Instabilidade emocional: o que é e em que sinais pode ser detectado?

As emoções são a base de nossa atividade mental. Sem eles, não poderíamos orientar nosso comportamento para um objetivo específico, nem saberíamos aproximadamente o que queremos e o que não queremos em nossas vidas.

No entanto, ter um recurso como uma ampla gama de emoções tem um lado não tão positivo: a possibilidade de experimentar instabilidade emocional. Vamos ver o que é e como pode aparecer.


    O que é instabilidade emocional?

    A instabilidade emocional é um traço de personalidade que pertence ao espectro do neuroticismo e se expressa através da expressão de mudanças relativamente repentinas no estado emocional de uma pessoa.

    Em alguns casos, a instabilidade emocional pode ser virtualmente inofensiva, se o contexto estiver certo; mas em outros casos extremos, pode se tornar um fenômeno psicológico ligado ao desconforto tanto daqueles que o vivenciam na primeira pessoa quanto daqueles que estão próximos da primeira.

    Características de pessoas emocionalmente instáveis

    Dentre as características típicas de pessoas que sofrem de instabilidade emocional, destacam-se as seguintes.

    1. Preconceito a favor do desconforto

    De certa forma, pode parecer que pessoas emocionalmente instáveis ​​vivem a vida com intensidade, mas ser tão sensível às mudanças que ocorrem com cada situação muitas vezes faz com que elas focalizem sua atenção em aquelas experiências que os fazem se sentir mal, seja por raiva, tristeza ou medo.

    Isso se deve ao viés de tentar se afastar do desconforto, como meta prioritária, mais importante do que aproveitar esses momentos de felicidade.

    2. Mudanças rápidas de humor

    A instabilidade emocional torna os estímulos presentes facilmente impostos a estados emocionais derivados de experiências ocorridas recentemente, mesmo que as novas situações que desencadeiam essas emoções sejam aparentemente menos importantes do que o que nos aconteceu antes e nos deixou tão gostoso. Ou aquele gosto ruim na boca .

    Por exemplo, alguém com instabilidade emocional que passou no exame de direção há algumas horas pode ficar muito triste ao ver um comercial de TV com uma mensagem triste.

    3. Baixa tolerância à frustração

    Pessoas emocionalmente instáveis eles geralmente não entendem bem os momentos em que suas expectativas são frustradasPois eles veem essas situações como problemas adicionais pelo simples fato de serem inesperados.

    4. Relações pessoais complexas

    Em geral, pessoas com instabilidade emocional acentuada chegam a dificuldade em ter uma grande rede social e de apoioComo suas habilidades sociais são sentidas devido ao fraco controle sobre as emoções.

    O caso extremo: labilidade emocional

    Quando a instabilidade emocional se torna tão pronunciada que pode ser considerado um sintoma de um transtorno mental, É conhecido como labilidade emocional. É uma ocorrência comum em transtornos psicóticos, como esquizofrenia, ciclotimia ou transtorno bipolar.

    Nestes casos, a situação é grave e pode até vir acompanhada de outros sintomas que afetam fortemente os estados emocionais, como as alucinações.

      Você pode aprender a controlar suas emoções?

      Em casos não patológicos de instabilidade emocional, geralmente é possível treinar a capacidade de regular as emoções de maneiras úteis e adaptativas. Porém, para isso, costuma ser necessária uma intervenção psicológica com auxílio de profissionais dessa disciplina.

      O reino da inteligência emocionalEspecificamente, esta é uma área de foco que não indica nenhuma descoberta promissora. Por essa aptidão mental, sabemos que ela se relaciona com a inteligência geral (medida pelo IC) sem ser exatamente a mesma, e que tem a ver com a facilidade com que chegamos a ser felizes.

      Para usufruir de um melhor equilíbrio emocional, é necessário, portanto, passar por uma série de situações práticas que nos ajudem a refazer hábitos de vida que potencializem uma visão comum e coerente de nossas experiências, bem como uma modificação de nossas crenças fundamentais. é conhecido como reestruturação cognitiva. Desse modo, as enormes interpretações da realidade, que nos deixam propensos a repentinas mudanças de humor, perderão força em favor de uma percepção mais realista das coisas.

      Deixe um comentário