórmula. Para que a comunicação seja suave, é importante aprender a realmente ouvir.

Afinal, todos nós sabemos como ficar parados enquanto a outra pessoa está falando, mas para realmente se envolver em uma conversa, você precisa ser capaz de permanecer ativo mesmo quando a outra pessoa está falando.


Neste artigo, vamos nos concentrar na revisão de diferentes dicas sobre como aprender a ouvir nas conversas que temos com seus amigos, familiares e parentes em geral.

    Dicas para aprender a ouvir

    Ser bom em ouvir o resto é uma virtude subestimada em muitos aspectos. Mas se for dominado, nos torna muito mais capazes de nos relacionarmos com os outros. E lembre-se que a qualidade e a quantidade de qualquer vínculo é algo que define nossa qualidade de vida. Poucas pessoas geralmente gostam de lidar com alguém que as ignora enquanto fala.

    Portanto, considere as dicas a seguir ao aplicá-las às conversas das quais você participa, mesmo que na prática pareçam mais um monólogo do que um diálogo (Há momentos em que uma pessoa precisa desabafar e ser ouvida). Lembre-se de que ler as ideias restantes não é suficiente; você terá que aplicá-los constantemente em sua vida diária para se acostumar com eles e adaptá-los às características de sua vida.

    1. Ame as necessidades da outra pessoa

    Para começar, é bom ficar de olho na linguagem não verbal da outra pessoa e no que ela está dizendo nas entrelinhas. as necessidades que a levam a falar. Você quer ser ouvido para explicar um fato que teve um forte impacto emocional sobre ela? Ou você apenas quer explicar algo porque estamos usando essa informação para fazer algo?

    Dependendo dessas necessidades, nossa participação na conversa deve ser baseada mais em ouvir, ou em ouvir e falar.

      2. Mantenha contato com os olhos

      Manter o contato visual é um dos aspectos-chave de qualquer conversa cara a cara. Se esse padrão nem mesmo for alcançado, ele não apenas criará uma sensação de estranhamento da pessoa com quem estamos nos comunicando; além disso, mesmo mal-entendidos podem surgir e erros na interpretação dos pensamentos e intenções do outro.

      Portanto, mesmo que você não esteja falando, olhe nos olhos da outra pessoa. Se por algum motivo isso lhe custar, seja por timidez ou falta de hábito, apenas olhe na direção do rosto dela. Se você fizer isso, sem ficar obcecado com o contato visual, com certeza sairá naturalmente e depois de um período de uso dessa técnica você não terá que pensar mais nisso.

      3. Não tome isso como uma pausa

      Ouvir é nada menos do que falar; é também ou mais importante, de fato. Portanto, não tome esses momentos como momentos de descanso onde você pode fazer o que quiser. Porque, se o fizer, você apenas dirá o que quiser, depois fará logout, parará de prestar atenção e se dedicará a fantasiar, cantarolar mentalmente ou relembrar experiências. Em algumas ocasiões, quando a outra pessoa percebe que você não está prestando atenção nela, ele pode parar de tentar falar com você.

      4. Pratique a escuta ativa

      Você não precisa apenas ter cuidado com o que a outra pessoa está lhe dizendo. Além disso, você precisa deixá-los saber que você está prestando atenção. Dessa forma, a outra pessoa será incentivada a falar o quanto quiser, sem se sentir como um álibi, e a comunicação real fluirá.

      Para fazer isso, certifique-se de acompanhar a conversa acenando com a cabeça e mostrando claramente suas reações ao que a outra pessoa está dizendo (com gestos ou exclamações). Você também pode fornecer comentários breves sobre o que a outra pessoa está comunicando, mas não muito para ser uma interrupção. A ideia é complementar os esforços de cada um para explique-se com seus próprios esforços ao comunicar o que pensamos sobre o que você está dizendo.

      5. Faça quaisquer perguntas que possa ter

      Uma conversa é sempre dinâmica, amplamente improvisada. Portanto, você também pode ajudar a torná-lo significativo, mesmo no papel de um ouvinte, fazendo perguntas simples ou pedindo esclarecimentos.

      Por aqui omissões de informações serão compensadas em que o nosso interlocutor pode cair simplesmente porque não previu o que ia dizer, ao mesmo tempo que se interessa ou mesmo facilita o surgimento de momentos em que surgem dúvidas que ninguém tinha pensado antes e que ajudam o sujeito de outro ângulo.

      Deixe um comentário