Resiliência no contexto esportivo

Resiliência é um conceito frequentemente usado pela psicologia clínica para definir este vsa apatia que os indivíduos devem refazer diante da adversidade.

No entanto, não existe uma forma única de construir resiliência e, por exemplo, muitos estudos apontam que a capacidade de lidar com o estresse é um fator que contribui para o bom desempenho atlético.


Enfrentando adversidades através do esporte

No esporte, é muito comum encontrar elementos estressantes ligados à competição ou às condições organizacionais. Consequentemente, o conceito de resiliência assume uma nuance intimamente ligada à qualidade de vida do atleta.

Aqueles com um perfil resiliente têm uma melhor habilidades de enfrentamento para a adversidade. Essa força mental contribui para a recuperação de lesões. Um bom perfil resiliente, além de boa técnica, comprometimento e alto suporte social, são variáveis ​​associadas ao alto desempenho.

Os estudos de resiliência têm tradicionalmente focado em comunidades ou famílias que já foram submetidas a eventos estressantes. No campo dos esportes, ainda não há tantas pesquisas sobre resiliência quanto no campo clínico.

    O perfil resiliente

    Deve-se notar que a maioria das pressões pode ser auto-imposta pelas demandas do próprio atleta. Galli e Vealey (2008) realizaram um estudo com jogadores de elite por meio de entrevistas sobre os eventos adversos que eles tiveram que superar no esporte.

    Eles incluíram lesões, contratempos de desempenho, doenças e a transição para outra categoria. Eles estabeleceram um modelo e destacaram as qualidades que pertenceriam a um perfil resiliente; atitude positiva, maturidade, competitividade, comprometimento e forte determinação.

    Diversas variáveis ​​psicológicas ligadas ao otimismo foram analisadas. Essas variáveis ​​se concentram no gerenciamento da adversidade e no desempenho atlético. Para fazer isso, eles estudaram o humor e a resistência mental do atleta e descobriram que as pessoas otimistas se recuperam mais rapidamente de eventos estressantes. Mas também foi descoberto que as pessoas que mantêm a prática física ativa são bem-sucedidas níveis mais altos de otimismo em relação a pessoas inativas ou sedentário (Kerr, Au, & Lindner, 2005).

    O caso de atletas deficientes

    No que diz respeito à resiliência e ao esporte, os atletas com deficiência também não devem ser esquecidos, pois esses atletas possuem características próprias que os impulsionam a enfrentar as adversidades.

    No entanto, eles foram encontrados diferenças nas pontuações de resiliência por tipo deficiência que eles apresentam. Atletas com paralisia cerebral tiveram desempenho pior do que aqueles com lesões na medula espinhal.

    O papel do psicólogo do esporte

    Todos esses estudos destacam a importância dos fatores de proteção sem descuidar da prevenção. O uso de estratégias positivas, suporte social que permite feedback constante, estabelecimento de objetivos claros e avaliação de estratégias aplicadas são essenciais no desenvolvimento de estratégias úteis de enfrentamento e na formação de um perfil resiliente.

    Este trabalho é de responsabilidade do psicólogo do esporte, do técnico e do atleta sendo uma tarefa integradora de todos na qual o bom planejamento deve ser priorizado. O conhecimento da equipe técnica e do psicólogo esportivo será gerado senso de autoconfiança e segurança no atleta, reduzindo a possibilidade de situações potencialmente estressantes afetarem seu desempenho.

    A compreensão e o treinamento do conceito de resiliência por profissionais da ciência do esporte abordarão a capacidade dos atletas de se adaptarem positivamente à adversidade, atingindo assim o pico do desempenho atlético.

    Com relação à intervenção do perfil resiliente, os programas de melhoria do perfil resiliente podem produzir mudanças significativas nas variáveis ​​psicossociais associadas com lesões, doenças e motivação intrínseca do atleta.

      Estendendo a resiliência a outras facetas da vida

      Por outro lado, não podemos esquecer que muitas competências adquiridas através do esporte extrapolam-se para outras áreas da vida (escola, família, trabalho).

      Praticar esporte desde o início é uma escola de valores que promove hábitos saudáveis. Assim, os benefícios de adquirir essas estratégias podem ser múltiplos, não apenas no desempenho atlético, se você pretende ser um atleta de elite, mas também em educação e desenvolvimento pessoal de crianças e adolescentes.

      Deixe um comentário