O que é um texto argumentativo? Definição, exemplos e tipos

Existem muitos tipos de textos que podemos encontrar quando navegamos na internet, no local de trabalho, em um ambiente de entretenimento, etc. Cada um deles tem certas funções e características. Um deles é o texto argumentativo.

Como o nome sugere, esse tipo de texto tem como objetivo apresentar uma série de argumentos a favor ou contra um assunto, para persuadir o leitor a compartilhar esse ponto de vista. Neste artigo, conheceremos sua definição, funções, alguns tipos, usos, exemplos e as seções que contêm.

O que é um texto argumentativo?

Um texto argumentativo é aquele que visa mostrar opiniões a favor de um determinado tópico e convencer ou persuadir o leitor em ideias ou posicionamentos específicos.

Em outras palavras, pode buscar mudar a opinião do leitor (caso o leitor pense diferente), ou oferecer argumentos sólidos que ratifiquem e reforcem suas idéias, caso sejam idênticas àquelas coletadas pelo mesmo texto.

O texto argumentativo, no entanto, também pode incluir ideias que procuram refutar uma tese, para confirmar outra. Assim, o propósito fundamental desses textos é persuadir o leitor de uma determinada ideia ou ideias.

o argumento

Dessa forma, o argumento aparece principalmente no texto argumentativo, ou seja, na incorporação de exemplos e ideias que demonstram uma ideia ou uma tese. Cícero definiu argumento como “o discurso pelo qual a evidência é apresentada para dar crédito, autoridade e fundamento à nossa proposição”.

Através, o raciocínio em torno de um assunto é expresso por escrito. Por exemplo, um texto argumentativo pode ser um texto a favor do aborto e conter argumentos a favor do aborto e argumentos contra sua proibição.

Além dos elementos e recursos argumentativos, o texto argumentativo também é elaborado por meio da exposição; a exposição consiste em mostrar um certo número de elementos relativos a um assunto, e não tanto para “provar” como o argumento sugere.

As funções

A principal função de um texto argumentativo é a função de chamada da linguagem, em particular graças aos elementos argumentativos que contém. Esta função, também chamada de função conativa, refere-se ao tentativa do remetente da mensagem de influenciar o comportamento do destinatário.

Por meio dele, o remetente espera que o destinatário demonstre algum tipo de reação após ouvir ou ler o texto. Portanto, esta função concentra-se no receptor.

No entanto, essa não é a única função que desempenha; também cumpre uma função referencial, Através dos elementos expositivos mencionados acima. Esta função refere-se ao ato de transmitir informações objetivas sobre o mundo que nos rodeia; ou seja, concentra-se em mostrar, expressar, comunicar, transmitir ideias, etc.

modelo

Um texto argumentativo pode ser de diversos tipos: científico, filosófico, político, jornalístico, opinativo, jurídico … dependendo do assunto tratado e de suas características. Vamos ver rapidamente o que alguns deles são.

1. Textos científicos

Um texto argumentativo científico, por sua vez, pode ser de diferentes tipos, dependendo do assunto de que se trata: psicológico, teológico, linguístico …

A característica essencial dos textos científicos é que eles são baseados em fatos e dadosEm outras palavras, seus argumentos são desenvolvidos graças a conhecimentos empíricos e sólidos. Em outras palavras, baseiam-se em fatos comprovados ou demonstráveis, bem como em dados estatísticos.

Neste tipo de texto, encontramos como exemplos artigos científicos, relatórios de pesquisa, dissertações, etc.

2. Textos jornalísticos

Em textos jornalísticos argumentativos, o objetivo é o mesmo, persuadir o leitor a compartilhar ou rejeitar uma ideia. No entanto, uma visão mais parcial é tomada aqui do que no texto científico, e a importância de criar uma narrativa compreensível está ganhando espaço em relação à importância de expor dados concretos.

Exemplos deste tipo de texto são as resenhas críticas (por exemplo, uma resenha de cinema, música, comida …) e cartas de leitores (onde expressam sua opinião sobre um assunto).

