Qual é a perícia psicológica das conversas?

Embora em nível popular o conceito de “psicologia” esteja muito associado a processos psicoterapêuticos, o trabalho dos psicólogos não se reduz, muito menos, ao acompanhamento de pacientes.

Por exemplo, um dos ramos da psicologia é baseado na realização de laudos periciais psicológicos que fornecem informações relevantes no contexto de processos judiciais de todos os tiposseja no âmbito criminal, social, civil ou familiar.


Esta disciplina utiliza um grande número de testes e instrumentos de avaliação para explorar situações como as possíveis sequelas emocionais geradas por um acidente de trabalho, o aparecimento de psicopatologias desencadeadas por mobbing, assédio ou violência doméstica, a responsabilização de uma pessoa em termos da sua saúde mental e o grau em que se é capaz de perceber corretamente a realidade, etc.

Às vezes, essa informação é usada para provar a presença ou ausência de um crime em um caso específico, e outras vezes é usada simplesmente para tomar uma decisão judicial que prejudique o mínimo possível as pessoas (por exemplo, antes de um litígio sobre a guarda de um filho ). Em última análise, mesmo que o que dizemos não seja um reflexo preciso de nossos estados mentais internos, eles fornecem pistas que, se seguidas e reunidas para obter uma visão geral do que aconteceu no passado, ajudam muito a entender o que está acontecendo. em uma pessoa individual, bem como em um relacionamento. Esses relatórios de especialistas podem ser conversas, áudios, e-mails, ligações, mensagens de voz… Neste artigo falaremos especificamente sobre como informações valiosas podem ser coletadas e analisadas de uma perspectiva forense com base na análise de conversas.

    Características da perícia psicológica das conversas

    A perícia psicológica das conversas é um estudo detalhado das trocas comunicativas realizadas entre duas ou mais pessoas, com o objetivo de esclarecer qualquer aspecto relevante para a resolução da questão que foi levada a julgamentose há ou não a prática de crime de assédio ou de qualquer outra natureza, se uma pessoa teve conhecimento de suas ações em violação da lei, se um evento relacionado ao trabalho ou um ataque violento causou dano psicológico a uma pessoa, etc.

    Profissionais especialistas em psicologia realizam um trabalho que se nutre de diversas formas de obtenção de informações, que ajudam a compreender a dinâmica relacional entre as pessoas, as habilidades de gestão emocional por parte dos indivíduos ou possíveis casos de transtornos, psicóticos geradores de delírios e alucinações, sequelas psicológicas produzidas por ação de terceiros…

    Nesse sentido, as ferramentas utilizadas para a elaboração de laudo pericial sobre conversas ajudam a esclarecer esse tipo de situação e constituem um dos pilares da atuação do psicólogo. Este trabalho de análise da informação é feito sem que os psicólogos se posicionem do lado de ninguém, e sem avaliação moral; simplesmente contribuímos com nossa experiência e conhecimento para que o processo judicial possa ser desenvolvido com toda a riqueza de nuances que devem ser levadas em consideração.

    A perícia psicológica em si não deve ser vista como prova de nada ou como artefato criado para fortalecer a defesa ou a acusação, ainda que seu conteúdo possa favorecer uma das partes; no final, é apenas parte do material usado para pronunciar uma frase.

      A metodologia da análise semântica, psicologia forense

      A análise forense semântica e psicológica é um estudo exaustivo de todas essas evidências verbais que ajudam a esclarecer o que é julgadoe se baseia na análise de informações textuais emitidas de forma falada ou escrita (descompondo suas partes e interpretando o subtexto) para, a partir daí, fornecer informações adicionais com base em um processo de síntese do avaliado.

      Esta metodologia de análise semântica psicológica forense utiliza todo o tipo de conversações em qualquer plataforma digital para, com base em vários protocolos e critérios, realizar uma análise detalhada do tipo de linguagem utilizada nas mensagens, e dos estados cognitivos e emocionais que permanecem expressos através das palavras , frases e todo o dito. Aspectos como a frequência de ocorrência das palavras-chave, as datas em que as conversas ocorreram, o contexto em que as mensagens são enviadas, as intenções que são incorporadas ao longo das conversas, o grau de consciência situacional que se reflete no que é dito, e mais.

