Ferramentas de avaliação educacional: o que são, tipos e características

A avaliação é um aspecto essencial de qualquer processo educacional, pois é por meio dela que se identificam os avanços e as áreas de melhoria dos alunos.

Tradicionalmente, um exame escrito ou rubrica foi escolhido, embora com o tempo mais técnicas de avaliação foram incorporadas ao setor de educação.


Então veremos os diferentes instrumentos de avaliação pedagógica, as características e alguns exemplos.

    Quais são as ferramentas de avaliação pedagógica?

    Entendemos por instrumentos de avaliação pedagógica qualquer técnica utilizada para avaliar o processo de ensino, a qualidade da aprendizagem dos alunos e o seu desempenho. Assim, é possível identificar os aspectos que devem ser melhorados especificamente nos alunos, analisar as causas da aprendizagem não realizada e tomar decisões no momento certo.

    A avaliação formativa centra-se na recolha, sistematização e análise de informação obtida em várias fontes, com o objetivo de melhorar a aprendizagem dos alunos e a intervenção pedagógica. A avaliação não pode depender de uma única técnica ou de um único instrumentoPorque desta forma apenas um tipo de conhecimento, habilidade, atitude ou valor seria avaliado de forma desintegrada.

    A seguir, veremos um conjunto de ferramentas de avaliação educacional, tanto observacionais quanto mais padronizadas e escritas, que podem ser úteis no campo da educação.

    Técnicas de avaliação de observação

    Dentro dos instrumentos de avaliação pedagógica, temos alguns que fazem parte das técnicas de observação. Essas técnicas permitem que os processos de aprendizagem sejam avaliados à medida que ocorrem. Dessa forma, os professores podem ver os conhecimentos, habilidades, atitudes e valores dos alunos e como eles os estão utilizando em uma determinada situação.

    1. Guia de observação

    O guia de observação consiste em um instrumento baseado em uma lista de indicadores, que podem ser escritos na forma de afirmações ou perguntas, e permitindo ao professor orientar seu trabalho de observação em sala de aula. É utilizado para observar as respostas dos alunos numa determinada atividade, como se comportam entre si, que perguntas se colocam perante um determinado assunto …

    2. Registro anedótico

    Um registro anedótico é um relatório que descreve fatos ou situações específicas consideradas importantes para o aluno ou classe, refletindo seus comportamentos, atitudes, interesses ou procedimentos. Para ser útil na avaliação, o observador deve registrar os fatos significativos de um ou mais alunos.

    3. Escala de atitude

    A escala de aptidão é uma lista de afirmações ou frases selecionadas para medir a atitude pessoal do aluno, tanto positiva, negativa e neutra, Na frente de outras pessoas, objetos ou situações.

    Técnicas de avaliação escrita

    As técnicas de avaliação escrita constituem um conjunto bastante abrangente de ferramentas de avaliação educacional. Refere-se a testes aos quais o aluno responde diretamente e aos quais o professor deve inferir se o conhecimento ou comportamento desejado foi adquirido.

    1. Caderno de aula

    O caderno de aula é uma ferramenta muito útil para a coleta de informações, principalmente para avaliação contínua. O aluno escreve no caderno tudo o que fez, Todos os dias ou todas as semanas. Assim, com esta ferramenta, podemos verificar aspectos como:

    • Se você tomar notas corretamente.
    • Seu nível de compreensão, abstração e as idéias que você seleciona.
    • Seu nível de expressão escrita, sua clareza e sua apropriação de suas expressões.
    • Ortografia, caligrafia, composição de frases …
    • As abordagens que ele faz com as informações fornecidas.
    • Se você entendeu o conteúdo essencial.
    • Se você incluir seus próprios pensamentos ou comentários.
    • Se você expandir as informações sobre os tópicos abordados.
    • Se você faz planos, resumos, sublinha …
    • Com que meticulosidade ele atualiza seu caderno.

