Os 6 benefícios mais importantes da psicoterapia infantil

A psicoterapia pode ser aplicada a todos os tipos de pessoas, mas seus métodos e objetivos variam, entre outras coisas, dependendo da faixa etária a que o paciente pertence.

Isto é particularmente importante no caso dos serviços de apoio psicológico para meninos e meninas, porque nos primeiros anos de vida as mudanças ocorrem muito rapidamente tanto física, mentalmente e socialmente, e a intervenção psicológica deve estar atenta a esta realidade. Somando-se a isso o fato de que a infância é uma fase em que são necessários cuidados e apoio especiais, não é de se estranhar que a terapia infantil seja um dos serviços mais procurados no campo da psicologia.


Neste artigo você encontrará um resumo dos benefícios mais importantes da psicoterapia infantil, Uma forma de conhecer seu potencial.

    Quais são os principais benefícios da psicoterapia infantil?

    Como o nome sugere, a psicoterapia infantil é o tipo de terapia psicológica usada para cuidar de quem está passando pela infância.

    1. É um guia para desenvolver sua identidade

    Na infância, somos particularmente sensíveis a rótulos e adjetivos que outras pessoas colocam em nós.: Muitas vezes passamos a acreditar tanto neles que nos limitam. Para permitir que as crianças descubram seu potencial em diferentes áreas da vida, a terapia pediátrica oferece ferramentas para explorar sua identidade e habilidades sem depender da perspectiva dos outros.

    2. Oferece apoio e orientação aos pais

    Criar e educar não é fácil, principalmente se você não tem experiência na área. Nesse sentido, a psicoterapia infantil é muito útil, pois os pais contam com o aconselhamento de uma psicóloga que lhes dá orientações adaptadas ao seu caso.

    3. É um lugar para aprender a expressar suas emoções

    Os bebês não nascem sabendo como canalizar seus sentimentos e emoções de forma adequada, dado o contexto em que se encontram o tempo todo. Desta maneira, terapia pediátrica é útil para eles desenvolverem sua inteligência emocional, Para que ele seja mais capaz de identificar suas emoções e expressá-las da forma mais construtiva possível.

      4. Fornece uma estrutura para organizar

      Comparado aos adultos, meninos e meninas são mais propensos a se comportar de acordo com incentivos de curto prazo. A psicoterapia infantil ajuda a estruturar padrões de comportamento com metas estabelecidas para curto, médio e longo prazo, de modo a não se limitar a ceder aos seus impulsos.

      5. Ajuda-os a viver juntos e a gerenciar conflitos

      Outra área importante de intervenção na terapia pediátrica tem a ver com gestão de conflitos e consideração dos interesses dos outros. Embora o grau em que o podem conseguir dependa muito da idade, nestas sessões trabalham de tal forma que, de acordo com o seu grau de desenvolvimento, não se concentram apenas nos desejos que também os protegem.

      6. Ajuda a desenvolver estratégias de resiliência e adaptação

      Especialmente nos casos em que as crianças sofrem de doenças ou distúrbios psicológicosÉ importante que eles sejam capazes de desenvolver habilidades psicológicas relacionadas à resiliência, mesmo que sua condição não seja crônica. No entanto, deve ficar claro que a terapia pediátrica não se aplica apenas aos casos em que existem patologias físicas ou mentais.

      Você está procurando apoio psicoterapêutico para meninos e meninas?

      Se você está interessado na participação de seu filho em terapia para crianças e adolescentes, entre em contato conosco. Fr Psicólogos avançados Temos mais de duas décadas de experiência em atendimento psicoterápico e atualmente atendemos pessoas de todas as idades. Além da terapia psicológica individualizada, oferecemos serviços em neuropsicologia, psiquiatria, coaching, terapia familiar e terapia de casal. Você nos encontrará em Madrid.

      Referências bibliográficas:

      • Berk, LE (2012). Bebês e crianças: pré-natal à meia-infância (7ª ed.). Allyn e Bacon.
      • Taylor, LC, Clayton, Jennifer D., Rowley, SJ (2004). Socialização acadêmica: entendendo as influências dos pais no desenvolvimento acadêmico dos filhos durante os primeiros anos. Jornal de psicologia geral. 8 (3): 163-178.
      • Vidales, I. (2004). Psicologia Geral. México: Limousin.
      • Yamagata-Lynch, LC (2010). Métodos de análise de sistemas de atividade: entendendo ambientes de aprendizagem complexos. New York, New York: Springer Science.
      • West-Eberhard, Mary Jane (2003). Plasticidade e evolução do desenvolvimento. Imprensa da Universidade de Oxford.

      Deixe um comentário