A dieta mais eficaz: em que consiste um teste nutrigenético?

Nos últimos anos, os testes nutrigenéticos foram posicionados como uma ferramenta fundamental dentro da nutrição personalizada; ou seja, um conselho nutricional totalmente adaptado e individualizado para quem o solicita.

Nutrigenômica é parte da nutrigenômica, a ciência que une nutrição e genética. Especificamente, ele estuda como nossos genes podem influenciar ou determinar a resposta a um determinado nutriente ou dieta.


    A boa nutrição tem muito a ver com genes

    Ao nascer, herdamos 50% da informação genética de cada um de nossos pais, o que nos torna únicos e insubstituíveis. Por esse motivo, cada pessoa terá maior ou menor probabilidade de desenvolver uma patologia, ou estará predisposta a apresentar um fenótipo específico.

    A comida não deveria ser menos: mais e mais estudos estão surgindo mostrando o impacto que a genética pode ter sobre a forma como comemos. Desta evidência científica surge a necessidade de analisar variantes genéticas intimamente relacionadas à dieta e patologias associadas.

    E como é possível analisar genética? A tecnologia está avançando rapidamente a cada ano, e o que na virada do século hoje custou milhões de dólares pode ser alcançado a um custo muito baixo em comparação. A genética de uma pessoa (seu DNA) pode ser analisada por meio de uma amostra de sangue ou, mais simplesmente, de uma amostra de saliva. Este último é o que geralmente é usado para realizar testes nutrigenéticos.

      Como funciona a nutrigenômica aplicada?

      O processo de coleta de amostra é muito simples. A empresa ou laboratório em questão disponibiliza um kit, onde encontrará todos os passos a seguir de forma fácil e rápida. Na caixa está um tubo para coletar a saliva e, geralmente, um conservante que preservará o DNA até a hora de analisá-lo. É apenas um pequeno líquido que deve ser adicionado diretamente na amostra antes de enviá-la para o endereço fornecido pelo fabricante.

      O procedimento de análise nutrigenética é minimamente invasivo e fácil. No entanto, para obter a melhor amostra possível, há várias coisas a se ter em mente. Não há necessidade de comer ou fumar por uma ou duas horas antes de coletar a amostra. Escovar os dentes ou beber qualquer coisa que não seja água também não é recomendado.

        Análise laboratorial

        Assim que a amostra chega ao laboratório, o processo de extração e purificação do DNA da saliva começa e, em seguida, analisa as variantes genéticas relevantes.

        Essas variantes são chamadas polimorfismos de nucleotídeo único, isto é, variações de uma única base de nitrogênio em uma posição particular no genoma. Portanto, não é um teste de sequenciamento em massa de todo o material genético, mas apenas posições muito específicas dentro do genoma são analisadas.

        O genoma humano é composto por mais de um trilhão de pares de bases, portanto, existem milhares de variações possíveis, cuja combinação única em um organismo é o que nos torna únicos e insubstituíveis.

        Mas então quais são essas variantes que eles analisam? Com base em fortes evidências científicas, variantes que têm sido intimamente associadas com alimentos e predisposição para desenvolver doenças metabólicas são escolhidas, como obesidade ou diabetes.

          Como isso nos ajuda a estimar o risco de desenvolver doenças?

          Geralmente, cada laboratório desenvolve um índice de risco genético que agrupa as várias variantes selecionadas vinculadas a um parâmetro de interesse. Ou seja, se foi constatado que a presença de 8 variantes predispõe a apresentar maior índice de massa corporal, todas elas são agrupadas para desenvolver o índice genético de risco de obesidade.

          Se uma pessoa tiver mais de uma dessas variantes, o risco genético de desenvolver obesidade será maior em comparação com outra pessoa que tem apenas uma ou duas variantes. O risco genético de obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão ou intolerância ao glúten são alguns dos parâmetros geralmente levados em consideração.. Além disso, a resposta de uma pessoa a uma dieta específica ou dieta baseada na genética também é estudada.

          Com base em diferentes variações, pode-se determinar se uma pessoa responderá melhor ou pior a uma dieta hipocalórica ou rica em proteínas, por exemplo. Todas essas informações são de grande utilidade para o nutricionista-nutricionista no planejamento de uma dieta levando em consideração a situação e o objetivo do paciente. Todos esses resultados são geralmente apresentados em um relatório mais ou menos visual, de forma que seja intuitivo e de fácil compreensão.

          Qual é o melhor teste nutrigenético?

          Atualmente, existem várias empresas e laboratórios que oferecem este serviço.. Cada teste nutrigenético irá analisar algumas variantes ou outras, dependendo dos critérios do laboratório que o desenvolveu.

          Por isso é muito importante estar bem informado antes de optar por uma opção. Deve ter sido desenvolvido por especialistas líderes na área, cujos critérios científicos são apoiados por anos de experiência e pesquisa.

          Isso é um teste de vida?

          Sim, mas há vários fatores a serem considerados. O material genético que herdamos de nossos pais será o mesmo pelo resto de nossas vidas. Com exceção das mutações pontuais que podem ocorrer ao longo de nossas vidas, o DNA de uma pessoa não muda. Portanto, a mesma variante na mesma posição do genoma será a mesma para uma pessoa, seja ela analisada por um laboratório ou outro.

          No entanto, isso pode alterar a interpretação dos resultados, uma vez que um painel de especialistas pode considerar variações diferentes das de outro grupo de especialistas como relevantes. Por isso, é interessante conhecer a trajetória científica da empresa ou laboratório em questão, como por exemplo o critério da equipe científica por trás de cada teste nutrigenético é muito importante.

          Em suma, um teste nutrigenético pode fornecer informações valiosas que ajudam uma pessoa a determinar sua predisposição às doenças metabólicas mais comuns. Da mesma forma, o nutricionista-nutricionista pode utilizá-lo para personalizar ao máximo as recomendações dietéticas. A revolução ômica já está aqui!

          Oorenji: Nutrição de precisão que integra Nutrigenética

          Oorenji é um aplicativo interativo que vai te ajudar a planejar facilmente seu cardápio semanal personalizado, garantindo o equilíbrio nutricional e as rações recomendadas de cada alimento (carne, peixe, frango, legumes, frutas, verduras e grãos).

          O algoritmo de inteligência artificial da Ooreji leva em consideração além de cada uma das variáveis ​​gerais e típicas do usuário (idade, sexo, atividade física ou condição física da pessoa), a integração da informação genética é obtida a partir da análise de uma amostra de saliva.

          Você pode baixá-lo diretamente das lojas oficiais do Android e da Apple.

          Autor: Marta Alonso, nutricionista-nutricionista.

          Deixe um comentário