As 8 características de uma carta formal (explicado)

Normalmente, uma carta formal será endereçada a alguém com autoridade ou algum grau de hierarquia, com a capacidade de influenciar algum aspecto relevante de nossas vidas. Por isso é importante saber escrever corretamente.

Neste artigo veremos as características mais relevantes da carta formal que deve apresentar este tipo de escrita, indicando as diferentes partes que a compõem, e por fim citaremos alguns exemplos de tipos de cartas formais e de quando utilizá-las.


    O que é uma carta formal?

    Carta formal é o tipo de comunicação escrita que escrevemos com a intenção de ser enviados a uma autoridade sejam eles conhecidos ou não, mas sempre com a necessidade de manter uma atitude de formalidade. Para que a carta formal seja bem escrita, ela deve respeitar e obedecer a um mínimo de qualidade, estrutura e linguagem.

    Normalmente, esses tipos de cartão são eles que estão acostumados a se comunicar no campo profissional e acadêmico, apresentando como requisito que as ideias nele expressas sejam claras e compreensíveis.

    Normalmente, a finalidade ou finalidade da carta formal será informativa, ou seja, veicular informações que queremos apresentar como objetivo. Portanto, será fundamental que as informações que apresentamos sejam claras e concisas, facilitando a comunicação. Vamos ver como fazer isso.

      Principais características que a carta formal deve respeitar

      As características que iremos citar e explicar a seguir não são exclusivas das cartas formais, elas podem aparecer em outra aula de redação, desde que tenham como objetivo principal transmitir uma mensagem clara e concisa.

      1. Isso é para fins informativos

      Na maioria das vezes, o objetivo principal das cartas formais é informar, ou seja, dar novas informações textuais em um aspecto conhecido ou desconhecido para a pessoa que o recebe.

      Como apontamos acima, essas cartas são usadas principalmente nos campos profissional e educacional. Portanto, o objetivo será transmitir informações de forma formal e não com a intenção de estabelecer contato pessoal com a outra pessoa, nem com a intenção de gerar emoções específicas.

        2. Uso de linguagem formal e respeitosa

        As cartas formais, como mencionamos acima, geralmente são endereçadas a uma pessoa de autoridade. É por isso que será essencial usarmos uma linguagem formal e respeitosa, seguindo um conjunto de regras culturalmente estabelecidas.

        Qualquer que seja o propósito da carta, ela deve ser escrita de maneira educada, usando boas maneiras, cortesia e diplomacia, pois é mais provável que atinja o propósito pretendido escrevendo e enviando. .

        Da mesma maneira também o uso de uma terceira pessoa é recomendado para se referir ao destinatário e assim obter uma formulação mais formal. Em vez de usar “Eu recomendo”, seria melhor usar a frase “Eu recomendo”. Porém, se a primeira pessoa não é abusada, também pode ser usada em algumas ocasiões, seu uso em cartas formais não é totalmente proibido.

        Como já dissemos, a carta formal pode ser endereçada a alguém que conhecemos, por exemplo o nosso chefe, ou vice-versa, a alguém que não conhecemos, como a pessoa que seleciona os trabalhadores da empresa onde queremos ser contratados. . Mas não importa se o destinatário é conhecido ou não, ou o quanto confiamos nele, a carta formal deve ser escrita usando termos formais.

          3. A mensagem deve ser explicada com precisão

          Para deixar a mensagem clara é essencial transmitir uma ideia principal, selecionar um objetivo único que se pretende atingir com o envio da carta. Desta forma e em comparação com o ponto anterior, evitaremos frases ou conteúdos desnecessários, enchendo e distraindo da ideia principal.

          Caso seja necessário veicular informações complexas ou mais extensas, convém condensar e resumir o conteúdo, para que a mensagem seja necessária e atenda ao propósito a que se refere.

            4. As cartas formais são curtas, curtas

            Tendo em mente que o objetivo das cartas formais é transmitir uma mensagem de forma clara e concisa, tanto a carta quanto os parágrafos e sentenças usados ​​devem ser curtos e tão curtos quanto possível..

            Assim, cartas com poucos parágrafos e letras curtas são recomendadas, a fim de evitar que o destinatário fique entediado, perca a atenção ou o interesse e, assim, alcance o objetivo que buscamos.

