Os 7 tipos de jogos de azar (causas, sintomas e tratamento)

Embora os vícios sejam um problema sério, nem todos são apresentados da mesma forma. Existem diferenças claras organicamente se você é viciado em uma substância, como nicotina ou cocaína, do que se você tem um determinado comportamento, como fazer compras ou jogar.

E o vício do jogo, também conhecido como vício do jogo, é um problema que pode se manifestar de maneiras sutis, seja porque a sociedade não tem sensibilidade suficiente para o problema ou porque no nível popular você tem uma má ideia.

Embora falar sobre tipos específicos de jogos de azar seja um pouco complicado, é possível falar sobre os tipos de jogadores e os riscos do transtorno, e neste artigo vamos nos concentrar nisso.

    O que queremos dizer com jogo patológico?

    Jogo patológico, também chamado de transtorno do jogo, é um distúrbio do controle dos impulsos, fazendo com que aqueles que sofrem com isso sintam um desejo irresistível de apostar no jogo, Sem poder se controlar. As apostas, que podem ser muito grandes, causam problemas financeiros à pessoa, pedindo-lhe empréstimos que dificilmente conseguirá pagar.

    O jogo torna-se um comportamento viciante, semelhante ao consumo de tabaco, álcool ou alimentos com alto teor calórico. O vício faz com que os jogadores patológicos fiquem fora de controle, perdendo completamente a capacidade de parar seu comportamento.

    No longo prazo, as pessoas que estão no ambiente imediato da pessoa afetada percebem o problema, geralmente são elas que procuram ajuda e param de perder dinheiro. Diante disso, é mais comum o jogador negar ter um problema, alegando que se trata apenas de uma sequência ruim e que, no final das contas, conseguirá ganhar o que precisa para pagar o que deve.

    Tipos de jogos de azar (e seus sintomas)

    Como acontece com todos os distúrbios psicológicos, existem tantos tipos de jogos de azar quanto tipos de pessoas, Mostrando sintomas intimamente relacionados aos traços de personalidade do indivíduo. No entanto, é verdade que existem perfis de jogadores que são mais propensos a sofrer desse distúrbio de controle de impulso do que outros.

    Então, veremos todos os tipos de jogadores que existem, qual o risco de sofrer o vício do jogo e, sobretudo, qual é o perfil específico do que é considerado um jogador patológico falando academicamente.

    1. Jogador profissional

    Este tipo de jogador caracteriza-se por fazer do jogo algo que faz parte da sua vida., Como se fosse uma profissão. De uma forma ou de outra, eles desenvolveram estratégias eficazes para lucrar com o jogo.

    O jogador profissional é aquele que tem alta tolerância à frustração, paciência, inteligência e autocontrole. Ele age de maneira muito cuidadosa para garantir que eles não joguem seus lucros no chão.

    Embora o jogo seja uma coisa muito comum na sua vida, esse perfil de jogador geralmente não tem as características de um jogador, pois os viciados costumam agir de forma impulsiva e irracional.

    2. Jogador social ocasional

    É ele quem se dedica a um jogo de azar de forma muito pontual, simplesmente para se divertir com outras pessoas., Enquanto desfruta da atividade.

    Esse tipo de pessoa seria alguém que deseja passar a tarde jogando pôquer com os amigos no trabalho ou jogando caça-níqueis por um tempo enquanto espera que eles tragam o que ele pediu no bar.

    É jogado para passar o tempo, aliviar o stress e socializar, de forma a não obter grandes lucros.

    As características mais notáveis ​​deste perfil de jogador são que a sua autoestima não é influenciada pelo resultado das apostas, considera os outros aspectos da vida muito mais importantes e as vitórias e derrotas costumam ser moderadas.

    3. Ator social sério

    Ao contrário do perfil de jogador anterior, o jogador social sério dedica várias horas ao jogo não como entretenimento, mas sim como um mecanismo para lidar com os problemas do dia a dia e o estresse que eles geram.