    Antes de analisar o livro do curso, é necessário estabelecer critérios que facilitem a avaliação de um desses aspectos, Impedir que um deles, por si só, determine a própria avaliação no todo ou em parte.

    Além disso, desde o início, os alunos devem ser informados dos aspectos a serem considerados na análise do caderno e, uma vez realizada a avaliação, tempo será necessário para indicar o que está indo bem e o que precisa ser melhorado.

    2. Exames

    Os exames, tanto na sua versão tradicional escrita como oral, são aqueles testes que servem para avaliar o que os alunos estudaram, apresentando um conjunto de questões ou tarefas a resolver.

    A resolução dessas tarefas ou as respostas dadas pelo aluno o conhecimento ou ignorância do conteúdo ou a presença ou ausência de comportamentos nos alunos é deduzido.

    Dentre as características dos exames temos:

    • Eles medem resultados máximos.
    • Sua aplicação é padrão.
    • O dever de casa é uniforme para todos os alunos.
    • Os alunos sabem que estão sendo examinados.

    É muito importante entender que, embora úteis, esses testes eles não devem ser os únicos no processo de avaliação do ensino. Eles são um meio de analisar e valorizar outros aspectos do trabalho do aluno.

    É importante lidar com erros ou imprecisões nas evidências de uma perspectiva de pesquisa, em vez de sancionar. Se o aluno não entendeu determinado conceito, ele pode precisar de algum tipo de apoio após a prova para concluir o aprendizado.

    É importante entender que respostas corretas e incorretas fornecem aos professores informações valiosas para orientar suas aulas e o aluno na correção e superação dessas deficiências.

      3. Questionários

      Os questionários, no campo da educação, tornam-se exames em forma de teste. Eles são usados ​​para avaliar o conhecimento prévio em uma unidade didática determinado, colocando os itens em um formato altamente padronizado e sendo sua única resposta. Como o aluno não precisa escrever, mas responde certos itens de forma afirmativa ou negativa, é fácil para o professor corrigir esses testes.

      4. Mapas conceituais

      Os mapas conceituais são ferramentas para destacar as ideias principais de um determinado conteúdo. Eles ajudam professores e alunos a identificar e compreender facilmente os fundamentos da unidade de ensino que está sendo ensinada.

      5. Folhas de coleta de informações

      Essas planilhas são simples, mas muito úteis para o aluno e o professor. No caso do aluno, serve para sistematizar a coleta de informações sobre pequenos projetos de pesquisa. Para o professor, serve de guia para avaliação de outros instrumentos.

        6. Trabalhos monográficos e pequenas pesquisas

        Trabalhos monográficos e pequenas pesquisas são trabalhos de temática aberta que permitem aos alunos ampliar seus conhecimentos por conta própria. Dessa forma, o aluno é envolvido em seu processo de aquisição de novos conhecimentos.

        Esta ferramenta é particularmente útil para o professor, Uma vez que lhe permite perceber se o aluno desenvolveu atitudes relacionadas com o rigor, o gosto pela ordenação, sabe organizar a informação e apresentá-la de forma atractiva …

        Referências bibliográficas:

        • Lynch, J. (1977). Aprendizagem ao longo da vida e formação de professores. Reino Unido: Instituto de Educação da UNESCO, Hamburgo.
        • Miklos T. e Tello M. (1999). Planejamento antecipado. Uma estratégia para o desenho do futuro. México: Limusa
        • Saad, I. e Pacheco, D. (1982). Textos de formação de professores. Em “A formação e educação continuada de engenheiros civis do setor público”. Vázquez FG, editor. México: Instituto AC de Pesquisa Social e Educação
        • Zabalza-Beraza, MA, Montero-Taula, ML e Cebreiro-López, B. (coord.) (1995). Conteúdo apresentado em: Simpósio Internacional de Práticas Escolares. Editores: Universidade de Santiago.

        Deixe um comentário