9 dicas para melhorar o foco (apoiado pela ciência)

De acordo com a Royal Academy of Spanish Language, concentração é “a ação e o efeito de se concentrar intensamente em algo”.

Para nossa vida diária, é importante aprender a se concentrar. Ter uma boa capacidade de concentração nos ajuda muito a ser mais eficientes na execução de qualquer tarefa. As vantagens de ter uma boa concentração são inúmeras: aumentam a nossa memória, a nossa eficiência na tomada de decisões, a nossa precisão e a nossa agilidade no desafio que temos pela frente.


Melhore a concentração com 9 técnicas simples

Ter uma boa concentração está intimamente relacionado à capacidade de lembrar e lembrar muito melhor.. Nesse sentido, a concentração é uma boa virtude para ter uma memória fluida. Se conseguirmos desenvolver nossa concentração, nossa memória também melhorará.

As estratégias básicas de concentração estão ligadas a dois aspectos fundamentais: evite distratores externos e, por outro lado, tenha um estado de espírito com um nível adequado de ativação ser capaz de manter o foco na tarefa por um tempo.

Para esclarecer os aspectos e as circunstâncias que nos permitem melhorar a concentração, no artigo de hoje compilamos às 9h00 estratégias e técnicas que podem ajudá-lo a melhorar essas habilidades tão úteis para a vida.

    1. Descanse o suficiente

    Um ponto fundamental: para se concentrar bem, você tem que descansar. Dormir o suficiente nos dá o cérebro e a recuperação cognitiva de que precisamos para funcionar perfeitamente no dia seguinte. Dormir bem nos dá um estado de lucidez ao acordar.

    Aqui está uma dica comum para os alunos: um dia antes de um exame, voce deve dormir bem. Porque se não descansarmos o suficiente, na hora do exame, ficaremos dispersos e teremos menos memória. Durante as horas de sono, o cérebro realiza um “reset” de certas funções, preparando-nos para o dia seguinte para podermos processar melhor as informações e os estímulos. Além disso, oito horas de sono também são muito boas para nossa memória de longo prazo.

    É essencial dormirmos as horas necessárias, para que nosso estado mental esteja suficientemente claro para manter a atenção. Quando estamos cansados ​​ou dormimos mal, o cérebro sofre e os processos mentais associados à memória e à concentração não podem funcionar 100%. Além disso, a falta de sono pode causar desconforto nos olhos e visão temporariamente embaçada, o que é uma grande desvantagem. Então, como base para tudo, um bom descanso.

    2. Máscara de goma de mascar

    Pode parecer um pouco estranho, mas chiclete é bom para nossa concentração. Isso é indicado por diferentes estudos científicos: a goma de mascar ajuda-nos a lembrar informações a curto prazo.

    Além disso, pode ser um elemento que nos permite focar melhor na tarefa que temos em mãos, principalmente em exames e testes que requerem nossa memória auditiva e visual.

    3. Escreva com papel e caneta

    Estamos muito acostumados a digitar coisas no teclado do computador. É um método de escrita automático e permite-nos muitas coisas positivas, mas não é o melhor para a nossa concentração nem para a nossa memória.

    Se escrevermos à mão, nosso cérebro fará um esforço maior para se concentrar. e se lembrará mais facilmente de dados e anotações que vêm de nossas próprias mãos, como Lizette Borreli explicou ao The Medical Daily. Uma melhor concentração ao escrever ideias apoiará nossa memória de longo prazo. você pode recuperar esses dados dias e até semanas depois.

    4. Gerenciar o estresse

    Você está muito sujeito ao estresse? Quando estamos em um estado de tensão, vemos nossa capacidade de focar em algo muito reduzida.

    Para que nossa mente seja capaz de realizar atividades cognitivamente exigentes por um período de tempo, precisamos desfrutar de um estado mental que não seja muito relaxado (o que nos levaria a dormir e retenção de dados pobre) nem muito ativo (neste caso, ficaríamos nervosos por não podermos nos concentrar em uma única tarefa).

    Algumas dicas de gerenciamento de estresse são tão simples quanto cerrar o punho ou uma bola de estresse por um minuto. Este ato vai liberar nossas tensões por um longo tempo. Mas, se você está sofrendo de um estresse mais permanente, será melhor colocar um fio na agulha para resolver o problema. Também é importante ter uma boa saúde física: manter-se bem hidratado, praticar esportes com freqüência …

    5. Jogue xadrez

    Se estamos falando em aumentar nosso foco, o xadrez é o rei do esporte. Este jogo exige uma grande capacidade de concentração para analisar cada situação que ocorre no tabuleiro, para tomar decisões acertadas e para antecipar os movimentos do rival. Isso foi confirmado por um estudo publicado no Science Direct.

    É uma atividade perfeita para desenvolver ambas as habilidades, além da nossa capacidade de raciocínio lógico e estratégico.

    6. Evite distrações e encontre um lugar adequado

    É um pouco óbvio, não é? Quando tentamos nos concentrar em uma tarefa, é uma ideia muito boa tentarmos evitar que estímulos externos e indesejados nos distraiam. Por exemplo, se você estiver estudando, é melhor fazê-lo em silêncio, com luz adequada e, é claro, sem televisão ou outras distrações de fundo semelhantes.

    Foi demonstrado que o ruído ambiente afeta nosso desempenho se realizarmos uma tarefa que exija concentração (por exemplo, um exame). Quanto mais barulhento for o ambiente, mais saudáveis ​​serão suas habilidades cognitivas.