      É uma das ferramentas mais úteis disponíveis para psicólogos forenses e especialistas em psicologia em geral, e baseada em uma combinação de conhecimento técnico e novas tecnologias, ajuda a entender melhor o que aconteceu na prática de crimes, processos de divórcio, assédio no local de trabalho, padrões parentais, etc.

      Ressalta-se, a esse respeito, que as conversas mais analisadas pela metodologia de análise semântica psicológica forense são as mensagens de WhatsApp, às quais se somam entrevistas psicológicas e testes psicométricos.

      Usos da Análise Semântica Psicológica Forense

      A análise semântica psicológica forense e todas as metodologias técnicas nela incluídas podem ser utilizadas para demonstrar a existência de eventos ou para esclarecer informações contidas em laudos periciais anteriores. Vamos ver quais são suas principais funções.

      1. Casos de assédio escolar

      O bullying escolar é um dos problemas mais comuns nas escolasfenômeno capaz de deixar cicatrizes em meninos e meninas desde muito cedo.

      Para identificar, verificar e quantificar os danos causados ​​por um caso de bullying, podemos utilizar a metodologia de análise semântica forense, utilizando mensagens de WhatsApp, gravações, mensagens postadas em redes sociais e fóruns, etc.

      2. Assédio no trabalho

      Como o assédio no trabalho ocorre entre adultos, geralmente é mais difícil demonstrá-lo e identificá-lo, mas ainda é possível entender o que aconteceu analisando as trocas verbais, principalmente porque esses tipos de situações violentas tendem a gerar boatos e rarear o ambiente de trabalho.

        3. Casos de abuso sexual

        Com o apoio de profissionais especializados e a tecnologia habilitada para esse fim, esse tipo de abuso da liberdade sexual pode ser identificado e comprovado em processo judicial e perante um juiz. No entanto, a principal função da análise semântica psicológica forense não é tanto provar a existência de agressões físicas, mas fornecer informações que ajudem aprender sobre a dinâmica de dominação e submissão, manipulação psicológica e as consequências deixadas pelo abuso.

          4. Violência de Gênero e Violência Doméstica

          A violência de gênero é baseada em crenças baseadas no machismo e motivações baseadas na misoginia, portanto, entender os processos psicológicos do agressor é essencial, e para isso é útil analisar a forma como ela se expressa.

          Da mesma forma, como vimos, a análise das conversas permite detectar tanto as consequências da dinâmica da violência quanto as dinâmica de manutenção dessa violência.

          5. Análise de personalidade

          As análises de personalidade necessárias à concessão de incapacidades, tutelas, tutelas ou assistência pública também podem ser realizadas por meio da aplicação da análise semântica psicológica forense.

          6. Confirmação de comunicação específica

          Embora seja uma faceta pouco conhecida, a análise semântica psicológica forense também pode ser utilizada para demonstrar que ocorreu uma comunicação, ou seja, que uma ou mais pessoas foram informadas de algo relevante, mesmo que indiretamente.

          7. Habilidades Parentais

          Os divórcios são um dos processos mais comuns no campo da psicologia forense, e uma das áreas em que mais problemas precisam ser resolvidos que precisam ser demonstrados.

          É por isso que, por meio da análise semântica psicológica forense, é possível fornecer informações relevantes sobre as habilidades parentais de cada parteelemento-chave quando se trata de tomar uma decisão sobre a guarda dos filhos.

            MáS-PF: um recurso fundamental na análise de conversas

            O MáS-PF é uma metodologia desenvolvida pela Azor & Associados que executa várias funções de alto valor em qualquer processo forense em que haja material textual analisável.

            Além de incorporar ferramentas para extrair informações valiosas de mensagens de chat e WhatsApp, e-mails, áudios e vídeos, permite que tudo seja avaliado com um certificado digital que garante que as conversas não foram alteradas. Se você quiser saber mais sobre essa metodologia, entre em contato conosco.

            Deixe um comentário