Os benefícios de uma vida estável e ordeira para atletas de elite

Envolver-se profissionalmente no esporte é muito mais do que desenvolver a força, maximizar a velocidade dos reflexos ou aprender muita teoria sobre o esporte ao qual dedica grande parte da sua vida.

É também, entre outras coisas, saber cuidar de si física e mentalmente e desenvolver competências com as quais é possível viver graças a hábitos de preparação eficazes.


Portanto, neste artigo, faremos uma breve revisão de as vantagens que tem, do ponto de vista dos atletas de elite, de aprender a viver de forma organizada e a aplicar os princípios da ordem em sua vida diária.

    Por que é importante levar uma vida ordenada em face das demandas do esporte de elite?

    Não se trata apenas de conhecer os horários de treino e as regras de vida saudável (fisicamente) impostas pelo clube desportivo, patrocinadores e outras entidades envolvidas na carreira profissional do atleta.

    Além desta versão formal do que significa uma vida ordeira, há toda uma série de princípios orientadores nos quais se baseiam estilos de vida saudáveis ​​e preparação eficaz (fisicamente e psicologicamente).

    Ignorá-los não é apenas se expor a complicações de saúde em um ambiente onde o trabalho árduo pode causar muito desgaste; além disso, produz uma desvantagem em relação a outros atletas que se aproveitam de sua capacidade de estabelecer hábitos e rotinas consistentes e adaptadas aos seus objetivos e talentos. E isso, em um campo tão competitivo de esporte e desenvolvimento profissional, é um problema duplo.

    Milho… O que exatamente queremos dizer com viver uma vida ordenada e onde prevalece a estabilidade? Não se trata de carregar a existência de um robô, nem de longe (aliás, ignorar o lado emocional do atleta é um erro gravíssimo na preparação psicológica de uma liga, torneio ou campeonato).

    É ter consciência de que se não percebermos e não tivermos algum controle sobre o que fazemos e como o fazemos durante e fora dos treinamentos, nos expomos a muitas situações que nos fazem perder tempo e saúde, e perdemos muitas oportunidades em que poderíamos vencer em ambas as frentes.

    Por exemplo, a adoção de uma série de rotinas psicologicamente adaptadas às próprias características e objetivos esportivos torna possível:

    • Aprenda a distribuir temporariamente os incentivos que nos permitem motivar-nos como atletas, aspirando a escalar uma curva crescente de dificuldade.
    • Não caia na armadilha de “cobrir” o estresse com maus hábitos
    • Não se deixe levar pela procrastinação (aquela tendência de dizer “Farei isso amanhã”) e saiba quando é melhor fazer tudo.
    • Não exagere nos treinos e produza o efeito oposto ao que você deseja.
    • Melhore a concentração na atividade desportiva através de uma boa gestão dos momentos de descanso.
    • Memorize as referências espaciais e temporais apropriadas para saber em todos os momentos o que fazer e qual atividade jogar imediatamente depois.

    Todas essas são áreas de trabalho que, como você pode ver, eles não aderem estritamente ao que é geralmente entendido como preparação física, e que são concluídos por este.

      O que a psicologia pode trazer para isso?

      A terapia psicológica não é apenas um meio de tratar psicopatologias; além disso, também se adapta às necessidades de pessoas sem problemas de saúde mental significativos, e entre as estratégias e técnicas de intervenção incluídas nesta área, várias são utilizadas para ajudar profissionais, adversários, indivíduos. tendo projetos criativos em curso… e atletas de elite também, é claro.

      No fim, a psicologia aplicada não deve se limitar ao tratamento de distúrbios psicológicos; o desafio é implementar todas as descobertas e avanços técnicos gerados neste campo da ciência para ajudar o maior número de pessoas possível. Portanto, muitos dos serviços de psicoterapia oferecidos visam apoiar pessoas com carreiras muito estressantes ou sob altos níveis de estresse e demandas.

      No caso do atendimento psicológico a atletas de elite, uma das principais funções do psicólogo é ajudar a pessoa a estruturar suas rotinas e hábitos para que, a partir desse estilo de vida, seja possível manter um programa de treinamento eficaz e sustentado (físico e mental) ao longo do tempo, sem queimar a pessoa por excesso de ansiedade, mas ao mesmo tempo fazendo com que ela sempre enfrente novos desafios.

      Algumas das maneiras pelas quais os atletas profissionais podem ser psicologicamente ajudados a esse respeito são as seguintes:

      • Treinamento de habilidades automotivadoras para tornar o treinamento uma rotina consistente.

      • Estabelecimento de um programa de ação de gatilho para aproveitar o tempo e organizar sequências de tarefas.

      • Aprendizagem na detecção precoce de pensamentos armadilha associados ao início de uma distração.

      • Aprenda a detectar comportamentos disfuncionais em reação ao estresse (comer sem apetite, roer as unhas etc.).

      • Criação de rotinas de condicionamento do espaço de treinamento.

      • Técnicas de treinamento de relaxamento para adormecer facilmente.

      • Aprenda a detectar os sinais de que é hora de um descanso mental.

      • Artigo relacionado: “Gatilhos de ação: o que são e como influenciam o comportamento”

      Você gostaria de se beneficiar de assistência psicológica profissional?

      Se deseja ter o apoio de um psicólogo para auxiliá-lo em qualquer problema relacionado ao gerenciamento de emoções ou padrões de comportamento, ou simplesmente solicitar assistência psicológica para lidar com desafios no campo profissional, entre em contato comigo.

      Meu nome é tomàs santa cecilia e minha forma de trabalhar é baseada no modelo cognitivo-comportamental, um dos mais eficazes e adaptáveis ​​às necessidades ou problemas de cada pessoa. Ofereço os meus serviços pessoalmente em Madrid ou online por videochamada.

      Referências bibliográficas

      • Gollwitzer, Peter e Brandstätter, Veronika. (1997). Intenções para efetivamente implementar e alcançar objetivos. Primeiro anúncio. em: Journal of Personality and Social Psychology 73, 1, p. 186 – 199.
      • LeBoeuf, M. (1979). Trabalho inteligente. Nova York: Warner Books.
      • Morgenstern, J. (2004). Gerenciamento do tempo de dentro para fora: o sistema infalível para controlar sua agenda e sua vida. Nova York: Henry Holt / Owl Books.
      • Nachon, C. e Nascimbene, F. (2001), Introdução à Psicologia do Esporte. Buenos Aires: EUDEBA.

      Deixe um comentário