    Se você quiser se concentrar 100% em uma tarefa, é uma boa ideia encontrar um espaço confortável e sem distrações.. Também é interessante notar que a temperatura do espaço em questão não é nem muito fria nem muito quente. Em torno de 20º-23º é uma temperatura com a qual quase todos se sentem confortáveis. Quanto ao ruído, há pessoas que conseguem manter a concentração enquanto se expõem a ele, desde que não seja muito alto e monótono, mas não é habitual.

    7. Desenhe enquanto você está na aula

    Esse conselho é totalmente contra-intuitivo. Quando estamos participando de uma master class ou conferência, é uma boa ideia fazer pequenos rabiscos em um bloco de notas ou caderno. Isso é afirmado em um estudo publicado na revista Time.

    Não há necessidade de desenhar figuras concretas, tudo vale a pena. Isso nos levará a lutar contra o tédio e lembrar melhor o que o professor diz..

    8. Música de fundo: boa ou má ideia?

    Ouvir música de fundo quando estamos focados em uma tarefa pode ser uma boa ideia. Mas isso depende de vários fatores.

    A música tem a capacidade de estimular nosso cérebro e nossa atividade cognitiva. É muito positivo que, pouco antes de começarmos a estudar, ouçamos música para estimular o cérebro e começar a fazê-lo funcionar. No entanto, durante a tarefa é melhor ficar calado, pois a música pode alterar a qualidade com que guardamos as informações. Esse efeito negativo da música em nossa capacidade de prestar atenção e concentração foi relatado em vários estudos científicos.

    9. Planeje sua rotina

    Não há nada que afete a concentração de forma tão negativa quanto uma rotina desorganizada e caótica.. É o nono item da lista, mas provavelmente o mais importante.

    As prioridades diárias devem ser planejadas e ordenadas. Sem ter tempo para nos dedicar a cada tarefa, evitaremos o estresse, a pressa e os transtornos que podem surgir e seremos mais capazes de dedicar um esforço inteligente e produtivo à tarefa. Se sabemos exatamente o que fazer e como, a tarefa se torna mais fácil, E nosso estado de foco é mais apropriado quando se trata de lidar com cada subtarefa com sucesso.

    Essas estratégias funcionam para crianças e idosos?

    Crianças, adultos e idosos: as coisas são iguais para todos? Genericamente, essas estratégias e dicas para melhorar o foco podem ser aplicadas a qualquer pessoa de qualquer idade. Embora seja assim Também é verdade que cada etapa da vida tem certos elementos a serem considerados..

    Concentração na infância

    Durante a infância nossa atenção é mais dispersaPortanto, ao invés de focar na dica mencionada acima, as crianças terão que se acostumar a adquirir o hábito (que vale a pena dispensar) de atender, ouvir e pensar. Isso significa que, quando crianças, eles mantêm uma ativação mais elevada do que os adultos, por isso pode ser difícil para eles sentar-se na frente de um livro ou realizar uma tarefa cognitivamente exigente por um período de tempo considerável.

    Gradualmente, precisamos estimulá-los com tarefas sugestivas para que sua mente possa se adaptar a esses pedidos, sem que isso leve a sentimentos ruins (pode ser muito contraproducente para a criança se sentir ‘forçada’ ou “forçada” a se concentrar. tarefa). Para promover esta capacidade de acolhimento de crianças, profissionais como psicólogos educacionais, psicólogos educacionais ou outros podem conceber programas de intervenção, em grupo ou individuais, para atender a essas necessidades.

    Idosos: várias dicas específicas para melhorar seu atendimento

    No que se refere aos idosos, neste caso, cabe destacar que, ocasionalmente, pode haver sinais de demência senil ou comprometimento cognitivo associado a certos problemas de concentração, Principalmente em termos de capacidade de retenção de dados. Nessas idades, a memória é uma faculdade que começa a apresentar fragilidades, por isso vale a pena estimular os adultos com jogos e atividades lúdicas que, por sua vez, envolvem o exercício da atenção e da memória.

    Desta maneira, o conhecido jogo de dominó, jogos de cartas e similares é uma opção altamente recomendada. Existem também programas específicos voltados para essas pessoas, com o objetivo específico de fortalecer suas habilidades cognitivas. Neste caso será necessário que um profissional da psicogerontologia ou similar projete e acompanhe os avós nas sessões terapêuticas.

    Dicas e conclusões adicionais

    Nossa capacidade de focar em uma única tarefa é limitada. Porém, há pessoas que conseguem ficar várias horas focadas sem se sentirem cansadas, enquanto outras, por falta de treino ou por outros motivos, não conseguem ficar mais do que alguns minutos mantendo um bom nível de atenção. Essa habilidade é conhecida como intervalo de atenção, a pessoa Yada tem seu próprio limite.

    Vários estudos mostram que quando estamos trabalhando em uma tarefa ou estudando, precisamos fazer intervalos regulares, de cerca de 10 minutos, para clarear nossa mente e “recarregar” nossas baterias de concentração. Não existe um limite único, cada pessoa tem suas próprias habilidades e cabe a ela definir exatamente quanto tempo máximo pode ser gasto em uma tarefa.

    Quanto à organização da tarefa, é importante selecionar algumas tarefas bem definidas, Para que nosso cérebro seja capaz de responder adequadamente ao requerimento. Evitar multitarefa e exercitar os músculos a cada meia hora também pode nos manter em um estado ideal de ativação por mais tempo.

    Você tem alguma outra dica para aumentar a concentração? Você pode enviá-los para nós através da seção de comentários ou em nossas redes sociais.

    Deixe um comentário