Hipotálamo: definição, características e funções

A parte mais característica do cérebro é sua superfície cheia de dobras e rachaduras, mas por baixo dessa camada de células estão muitas outras estruturas cerebrais, sem as quais não poderíamos pensar nem nos adaptar ao ambiente. Alguns deles, como o cerebelo, são mais ou menos conhecidos porque acabam salientes e são fáceis de ver, mas outros são muito mais escondidos, como o hipotálamo.

É claro que o fato de o hipotálamo ser pequeno e bem mais discreto do que outras partes do cérebro não nos dá nenhuma idéia de sua importância. O papel que o hipotálamo desempenha em nossa sobrevivência é de suma importância, Porque, entre outras coisas, é responsável por coordenar e comunicar dois mundos aparentemente independentes: o dos neurônios e o dos hormônios que navegam em nosso sangue.

Qual é o hipotálamo?

O hipotálamo é, junto com o tálamo, uma das partes da estrutura do cérebro chamada diencéfalo, Que está localizado no centro do cérebro humano, abaixo do córtex cerebral e acima do tronco cerebral.

Seu nome se refere diretamente ao lugar que ocupa: “hipotálamo” significa literalmente “sob o tálamo”. Na verdade, se olharmos para o desenho de uma seção sagital de um cérebro humano veremos que o hipotálamo parece ser o monte do tálamo, que é um pouco maior.

Funções desta parte do cérebro

O hipotálamo é uma das estruturas cerebrais com um papel mais importante na regulação do humor, Temperatura corporal, sono, impulsos sexuais, fome e sede.

Por causa de sua relação com a regulação e as emoções e estados fisiológicos, o hipotálamo é considerado parte do sistema límbico, o conjunto de partes do cérebro diretamente relacionadas à geração de emoções. Indiscutivelmente, o hipotálamo é responsável por colocar em movimento e coordenar uns com os outros a maioria dos processos que nos permitem sobreviver e nos adaptar a situações de mudança.

Além disso, o hipotálamo está próximo ao tronco encefálico porque está envolvido nas funções básicas que garantem nossa sobrevivência e, portanto, é exercido involuntariamente, sem que percebamos. Além de atuar como ponte entre o cérebro e o sistema endócrino, coordena tudo o que é feito pelo sistema nervoso autônomoOu seja, aquele que manda as partes do corpo se adaptarem a cada situação.

Alguns dos processos responsáveis ​​pela regulação do hipotálamo incluem:

  • Níveis de sono e o ciclo circadiano.

  • Excitação sexual e o comportamento associado a ela.

  • O nível de fome.
  • Pressão arterial.
  • Tensão muscular.
  • Temperatura corporal.
  • Níveis de energia disponíveis.

Um processo vital: homeostase

O hipotálamo recebe constantemente informações de todas as partes do corpo e dá ordens de acordo, porque seu trabalho é fazer com que tudo o que acontece dentro do corpo perturbe o equilíbrio do funcionamento de todo o corpo. É por isso que atua como mediador das diferentes partes do corpo, estejam ou não em contato com o cérebro; para influenciar as partes mais distantes, permite que hormônios sejam liberados no sangue que em poucos minutos chegam ao seu destino para desencadear o processo necessário.

Por exemplo, se virmos algo que pode ser potencialmente perigoso, o hipotálamo se certificará de que tudo o que está acontecendo no corpo está funcionando de forma consistente com a preparação para responder rapidamente. Não permitirá que o coração comece a bater mais rápido sem muitos outros órgãos agindo de acordo: os músculos se contraem, a quantidade de energia disponível no sangue aumentará, etc.

Da mesma forma, se não comermos o hipotálamo por muito tempo, isso fará com que os neurônios do sistema límbico gerem uma dinâmica que faz surgir a sensação de fome, ao mesmo tempo que afeta a forma como as gorduras e os açúcares estão disponíveis no corpo. estão queimados. Tudo isso ao mesmo tempo, para que haja sempre um equilíbrio e a propriedade da homeostase seja mantida.Ou seja, a capacidade de manter a estabilidade na maneira como as coisas funcionam.

O hipotálamo e sua ligação com a glândula pituitária

O fato de o hipotálamo estar envolvido na regulação de muitas funções vitais significa que ele deve ser capaz de enviar comandos que atingem partes muito diferentes do corpo. Além disso, alguns dos efeitos que deve produzir devem ser mais ou menos instantâneos, enquanto outros parecem retardados e permanecem ativos por mais tempo.

Como o hipotálamo consegue cobrir toda essa gama de responsabilidades? portanto atuando como uma dobradiça entre o sistema nervoso e o sistema endócrino. Como o hipotálamo está inserido em um local muito bem comunicado do cérebro (é muito próximo ao seu centro), sua conexão com o resto do sistema nervoso é muito fácil, mas também se conecta com o sistema endócrino através de uma pequena estrutura chamada glândula pituitária, Ou glândula pituitária.

A hipófise está localizada logo abaixo do hipotálamo e está muito bem conectada a ele, que dedica-se à execução das ordens que este lhe passa: basicamente causa a liberação de hormônios. O hipotálamo cruza os dados do sistema nervoso com os dados que chegam até ele sobre a quantidade e o tipo de hormônios que circulam no sangue.

Quando detecta um desequilíbrio, faz com que a hipófise secrete certos hormônios que serão introduzidos na corrente sanguínea. Dessa forma, os processos biológicos necessários para melhorar as chances de sobrevivência serão ajustados.

Como o hipotálamo tem efeitos no cérebro e em muitas outras partes do corpo que eles reagem à presença de hormônios no sangueSeus efeitos são perceptíveis em milissegundos e minutos.

Deixe um comentário