Viagem consciente: suas características e benefícios

A viagem consciente é um fenômeno relativamente recente que unifica as funções e benefícios do mindfulness com a experiência de viajar.

A combinação resultante é uma jornada que dá grandes passos no aprendizado do gerenciamento emocional e modulação do foco em muitas situações da vida, e tem se mostrado particularmente eficaz no enfrentamento do estresse e da ansiedade. Se você quer saber o que é, continue lendo.


    O que é Mindfulness?

    Você pode conhecer várias pessoas em seu ambiente imediato que, diariamente, praticam o que é chamado de atenção plena. Há quem o faça como parte de um tratamento aplicado a um problema de saúde, e há também quem o incorpora simplesmente ao seu quotidiano como um recurso de bem-estar que os ajuda a manter um bom equilíbrio emocional face aos desafios e mudanças da vida . . .

    E é que nas últimas décadas o Mindfulness se tornou uma ferramenta poderosa cada vez mais utilizada nos campos arianos: é aplicado tanto no contexto da psicoterapia como no mundo da Psicologia do Trabalho e das Organizações, e até em centros porque muitos exercícios de mindfulness são tão simples que podem ser aplicados às aulas infantis. Não é por acaso que o que originalmente foi desenvolvido como modelo de intervenção psicológica para lidar com problemas de estresse, hoje foi adaptado para atender a diversas necessidades.

      Origens

      A atenção plena tem duas facetas: uma é mais pragmática e operacional, e a atenção plena é considerada um conjunto de técnicas de atenção plena. modulação da concentração atencional e gestão das emoções, que apesar da semelhança com as técnicas de relaxamento não são exatamente as mesmas; a segunda é a atenção plena como uma filosofia de vida que nos dá uma maneira de interpretar e analisar o mundo e os problemas e oportunidades que ele nos traz.

      Esta última faceta traduz-se numa grande variedade de ações e para além dos momentos específicos em que pretendemos dedicar alguns minutos ao Mindfulness; no entanto, deve-se notar que a atenção plena não está vinculada a nenhuma religião ou sistema ideológico em particular.

      Nas suas origens, mindfulness surge como uma técnica inspirada na meditação Vipassana, que revive práticas antigas ligadas ao budismo e ao hinduísmo; no entanto, tem sido desenvolvido como um conjunto de práticas desvinculadas de qualquer forma de misticismo, dogma de fé ou simbolismo, por meio de pesquisas científicas que podem verificar os efeitos objetivos do uso do mindfulness em necessidades e problemas específicos. Ou seja, embora o mindfulness seja inspirado em práticas religiosas, ele foi concebido como uma técnica secular e pode beneficiar todos os tipos de pessoas, independentemente de sua religião ou falta dela.

      Esta metodologia para alcançar estados de relaxamento e concentração ganhou grande popularidade em todo o mundo há mais de 30 anos graças à pesquisa científica e à divulgação rigorosa de vários psicólogos, neuropsicólogos.

      Um dos pais da atenção plena como recurso terapêutico usado em medicina e psicologia é o Dr. Jon Karabat-Zinn, que criou o programa Mindfulness-Based Stress Reduction (MBSR) na faculdade de medicina da Universidade de Massachusetts.

      É um dos programas mais utilizados atualmente para reduzir o estresse e outros distúrbios psicológicos associados praticando a atenção plena em um nível científico e reprodutível.

        Metas

        Como vimos, embora as origens da atenção plena possam remontar à meditação budista e hindu, hoje a prática habitual dessa técnica está, na maioria dos casos, desvinculada de qualquer conteúdo religioso ou espiritual.

        O principal objetivo da atenção plena é focar a atenção no aqui e agora da pessoaalcançar um profundo estado de consciência, equilíbrio emocional e autoconhecimento que não seja sobrecarregado por pensamentos obsessivos, medos infundados, previsões catastróficas e outros fenômenos psicológicos que alimentam a ansiedade ou mesmo a dor física.

        Quando essa prática é suficientemente treinada, torna possível separar a pessoa de seus pensamentos e identificar e neutralizar todos esses padrões de pensamento negativos ou bloqueadores; não se trata de eliminá-los completamente, mas de vê-los como são e deixá-los passar pelo estado de consciência, não dar-lhes mais poder do que têm e deixá-los se desligarem sozinhos, deixando-nos apenas as informações relevantes que eles carregam com eles.

        Portanto, praticar mindfulness não é evitar completamente a dor física ou emocional (estratégia que na maioria dos casos tem o efeito contrário), mas deixar a mente “vazia”, ​​porque esta é impossível e tentar alcançá-la sozinho traz frustração. Isto é assimilar experiências sensoriais e mentais resultantes de uma lógica construtiva e de aceitação da vida.

          Como aprender isso?

          Atualmente, você pode encontrar vários centros que oferecem cursos de mindfulness em toda a geografia espanhola, onde instrutores especializados no trabalho docente. praticar técnicas de atenção plena do zero ou para níveis avançados.

          Estes cursos de mindfulness são altamente recomendados para quem quer melhorar em várias áreas da sua vida ou saúde mental e aumentar o seu desempenho e bem-estar emocional, tanto a nível pessoal como profissional.

          Contudo, Deve-se notar que, embora a atenção plena esteja incorporada em vários exercícios e práticas (ou seja, não existe uma forma única de implementar o mindfulness, que é uma das suas qualidades positivas porque se adapta a diferentes contextos), alguns processos de aprendizagem são mais completos do que outros. Uma coisa é passar quatro minutos fechando os olhos e fazendo um simples exercício de atenção plena, e outra é fazer uma jornada de atenção plena.

            O que é Viagem Consciente?

            Em suma, a viagem consciente é aproveitar o potencial da viagem para aprender a estar no momento em um ambiente que promova esse tipo de aprendizado: ambientes que facilitam muito a tarefa de “desconectar” dinâmicas antigas de pensar e experimentar emoções que nos ligam ao passado e às previsões do futuro.

            Em outras palavras, na jornada consciente, usamos a nosso favor a influência que certos espaços exercem em nosso estado mental, para que participem do processo de geração de atenção plena e direcionem nossa atenção para o momento presente.

            Por que esses espaços nos afetam dessa maneira? Principalmente porque por um lado foram selecionados para nos trazer momentos de calma e tranquilidade, com estímulos que nos levam a um estado de relaxamento, e por outro nos afastam dos estímulos que associamos ao nosso quotidiano ou nosso passado, para que não fiquemos expostos a lembranças constantes do que nos estressa, nos preocupa ou nos faz sentir mal.

            Através deste “reset” mental aprendemos a dar os primeiros passos na gestão da nossa atenção num local que a facilite, para que quando regressarmos à nossa vida, não fiquemos dependentes de estar num local específico para praticar mindfulness e possamos ser aplicado em uma variedade maior de situações.

            Quer aproveitar o potencial das viagens conscientes?

            Se você estiver interessado em participar do Mindful Travel Experience, convidamos você a embarcar nos Programas de Mindful Travel e Meditação de Viagens que mudam a vida comandado pelo técnico Félix Cuellar.

            Esta plataforma organiza viagens a destinos selecionados para a implementação de programas de mindfulness com o apoio de instrutores com vasta experiência nesta área.

            Deixe um comentário