    O jogador social sério investe uma quantia considerável de dinheiro e grande parte do seu tempo livre no jogo, o que pode gerar problemas familiares, sociais e profissionais.

    Este perfil, embora não seja considerado patológico em si, pode evoluir para uma dependência real do jogo.

    4. Jogador com estratégia de escape-alívio

    Na maioria dos casos, vícios parecem ser um mecanismo ineficaz para lidar com problemas emocionais ou preencher um vazio sentimental.

    Os jogadores com uma estratégia de escape e alívio usam o jogo da mesma forma que os jogadores sociais sérios, mas com a distinção de que o jogo é o único mecanismo que conhecem para lidar com a depressão, a ansiedade e o estresse.

    Este tipo de perfil, que atua impulsivamente, é caracterizado por uma tendência de quase nunca vencer. Na verdade, quando eles jogam, eles estão em um estado emocional muito intenso para serem capazes de pensar racionalmente.

    A sua capacidade de julgar e tomar decisões é muito fragilizada pela forte emocionalidade que vivencia, tendo tendência para apostar grandes quantias e sem pensar nas possíveis consequências.

    Perder muito dinheiro é algo que, a longo prazo, contribui para aumentar as emoções negativas, especialmente o estresse e a depressão. Portanto, esse perfil é o tipo que pode evoluir para o vício do jogo.

    5. Jogador conservador

    Este perfil é um pouco estranho porque, se houver o risco de evoluir para uma situação problemática, a verdade é que no caso do jogador conservador, ele jogará mais pela experiência do que para ganhar dinheiro.

    Seja por curiosidade ou apenas porque querem sentir a emoção de poder ganhar algo, esses jogadores mergulham no mundo dos jogos apenas para ver o que está acontecendo.

    Realmente, é muito raro que uma pessoa com esse perfil acabe sendo um jogador manual.

    6. Jogador anti-social

    Jogador anti-social recebe este nome por entrar em terreno ilegal, Como apostas capturadas, lançamentos de dados, briga de galos ou qualquer outro evento envolvendo crime.

    O jogador anti-social tem a intenção clara de ganhar muito dinheiro de qualquer maneira, mesmo que isso signifique magoar os outros, mentir, enganar, roubar ou magoar os outros.

    Embora sua relação com o jogo não deva ser algo patológico em si, o jogador anti-social pode manifestar traços de personalidade e outros aspectos vitais que precisam ser tratados em psicoterapia.

    7. Jogador compulsivo

    Jogadores problemáticos colocam suas vidas em espera e são controlados pelo jogo e pela necessidade de ganhar dinheiro. Este é o perfil mais claro de uma pessoa viciada em jogos de azar ou, caso ainda não o tenha feito, corre um enorme risco de o desenvolver.

    Muitos deles não vão querer admitir que o jogo está sob controle, este é o primeiro sintoma de que você está lidando com um verdadeiro vício do jogo.

    Além de gastar muito tempo jogando, quem tem consciência do problema pode tentar deixá-lo sozinho, sem sucesso. Também estabelecem um limite monetário que não deve ser ultrapassado, mas quase nunca o atinge e acaba ultrapassando.

    Eles se deixam levar pelas emoções e, seja diante de uma derrota ou de uma vitória, a vontade de continuar jogando aumenta.

    Apesar dos problemas financeiros associados à perda de grandes somas de dinheiro, bem como das tensões familiares e interferências na vida profissional, ele não para de se comportar.

    Eles vivem constantemente no erro do jogador, no pensamento supersticioso, acreditando que quaisquer perdas ocorridas aumentam as chances de vitória no próximo jogo ou no próximo jogo.

    Referências bibliográficas:

    • American Psychiatric Association (2013). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (5ª ed.). Arlington, VA: American Psychiatric Publishing.
    • Preto, D.; Shaw, M. (2008). Comorbidade psiquiátrica associada ao jogo patológico. Tempo psiquiátrico. 25 (12).

    Deixe um comentário