As 12 habilidades de liderança na era digital

Para exercer uma boa liderança na era digital, é necessário dominar todo tipo de habilidades relacionadas não apenas à gestão das próprias novas tecnologias em um mercado já bastante instável, mas também saber qual é a forma. e colaborar com os trabalhadores.

Vivemos em uma época em que cinco gerações diferentes vivem juntas no mundo dos negócios, gerações que pensam, agem e evoluem com as novas tecnologias de maneiras muito diferentes. Ignorá-lo é não saber o que esperar desde o início.


Abaixo iremos descobrir quais são as principais habilidades de liderança na era digital, Todos visam gerir todos os tipos de negócios e contribuir para uma boa cultura organizacional.

    As competências e habilidades mais importantes do líder na era digital

    Para ter sucesso em qualquer organização, quem está encarregado de tudo deve saber exercer uma boa liderança. Para fazer de qualquer empresa uma organização eficiente, produtiva e com grande potencial, é necessário conhecer e compreender como está a evoluir o mercado em que atua, um mercado que se antes do surgimento das novas tecnologias era muito instável, agora não é. mais tempo na era digital.

    O ambiente atual de negócios está mudando, volátil, complexo e incerto. Líderes e executivos de organizações frequentemente se deparam com situações desconhecidas, muitas das quais causam grande confusão e grande medo, um medo natural que não pode ser administrado envolve ruína. É por isso que as pessoas na vanguarda de qualquer negócio devem considerar as seguintes habilidades de liderança na era digital.

    1. Boa comunicação

    Um líder na era digital deve ter boas habilidades de comunicação, de forma clara, direta e eficaz. Seja um executivo, um gerente ou algum outro cargo de alto nível, o líder deve atuar como uma espécie de diretor de comunicação. O objetivo é que as mensagens e diretrizes sejam transmitidas por toda a organização de forma completa, chegando de forma clara e inequívoca ao equipes que o compõem. Uma mensagem clara e bem transmitida permite que outros profissionais saibam o que se espera deles e quais são seus objetivos..

      2. Controle do senso de urgência

      Na era digital os tempos de execução do processo foram reduzidos devido a menos etapas necessárias. Isso, por sua vez, significa que os resultados finais são pré-encomendados, porque se um método mais rápido estiver disponível, não há necessidade de atrasá-los tanto quanto antes. No entanto, ao especificar as metas e necessidades de negócios, deve ficar claro quais são as prioridades e o que precisa ser feito com urgência.

      O senso de urgência deve ser lógico e bem mensurado e é um aspecto que deve ser levado em consideração na tomada de decisões.. Haverá coisas que precisam ser feitas o mais rápido possível, enquanto outras, embora importantes, podem esperar. O líder deve ter uma boa noção do senso de urgência, que também deve ser flexível, pois em várias ocasiões o que não era considerado urgente pode se tornar algo que precisa ser feito agora, com mudanças na lista de prioridades.

      3. Credibilidade e autenticidade

      Um bom líder é aquele que é confiável e consistente com o que diz e faz. Você precisa ser honesto com a mensagem que está enviando, além de ser honesto em sua tomada de decisão. Ele deve permanecer fiel à sua própria identidade e às suas próprias experiências, incluindo os valores, crenças, emoções, necessidades e objetivos que o caracterizam como aquela pessoa na vanguarda de tudo. E essa deve ser refletido em sua identidade digitalConsiderando quais são os principais nós de transmissão de mensagens e em que um está mais exposto à opinião pública.

      4. Coragem na tomada de decisão

      Como se pode imaginar e mais de um viveu, o mundo dos negócios não é um caminho de rosas. Em mais de uma ocasião, eles passarão por momentos difíceis em que terão que tomar decisões arriscadas e difíceis..

      Embora urgentes, essas decisões não devem ser tomadas em desespero. Deve haver sempre um processo de reflexão aprofundado e os prós e os contras devem ser considerados, de acordo com o que se segue.

      5. Empatia

      Um líder não é um robô frio e calculista que pensa apenas na empresa como uma máquina. O líder precisa ser empático, levando em consideração o que os trabalhadores estão sentindo e pensando, pois sua eficácia depende muito do seu humor.

      Frustração, decepção e medo são sentimentos que podem impedir um grande projeto, perfeitamente possível, de seguir em frente.. Como líderes, precisamos saber reconhecer esses sentimentos e saber redirecionar a situação para transformar essas dúvidas e medos em esperança, motivação, entusiasmo e foco na resolução de objetivos.

      6. Inteligência contextual

      o líder para entender o ambiente particular em que a organização ou grupo de trabalho se encontraEm outras palavras, ter inteligência contextual. Nesta habilidade, três elementos fundamentais são considerados:

      Primeiro, temos uma visão retrospectiva, que trata de construir e valorizar o que foi aprendido ao longo da história da organização e que continua sendo útil.

      Em segundo lugar, temos visão, ligada à capacidade de conseguir o que se deseja alcançar e de articular as ações a serem realizadas para obtê-lo.

      Por fim, temos a convergência que permite uma boa integração dos dois aspectos anteriores, utilizando-os para identificar e definir o futuro almejado.

      7. Inteligência estratégica

      Nesse contexto, podemos definir inteligência estratégica como a capacidade de antecipar tendências e desenvolvimentos de mercado, Um mercado que no seu aspecto digital é muito instável e inseguro. Além da evolução do mercado, o líder deve levar em consideração a cadeia de valor da própria organização e liderar a transformação no ambiente digital desejado. É a capacidade de visualizar o impacto do futuro nos resultados da empresa.

