Bem-estar psicológico: 15 hábitos a serem adotados

Fala-se muito hoje em dia sobre conceitos como bem-estar psicológico ou felicidade, e parece que, embora esse seja um desejo comum de muitas pessoas, nem todos conseguem viver nesse estado.

O bem-estar psicológico é um conceito complexo, mas trata-se de se sentir bem em um sentido geral.. Ou seja, sinta-se bem consigo mesmo, esteja em sintonia com as motivações e objetivos que estruturam seu estilo de vida, desfrute do equilíbrio emocional necessário para enfrentar o dia a dia, e até tenha uma boa saúde física. O problema com tais definições, entretanto, é que o bem-estar psicológico é na verdade um conceito abstrato e, é claro, subjetivo.

O que é bem-estar psicológico?

Essa abstração tem a ver com crenças e expectativas, com empoderamento da pessoa e estar cercado por um contexto de tranquilidade e esperança.

Fala-se muito hoje sobre a sociedade de bem-estar, mas Quem poderia ter bem-estar psicológico em tempo de guerra? Obviamente, o caminho para o bem-estar depende de cada um, porém as condições ambientais influenciam. Também deve ser lembrado que a definição de bem-estar psicológico pode variar de cultura para cultura.

Para a psicóloga Carol Ryff, professora da Pennsylvania State University (Estados Unidos), o bem-estar psicológico consiste em seis dimensões. Eles são os seguintes:

  • Auto aceitação
  • Relações positivas com outras pessoas
  • Ter um propósito na vida
  • crescimento pessoal
  • Autonomia
  • Controle do meio ambiente

Todos moldariam o bem-estar psicológico de maneira integral, referindo-se uns aos outros.

Hábitos para melhorar o bem-estar psicológico

Considerando os pontos acima, compilamos uma lista de 15 hábitos abaixo que o ajudarão a alcançar um maior bem-estar mental.

1. Aceite o que você não pode mudar e ame a si mesmo

Como diz Carol Ryff, a autoaceitação é a chave para o bem-estar. Se quisermos que o bem-estar psicológico seja mais uma característica duradoura e não um momento passageiro, devemos aprender a amar e aceitar-nos como somos. Temos que aceitar as coisas que nos acontecem, quando são inevitáveis, e seguir em frente quando não podemos controlá-las. Em suma, se você não pode mudá-lo, aceite-o.

2. Faça o que você ama

logicamente se você não fizer o que ama, dificilmente alcançará bem-estar psicológico ou felicidade. Diz respeito tanto ao seu trabalho quanto aos seus hobbies. Quanto a este último, quanto mais bons momentos você tiver fazendo o que ama, melhor se sentirá.

Quando se trata de emprego, se você não gosta do que está fazendo e não se sente desenvolvido, seu bem-estar psicológico será afetado. As pessoas passam muitas horas no trabalho, e se ficarmos amargurados cada vez que pisarmos no local onde oferecemos nossos serviços ou produtos, isso afetará nosso dia a dia e nosso equilíbrio emocional.

3. Durma bem

As horas de sono são importantes. Quando deixamos de ter um sono reparador ou sofremos de insônia, nossa qualidade de vida, equilíbrio emocional e bem-estar psicológico são gravemente afetados.

Por isso, ter uma boa higiene do sono é essencial para uma boa saúde psicológica. A higiene do sono é uma série de práticas que nos ajudam a dormir melhor.

  • Se você quiser melhorá-lo, pode ler nosso artigo: “10 princípios básicos para uma boa higiene do sono”

4. Desculpe

O perdão está intimamente ligado à nossa saúde mental. Isso inclui não apenas perdoar os outros, mas também perdoar a nós mesmos, o que é vital se quisermos restaurar o equilíbrio emocional em nossas vidas e, portanto, nosso bem-estar psicológico. Em outras palavras, se o ressentimento toma conta de nós, nossa felicidade é sequestrada.

  • Se você quiser se aprofundar neste tópico, basta clicar neste link.

5. Tenha metas realistas

Os especialistas em bem-estar prestam muita atenção à importância dos objetivos que temos em nossas vidas e as metas que estabelecemos para nós mesmos. Isso acontece principalmente por vários motivos, mas principalmente porque os objetivos que estabelecemos para nós mesmos são a nossa motivação vital e estão ligados à nossa felicidade. No entanto, esses objetivos, se irrealistas, nos causam frustração e, no longo prazo, sofreremos as consequências negativas de ter expectativas irracionais. Os objetivos devem ser alcançáveis.

