Aprendizagem por insight: o que é, tipos e características

Eureka, epifania, acendendo a lâmpada … tantas expressões que remetem ao mesmo fenômeno: aprender por insight.

Este termo se refere àquela situação em que repentina e inesperadamente vemos as relações entre duas coisas que aparentemente não as tinham.


O conhecimento desempenhou um papel decisivo no desenvolvimento da ciência e da própria humanidade ao longo de sua história, pois grandes descobertas e invenções não são meros produtos de tentativa e erro, mas também revelações repentinas. Vamos ver abaixo.

    O que é aprendizagem perspicaz?

    Em psicologia, a aprendizagem perspicaz é o fenômeno que ocorre quando temos uma compreensão repentina de uma relação de causa e efeito em um determinado contexto. É um novo conhecimento gerado pela introspecçãoou seja, ter certo conhecimento em nossa memória que de repente vemos pode estar relacionado e nos dar uma nova visão e compreensão da realidade.

    Na realidade, um insight é o conhecimento que surge em nossa mente por si mesmo, a partir da relação de dois conceitos distintos, ideias e conhecimento. Também pode ser o resultado de ver um fenômeno cotidiano de uma nova perspectiva ou prestar atenção a algo a que normalmente não prestamos muita atenção. Aprenda por meio do insight dá origem a ideias por trás de frases populares como “acender uma lâmpada”, “um momento eureka” e “ter uma epifania”.

    A principal escola de psicologia que estudou o insight foi a Gestalt, embora o primeiro a estudar esse tipo de aprendizagem foi o psicólogo e lingüista Karl Bühler. De acordo com Bühler, o insight é um dos processos fundamentais de aprendizagem e pode ser encontrado em outras espécies além da nossa, especialmente em primatas superiores, conforme evidenciado por estudos conduzidos por Wolfgang Köhler.

    Na espécie humana, esse fenômeno é a fonte de grande parte da criatividade, cultura e desenvolvimento tecnológico e científico que nos diferencia dos outros animais.

    Tipos de percepção

    A ideia de aprendizagem por insight tem gerado muito interesse desde o seu surgimento, na primeira metade do século XX. Embora não se trate de uma classificação fechada, hoje se considera que existem três formas principais desse tipo de aprendizagem: quebra do modelo, contradição e conexão. Nós os vemos com mais profundidade a seguir.

    1. Visão geral da interrupção do modelo

    A mente humana tende a categorizar e interpretar o mundo com base em suas experiências anteriores. Quando nos deparamos com uma situação, subconscientemente buscamos em nossa memória uma memória, aprendizado ou experiência que nos ajude a saber como superá-la, especialmente se virmos algo que nos é familiar na situação.

    Usar heurísticas é uma maneira rápida e eficiente de lidar com informações conhecidas, ótima para lidar com problemas do dia a dia, mas o que acontece quando a situação é completamente nova e desconhecida? Nesse caso, continuamos procurando informações em nossa memória para ver se temos algo que nos ajude a nos desviar, mas aqui não está funcionando para nós. A heurística pode nos fazer esquecer certas informações ou tentar resolver a nova situação de maneira ineficiente..

    Nesse caso, o insight virá quando a pessoa desistir de seu estilo usual de pensamento. Para novas situações, não nos ajuda pensar e agir da mesma forma que em contextos cotidianos. Temos que pensar diferente, e o uso de heurísticas é negativo porque pode nos fazer esquecer informações ou nos fazer tentar resolver a nova situação de forma ineficiente. Você tem que romper com o modelo, mudar sua mentalidade.

    Esse tipo de insight é o que frequentemente podemos ver em jogos de palavras, quebra-cabeças, charadas e outros jogos de engenhosidade, além de ser o tipo de insight por trás da criatividade e testar novas estratégias.

      2. Contradição

      Outro tipo de aprendizagem por insight é o que acontece quando detectamos uma contradição em uma situação familiar, situação que, até recentemente, era normal e consistente. Quando detectamos essa discrepância, começamos a nos perguntar quais outros aspectos podem estar errados em um modelo, situação ou conhecimento que temos.

      Isso implica olhar criticamente a realidade que, até então, havíamos presumido ser verdadeira. Certo, isso pode ser contornado, mas não a menos que você seja um técnico que sabe o que está fazendo.

      Também pode haver uma mudança em nosso sistema de crenças ao ver que aquilo em que acreditávamos não era tão verdadeiro quanto pensávamos. Desafiamos nossa visão correta do mundo e buscamos novos dados.

      3. Login

      Finalmente, encontramos o tipo mais comum de aprendizado por insight: o de conexão. Como o próprio nome sugere, é estabelecido a partir da conexão entre dois ou mais conhecidos repentinamente, colocando em relação dados que não parecem estar relacionados entre si, mas que, ao associá-los, adquirimos novos conhecimentos.

      Somos capazes de aplicar o que vimos em uma situação e mover essa informação para um novo problema que não sabíamos como resolver antes.

        Quais são os benefícios da aprendizagem perspicaz?

        Neste ponto, podemos compreender a importância do aprendizado por insight. Aprender assim com base em revelações e epifanias nos permite fazer descobertas que de outra forma não seriam acessíveis a nós.

        Como já mencionamos, esse tipo de aprendizagem tem sido fundamental na história da humanidade, pois muitas novas invenções, descobertas e ideias surgiram de momentos de eureka. O conhecimento por meio de ideias nos move repentinamente para a frente, enquanto a tentativa e erro é um processo mais tedioso e demorado..

        Mas, como tudo de bom nesta vida, os insights têm um problema: eles estão totalmente fora de controle e repentinos. Na verdade, porque surgem espontaneamente e sem que possamos supor que isso vai acontecer conosco, são chamadas de epifanias como se fosse uma revelação religiosa. Nunca saberemos quando teremos um daqueles momentos cruciais para expandir nossos conhecimentos e ter novas ideias.

        No entanto, e apesar de sua natureza incontrolável, existem pessoas que estão mais inclinadas a vivenciar esses fenômenos. Acredita-se que a aprendizagem perspicaz seja característica de pessoas com alta inteligência e esteja relacionada ao pensamento lateral, ou seja, a capacidade de observar situações de ângulos muito diferentes da maneira como as pessoas o fazem.

        Isso não significa que existam pessoas incapazes de vivenciar esse tipo de aprendizagem. Todos nós somos capazes de aprender por meio de insights, mas é verdade que maior inteligência pode aumentar as chances de experimentá-los. Além disso, é possível treinar a capacidade de ter ideias estimulando o pensamento crítico, observando todos os detalhes da situação em que nos encontramos e fazendo todo tipo de perguntas, mesmo em situações que pensamos conhecer.

        Referências bibliográficas

        • Seguí, V. (2015). Visão da psicologia. Treinamento ISEP.

        Deixe um comentário