3. Textos legais

Textos jurídicos ou judiciais podem ter como objetivo, por exemplo, impedir o leitor de tomar ações legais contra o emissor, ou alterar algum tipo de declaração, revogar uma cobrança, etc. Em outras palavras, isso quer dizer eles buscam a reação e a resposta do destinatário a um problema jurídico.

Por outro lado, os textos jurídicos geralmente estabelecem uma série de condições ou restrições relativas a um determinado tipo de ação. Eles geralmente são escritos por advogados, juízes ou notários.

Exemplos deste tipo de texto, ou elementos que normalmente são encontrados neste tipo de documento, são: sentenças, declarações, apelações, notificações judiciais, etc.

4. Debates orais

Os debates orais, quando ocorrem em um contexto formal, são seguidos de um texto argumentativo que os apóia. Debates orais podem ser realizados em fóruns de opinião, por exemplo, ou na televisão como parte de uma campanha política, etc.

Neles, vários palestrantes apresentam sua visão, ponto de vista ou perspectiva em relação a um tema comum.

usa

Os textos argumentativos, além disso, eles são amplamente usados ​​em publicidade e propaganda, Para persuadir o destinatário a comprar um determinado produto ou contrato para um determinado serviço; eles também são usados ​​para apoiar campanhas de conscientização.

Por outro lado, na linguagem oral que usamos no dia a dia, também existem muitas ideias que poderiam ser encontradas em um texto argumentativo (que é escrito).

Em outras palavras, diariamente e em uma infinidade de contextos, usamos a argumentação para convencer ou persuadir os outros de algo em que estamos pensando; fazemos com os nossos pais (por exemplo, para nos deixar sair), com os nossos professores (por exemplo, para fazer um exame), com os nossos patrões (para aumentar o nosso salário), etc.

Esses exemplos são encontrados não apenas em contextos informais (família, rua …), mas também em contextos formais (em mesas redondas, em debates políticos, em reuniões de trabalho, etc.). Assim, embora não sejam textos estritamente argumentativos (porque não são documentos escritos, mas sim linguagem oral), se nós usamos argumentos diariamente, Bem como outros elementos que podem ser encontrados neste tipo de texto.

Seções

Normalmente, um texto argumentativo consiste nestas seções essenciais: uma introdução, o desenvolvimento (corpo argumentativo) e uma conclusão.

1. Introdução

Também pode ser chamado de enquadramento; aqui trata-se de introduzir o assunto sobre o qual será falado, de uma forma bastante breve. São apresentadas as principais ideias que vão ser desenvolvidas no corpo do texto e, por isso, está escrito de forma a chamar a atenção do leitor.

Além disso, visa também criar uma primeira atitude favorável em relação ao assunto (ou polêmica) de que tratará o texto argumentativo. Após a introdução, e antes da elaboração, é redigida a tese do texto, ou seja, a ideia central sobre a qual se refletirá. A tese pode abranger uma ideia ou englobar várias.

2. Desenvolvimento

O desenvolvimento do texto, também denominado corpo argumentativo, i consiste nos principais argumentos que buscam convencer ou persuadir o leitor. Esta seção tem como objetivo apresentar e argumentar todas as ideias, por meio de exemplos, provas, inferências, etc.

O objetivo é apoiar uma tese ou refutá-la (dependendo do tipo de texto), através de uma sólida base de conhecimentos e de contribuições teóricas.

3 Conclusão

A última seção de qualquer texto argumentativo é a seção final; nele são apresentadas as conclusões extraídas do argumento anterior, correspondentes à seção de desenvolvimento.

Isso quer dizer que é uma espécie de síntese ou resumo o que permite terminar de persuadir o leitor ou “provar” que o que foi dito tem uma base sólida de enredo. Assim, recolhe a tese inicial e os principais argumentos do texto, para chegar à consequência que se extrai do estudo de uma série de dados ou afirmações (ou seja, para chegar a uma conclusão).

Referências bibliográficas:

  • Cáceres, O. (2016) Tipos de textos argumentativos.
  • Poblete, Califórnia (2005). Produção de textos argumentativos e metacognição. Letras.

Deixe um comentário