            5. As informações transmitidas devem ser claras

            Se quisermos que o destinatário entenda a mensagem escrita na carta será importante que as palavras, termos, frases e ideias expressas não sejam desleixadas ou desnecessariamente ambíguas, dificultando assim o entendimento e propósito da carta. Desta forma, o nosso objetivo será escrever um texto claro onde uma única ideia ou uma única mensagem possa ser interpretada, sem dar origem a múltiplas interpretações.

            Dois tipos de clareza são necessários. Por um lado, clareza visível é apresentada que se refere à apresentação de uma caligrafia limpa, em boa caligrafia se se escreve à mão e respeitando a boa estrutura de escrita.

            Por outro lado, a clareza semântica deve ser respeitada: use frases e ideias que façam sentido, evitando aquelas que podem gerar várias interpretações possíveis ou que sejam ambíguas.

            6. Correção adequada

            Outro aspecto muito importante a ter em conta na hora de escrever cartas formais, tendo em atenção que se dirigem a uma pessoa de autoridade e qual é o propósito da mensagem que estamos a enviar, é a correcção gramatical e lexical.

            A correção gramatical está ligada ao fato de não apresentar erros gramaticais, entendidos como todas as regras da língua que regulam seu uso, nem de cometer erros ortográficos; teremos que ser especialmente cuidadosos e revisá-los antes de enviar a carta.

            Por outro lado, também será necessário um bom uso do vocabulário, fazendo uso adequado de palavras e vocabulário relevantes. sem ser rude ou muito familiar.

            Da mesma forma, é importante que o léxico corresponda ao tipo de mensagem e ao destinatário e que seja consistente e apropriado na mesma letra (por exemplo, certificando-se de que os tempos verbais correspondam).

            A pontuação também deve ser utilizada de forma relevante, para que por um lado a leitura seja mais fácil e agradável e, por outro, a mensagem seja claramente compreendida.

              7. Expressões simples

              Não falar vulgarmente não significa usar apenas palavras cultivadas ou excessivamente técnicas, se não for necessário. porque desta forma o propósito de apresentar uma mensagem clara e compreensível pode ser perdido.

              Podemos, portanto, usar palavras e termos de uso comum, mas sem perder de vista a quem se dirige a carta.

              8. Estrutura e partes da carta formal

              A carta formal deve consistir das seguintes partes: o cabeçalho, localizado no lado esquerdo e refere-se aos dados de contato da pessoa que enviou a carta; o destinatário refere-se aos detalhes de contato da pessoa para quem estamos enviando a carta; o local e a data da escrita aparecerão no canto superior direito, citando primeiro a cidade seguida da data; título, iremos nos dirigir ao destinatário de maneira respeitosa, usando termos formais e corteses, como “caro sr. e nome completo “sempre seguido por dois pontos.

              Após o cabeçalho virá a introdução onde o propósito da carta será mencionado de forma concisa; o corpo, onde será desenvolvida a mensagem principal da carta, é a parte mais extensa; despedida ou encerramento, utilizando termos cordiais e corteses como “gentilmente” ou “uma saudação cordial” e por fim a assinatura onde consta o nome e cargo do a pessoa que enviou a carta.

              Normalmente, a estrutura da carta formal apresenta elementos de protocolo.. Por elementos de protocolo entendemos, por exemplo, presente, referindo-se à posição profissional ocupada por ou para o remetente e o destinatário.

              Tipos de cartas formais

              Nesta seção, estaremos nos referindo a alguns tipos de cartas formais, dependendo da meta ou dos objetivos que queremos alcançar:

              • Carta formal de demissão: quando queremos sair do local de trabalho onde estamos.
              • Carta formal de reclamação, com o objetivo de comunicar qualquer reclamação ou desacordo.
              • Carta oficial de agradecimento por expressar gratidão.
              • Carta formal de solicitação, com o objetivo de pedir algo.
              • Carta-convite formal, como um convite para um evento.
              • Carta de apresentação formal, geralmente apresentada com o curriculum vitae que expressa as competências, formação e experiência, bem como os motivos pelos quais estamos interessados ​​no cargo.

              Referências bibliográficas

              • Baeza, C., Sales, A. Galicia, MªI. e Contreras, P. (2014) Carta formal. Universidade Autônoma de Nuevo León.
              • Blake, Gary; Bly, Robert W. (1993). Os elementos da redação técnica. Nova York: Macmillan Publishing.
              • Carta oficial. Cartaformal.org

              Deixe um comentário