Teoria da biogênese: explicando o surgimento da vida

A própria vida esconde muitos segredos que escapam à compressão humana. Um dos maiores mistérios é a origem de toda a vida, uma ideia que permeou o pensamento da humanidade e que sempre foi tentadora para a nossa curiosidade. Portanto, várias tentativas têm sido feitas para explicar esta etapa, seja pela fé ou pela ciência.

Muitas teorias surgiram ao longo da história na tentativa de explicar a origem da vida, como a teoria da biogênese. Este modelo indica que a vida só pode ser gerada a partir de uma vida pré-existente. Muito fácil de entender: uma galinha nasce dos ovos de outra. Não é uma explicação muito mais misteriosa, mas sua importância reside no fato de enfatizar o tema da origem da vida, pois na época de seu aparecimento predominava a ideia de geração espontânea.


    No início: a teoria da geração espontânea

    A verdade de que não se pode falar de biogênese sem antes evocar o modelo que suplantou o panorama científico e popular. A geração espontânea propôs que a vida pode ser gerada a partir de matéria inerte. Essa ideia surgiu da constatação de que, após a putrefação de uma amostra orgânica, aparecem insetos e microrganismos que antes não existiam.

    Foi um grande sucesso para a teoria da biogênese refutar um padrão enraizado no design do mundo por muitos anos. A ideia de geração espontânea remonta à Grécia antiga, da mão de Aristóteles; o filósofo argumentou que certas formas de vida poderiam surgir sem mais demora a partir de matéria inerte. Por exemplo, vermes saem da lama aquecida ou moscas da carne podre.

    Essas crenças propostas por Aristóteles sobreviveram por muitos séculos sem que ninguém as questionasse. Não foi até o século 17 que alguém quis negar a ideia. tem sido e o naturalista italiano Francesco Redi.

    A experiência de Redi

    Este pesquisador planejou um experimento para mostrar que os insetos não se reproduzem espontaneamente. Para isso, colocou oito tipos de carne em oito potes de vidro, deixando quatro deles completamente descobertos, enquanto a outra metade os cobriu com gaze, o que permitiu que o ar passasse, mas não os insetos.

    Depois de alguns dias, as carnes descobertas exibiam larvas, enquanto as cobertas aparentemente não tinham vida. O resultado do experimento mostrou que as moscas devem colocar seus ovos na carne para que outras de suas espécies apareçam. É uma experiência ligada à teoria da biogênese e que teria conseguido expulsar a geração espontânea sem as descobertas do holandês Anton Van Leeuwenhoek, o pai da microbiologia.

    Leeuwenhoek, alguns anos depois que o italiano conduziu sua pesquisa, repetiu o experimento de Redi, mas desta vez examinou as carnes ao microscópio. Nas carnes descobertas e cobertas, podem ser observados microrganismos, resultado que tem mantido as ideias de geração espontânea também viáveis, pelo menos para esses organismos vivos.

    A experiência de Pasteur

    A teoria da geração espontânea durou mais alguns séculos, embora tenha havido tentativas anteriores de refutá-la, como as do padre Lazzaro Spallanzani, que mostrou que, se fecharmos cuidadosamente um recipiente com caldo e calor, nenhum microrganismo se desenvolverá; mas os defensores da ortodoxia na época atribuíram isso ao fato de que ele matou toda a sua vida aquecendo-a.

    Não foi até 1861, quando o químico francês Louis Pasteur comprovado inequivocamente que essas crenças eram falsas, mostrando evidências a favor da teoria da biogênese. O experimento que ele propôs consistia em colocar uma solução nutritiva em um frasco em forma de S. Esta silhueta permite a entrada de ar, mas não de microorganismos, porque eles ficam retidos na curva. Em seguida, o enchimento do frasco era aquecido para a retirada de quaisquer microrganismos que já estivessem presentes na solução.

    O resultado foi que a solução permaneceu inalterada por semanas, mas se quebrasse o gargalo do balão, dentro de alguns dias a amostra ficou contaminada. Isso mostrou que os microrganismos que crescem no material inerte foram de fato atraídos para o ar, e não que serão gerados espontaneamente.

      A teoria da biogênese e sua relevância

      À medida que progredi, a teoria da biogênese tem poucos mistérios, embora seja fácil de ver no caso de nascimentos de animais, não foi tão fácil de entender em outros campos, como no caso da putrefação.

      No entanto, a teoria da biogênese não explica a origem da vida, porque não tem como indicar qual foi o primeiro organismo vivo. Por isso existem outras teorias sobre a origem, muitas delas são abiogênese, ou seja, a origem da vida era matéria inorgânica, mas apenas o começo. Existem até teorias de exogênese, segundo as quais a vida veio de fora do planeta Terra. Em qualquer caso, a origem da vida permanece um mistério.

      Deixe um comentário