Echinacea: Quais são as propriedades e benefícios desta planta?

Echinacea é um tipo de erva que tem sido usada para tratar sintomas de resfriado comum e outras alterações no sistema imunológico, incluindo algumas tão graves como o câncer; no entanto, a pesquisa disponível não apóia a eficácia desta erva para qualquer aplicação terapêutica.

Neste artigo iremos analisar os usos, efeitos colaterais e eficácia terapêutica da equinácea de acordo com estudos realizados em torno deste remédio natural.


    O que é Echinacea?

    As plantas do gênero Echinacea são nativas da América do Norte. Desde os tempos antigos, foram atribuídas a eles várias propriedades curativas; assim, os índios Pawnee usavam Echinacea para dores de cabeça e Lakotahs como um analgésico geral, enquanto as tribos Kiowa e Cheyenne a usavam para resfriados e dores de garganta.

    Existem nove espécies de plantas classificadas no gênero Echinacea. Os dois mais comumente usados ​​como suplementos alimentares são Echinacea purpurea e Echinacea angustifolia; Echinacea pallida, paradox, simulata, atrorubens, laevigata, sanguinia e tennesseensis também são encontrados.

    O consumo oral (principalmente na forma de chá e suco) e o uso da equinácea como medicamento é feito a partir do preparo de suas raízes e flores, ou de extratos de outras partes do corpo. Às vezes, os segmentos da planta são deixados para secar, enquanto em outros casos são usados ​​extratos frescos e acabados.

      Para que serve isso?

      Echinacea é usado atualmente para tratar diferentes tipos de doenças físicas. As aplicações mais comuns dessas ervas incluem o tratamento de resfriados, embora várias outras propriedades também tenham sido descritas. Desta maneira Echinacea é comido como um suplemento nutricional ou aplicado na pele em formato tópico.

      Por exemplo, alguns medicamentos para equinácea são usados ​​para tratar problemas de pele; É comum que esse tipo de produto seja aplicado para prevenir infecções em feridas recentes, entre outros usos. Há mesmo quem tenha chegado a afirmar que a Echinacea pode ser usada como remédio para doenças imunológicas muito graves, especialmente câncer.

      Esta última aplicação está ligada à crença de que a Echinacea tem efeitos estimulantes no sistema imunológico, tornando sua atividade mais eficaz no combate a todos os tipos de infecções, incluindo aquelas associadas a resfriados e gripes.

      Por outro lado, algumas espécies de Echinacea também são utilizadas com alguma frequência para fins decorativos, especialmente em jardins. Echinacea também é plantada com o propósito de reabilitar áreas naturais danificadas ou empobrecidas, em particular pastagens; são plantas que se reproduzem rapidamente e com flores muito resistentes ao mau tempo e às estações.

      Tem realmente algum efeito terapêutico?

      Muitas das pesquisas sobre a eficácia da equinácea como medicamento foram conduzidas em relação à sua aplicação mais comum: o tratamento do resfriado comum. No entanto, ainda precisamos de mais estudos científicos para avaliar de forma confiável os possíveis efeitos terapêuticos da equinácea sobre outras alterações.

      Os resultados dos estudos disponíveis indicam de forma confiável que a equinácea não reduz a duração dos sintomas de resfriado, uma vez que eles ocorreram. Nesse sentido, a eficácia da equinácea no tratamento do resfriado comum seria semelhante à de um placebo.

      Não se sabe no momento se esta erva pode ser útil na prevenção de resfriados; algumas pesquisas sugerem que esse efeito pode ter algum grau, embora não tenha sido definitivamente demonstrado. Os possíveis componentes ativos e a ação da bactéria equinácea no sistema imunológico humano estão atualmente sendo analisados.

      Por outro lado, a fundação britânica Cancer Research UK afirmou em um estudo de 2012 que não há evidências da eficácia da equinácea no tratamento do câncer. O mesmo se aplica ao uso desta erva para minimizar os efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia.

      Efeitos colaterais e reações adversas

      Os efeitos dos produtos que contêm equinácea podem variar amplamente, dependendo de diferentes fatores. Não só a espécie ou parte da planta utilizada é relevante, mas também os demais componentes que compõem o produto em questão.

      A pesquisa sugere que a Echinacea é segura o suficiente para a maioria das pessoas em curto prazo, embora os efeitos em longo prazo não tenham sido estudados. Quando ocorrem efeitos colaterais, os mais comuns afetam o sistema gastrointestinal; por exemplo, náuseas, vômitos e dor abdominal são relativamente comuns.

      Em alguns casos, aparecem reações alérgicas que podem ter um grau significativo de gravidade. Esses tipos de respostas fisiológicas são mais comuns em pessoas predispostas que têm outras alergias diferentes.

      Deve-se notar que, em muitos casos, os suplementos dietéticos e as curas ou medicamentos para equinácea não são fabricados regularmente, e também é muito comum que não tenham sido testados em humanos antes de serem comercializados. Portanto, deve-se ter cuidado ao usar produtos que contenham equinácea.

      Deixe um comentário