      8. Adaptabilidade e velocidade de aprendizagem

      O líder deve ter grande adaptabilidade e ágil capacidade de aprendizado, deve ser muito flexível com as mudanças que ocorrem no mercado. é fundamental aprender rapidamente com as experiências enfrentadas com um determinado comportamento de mercado e ser capaz de aplicá-lo imediatamente a todos os tipos de novos contextos. Essa capacidade de aprendizado ágil nos permite lidar com a ambigüidade e a incerteza que muitas empresas enfrentam hoje, pois com tantas mudanças no mercado, os líderes podem ficar indecisos sobre qual nova estratégia implementar.

      9. Combinação de sedução e talento

      As empresas de hoje são lugares onde até 5 gerações diferentes compartilham um espaço, cada uma com uma abordagem diferente para novas tecnologias e formas variadas de ver a vida organizacional:

      • tradicionalistas (1928-1945)
      • baby boomers (1946-1964)
      • geração X (1965-1980)
      • geração I (1980-1990)
      • geração Z (1990-2000)

      As últimas duas gerações, e em particular a Z, são consideradas nativas digitais. Essas pessoas cresceram em ambientes onde novas tecnologias estavam emergindo no ambiente de trabalho e educação ou já eram amplamente implementadas. Nos dois genes I e X, o uso de computadores e a busca de informações são feitos de forma rápida e superficial, mas de forma eficiente, enquanto nas três gerações anteriores opta-se por ler tudo e agir muito mais devagar com isso. tecnologias.

      Esses aspectos aparentemente contraditórios podem ser explorados em uma organização, desde que a liderança seja devidamente exercida. O líder deve seduzir e combinar talentos, sabendo que quanto mais veteranos são muito mais cuidadosos com o que escolhem, enquanto as novas gerações buscam velocidade. Diferentes habilidades, estilos, motivações e objetivos entre as gerações devem ser levados em consideração, aproveitando cada tipo de situação.

      10. Capital psicológico

      No nível individual, podemos relacionar o capital psicológico à sua satisfação e desempenho pessoal. No mundo dos negócios, pode ser associado a quatro estados psicológicos, representados pela sigla HERO em inglês:

      • Esperança: o estado está associado ao desejo e ambição necessários para ser consistente na realização de metas? estabelecido.
      • Eficácia (Eficácia): é a capacidade de atingir os objetivos definidos em contextos dinâmicos, instáveis ​​e imprevistos.
      • Resiliência: O líder deve ter a capacidade de enfrentar qualquer adversidade que possa surgir, resistir à mudança e gerenciar a incerteza do ambiente de negócios.
      • Otimismo: Você deve ter a capacidade de associar eventos positivos aos membros da equipe e ver os eventos negativos que podem surgir como aprendizado, situações que, por mais sérias que sejam, envolverão um maior conhecimento.

      11. Pensamento criativo e inovador

      O pensamento criativo é uma das principais habilidades nos negócios e, de fato, é visto como a chave para a década de 2020. De uma perspectiva estratégica, o líder deve se posicionar como fonte e impulsionador de inovação bidirecional. Isso faz a diferença especialmente em um contexto histórico onde a Internet e o desenvolvimento de novas tecnologias permitem o rápido desenvolvimento de ferramentas e invenções de todos os tipos e têm grande impacto.

      Por um lado, o líder deve atuar estabelecendo um ambiente de trabalho voltado para a criação e inovação de novos métodos e, por outro, deve servir como meio de competitividade diante das mudanças e dos ambientes com os quais está confrontado.

      12. Liderança coletiva

      A liderança atual não é autoritária ou associada a poder ou posiçãoDeve ter como foco facilitar e capacitar os colaboradores, cada um com visão e opinião sobre as ações realizadas na empresa. A liderança coletiva deve ser exercida, ou seja, envolvendo os funcionários na análise e na tomada de decisões, ao invés de decidir sobre uma estratégia unilateralmente.

      Isso ajuda a gerar empatia, comprometimento e motivação entre os colaboradores da organização. A liderança colaborativa é usada para promover a tomada de decisão descentralizada, promovendo altos níveis de colaboração e a sensação de que os objetivos dentro da empresa são compartilhados por todos os membros da equipe.

      resumo

      Cultivar todas essas habilidades possibilita o poder exercer liderança eficaz, colaborativa, criativa, inovadora e estratégica na era digital. O mundo dos negócios de hoje é um ambiente de incertezas, um lugar ambíguo, dinâmico e complexo no qual o líder e seus liderados têm que trabalhar em equipe, se adaptar ao contexto de negócios e trabalhar as habilidades emocionais e profissionais para seguir em frente. com qualquer evento adverso. Uma visão estratégica de longo prazo e otimista deve ser priorizada.

      A Internet e as novas tecnologias em geral continuarão a ser um motor de transformação, oportunidade e crescimento em qualquer organização, mas, para isso, são essas organizações que devem saber se adaptar aos novos métodos da era digital. Uma liderança que leva em conta as novas características da economia digital permitirá que todos os tipos de organizações de sucesso cresçam e dêem os primeiros passos.

      Referências bibliográficas:

      • Serrato-García, MA (2019) Você quer ser um líder na era digital? Aqui estão as 11 habilidades que você precisa desenvolver. Espanha. Contratante.
      • Alami, Z. (sf). Como desenvolver liderança na era digital? Dinamarca. Internacionalmente.

      Deixe um comentário