Estratégias para uma preparação mental de sucesso para uma maratona

Uma maratona é uma prova em que se tem que correr 42 km seguidos, por isso exige uma preparação física, tática, técnica e mental de alto rendimento, adaptada ao esforço que vamos colocar no nosso corpo e mente.

Apesar de atletas profissionais participarem desta prova, muitos deles são corredores populares ou pessoas que correm pela primeira vez em uma maratona após algum tempo de preparação e após completarem outras provas de longa distância (semi-maratona, dez mil metros, etc.). Para realizar a preparação do teste são necessários uma série de estratégias de enfrentamento psicológicas ideais para o treinamento de maratona, Como a seção mental será a chave para muitos quilômetros.


    Estratégias para preparar

    De acordo com o psicólogo esportivo Jose María Buceta, os corredores costumam usar técnicas como parar de pensar, autoaprendizagem e planos de reorientação da atenção porque vimos que o que mais influencia os maratonistas na prova são seus pensamentos.

    Desta forma, por meio de treinamento psicológico adequado, os atletas eles usam estratégias como enfrentamento para interromper a atividade mental prejudicial e substituí-lo por um que promova a superação desses momentos críticos e não atrase o desempenho do teste.

      Estratégias associativas e dissociativas

      Os autores Morgan e Pollock argumentaram que a atividade mental dos maratonistas é definida por estratégias associativas e dissociativas. As primeiras são baseadas na atenção, reflexão ou auto-diálogo sobre as próprias sensações corporais ou a atividade envolvida na corrida (atenção ao circuito). O segundo envolve uma desconexão da atenção dos fatores acima em favor de estímulos fora da atividade, ou seja, focar no cenário, na música, no público etc. Essas estratégias mudam dependendo do tipo de corretor.

      José Maria Buceta viu que no caso dos corredores populares, a atividade associativa e dissociativa pode ser relevante para os seus objetivos de desempenho. Porém, quando se trata de corredores que desejam se divertir, é melhor usar estratégias associativas na maior parte da corrida, alternando-as com estratégias dissociativas nos momentos menos críticos.

      Quais são as fases emocionais de uma maratona?

      Nós podemos ver isso no nível psicológico, fadiga, fadiga e desgaste ocorrem, Como há muitos quilômetros incluídos neste teste. Vich define diferentes etapas ou “fases emocionais” pelas quais passamos em função dos quilômetros percorridos.

      Fases emocionais da maratona (Vic, 2002):

      final

      Por fim, enfatize novamente que a Maratona é condicionado por qualidades físicas e psicológicas, Porque para lidar com um esforço físico tão prolongado, é preciso muita força mental. Por isso, diante dela, também é necessário trabalhar e treinar a parte mental para administrar as sensações de cansaço e fadiga associadas ao teste.

      É fundamental tentar dar a mesma importância à parte física e à psicológica se se deseja obter um bom desempenho na prova.

      Deixe um comentário