6. Faça um tour com amigos

Como Carol Ryff diz, relacionamentos positivos são necessários para nosso bem-estar psicológico. Na verdade, há muitas pesquisas afirmando que ter amizades e uma vida social ativa tem um impacto positivo em nossa felicidade e saúde mental.

7. Seja proativo

As pessoas que se beneficiam de um maior bem-estar psicológico são aquelas que estão sempre em movimento, Que são pró-ativos. Isso significa que eles se sentem fortalecidos e assumem certos riscos. É isso que Ryff quer dizer quando fala sobre autonomia.

8. Faça uma dieta saudável

A nutrição também está ligada à nossa saúde mental e emocional. Como diz o psicólogo Jonathan García-Allen: “Existe uma relação recíproca entre a comida e as nossas emoções. O que comemos não afeta apenas a forma como nos sentimos, mas o que sentimos também afeta a forma como comemos. Isso explica por que, quando estamos estressados, nossos hábitos alimentares mudam, ou que comer bem também afeta a maneira como nos sentimos ao longo do dia.

9. Pratique esportes

Outro hábito saudável é fazer exercícios. Embora muitas vezes associemos o exercício ao bem-estar físico, essa prática também nos afeta psicologicamente. Praticar esportes nos faz liberar substâncias químicas no cérebro, como endorfinas ou serotonina. Isso nos faz sentir melhor e muda nossa percepção da vida para melhor.

10. Pense e conecte-se consigo mesmo

É difícil parar por um momento e pensar sobre quem somos ou qual é nosso estado emocional hoje. O ritmo acelerado da sociedade em que vivemos torna difícil olhar para dentro. Estamos sempre à procura do mundo exterior.

Parar um segundo e pensar é uma das melhores alternativas para alcançar o nosso bem-estar.. Tudo o que você precisa fazer é gastar de 15 a 20 minutos por dia. Por exemplo, preencher um diário de emoções antes de ir para a cama.

  • Encontre todas as informações de que você precisa para preencher um diário de emoções neste artigo: “Gerenciando emoções: 10 chaves para controlar suas emoções”

11. Medite

Outra maneira de se conectar com você mesmo e suas emoções é por meio da meditação.. A meditação lhe dá um momento de paz interior e o ajuda a se conectar com você mesmo e com seu corpo. Estudos científicos mostram que as pessoas que praticam essa prática têm maior bem-estar psicológico, portanto, aprender a meditar tem um impacto muito positivo em nosso bem-estar.

12. Pratique gratidão e compaixão

Hoje, os psicólogos utilizam o Mindfulness como ferramenta terapêutica, cientes dos benefícios que proporciona para o bem-estar das pessoas. Mindfulness é uma filosofia que usa a meditação para estar no aqui e agora, mas também segue uma série de princípios ou valores. Estes são: consciência, auto-aceitação, estado de espírito sem julgamento, Compaixão e gratidão a nós mesmos e aos outros.

13. Viva no presente

Além disso, atenção plena é uma forma de estar no presente, de deixar de lado expectativas irracionais. Ajuda você a tomar consciência de suas próprias emoções para se conhecer. Estar presente. Porque se você não sabe onde está agora, dificilmente poderá ir a lugar nenhum.

14. Saia de seu conforto

Embora tenha sido mencionado anteriormente que as pessoas precisam ser proativas para desfrutar de um maior bem-estar porque isso era um sintoma de empoderamento, outro motivo para ser proativo é sair da sua zona de conforto. A zona de conforto é uma zona sem aprendizado, sem crescimento e que o limita quando se trata de crescimento e desenvolvimento. Não se desenvolver é não ter bem-estar psicológico. Portanto, ficar na zona de conforto não é bom para você.

15. Pratique a inteligência emocional

As emoções desempenham um papel muito importante no nosso bem-estar. Pesquisas mostram que pessoas emocionalmente inteligentes têm maior satisfação na vida e são mais felizes. Conhecer suas próprias emoções e as dos outros, e regulá-las se necessário, evita muitos conflitos e, em última análise, nos dá maior bem-estar.

Deixe um comentário