Currículo espiral: o que é e como é usado na educação

Quando os professores de um centro educacional tentam planejar o que será estudado durante o curso, é comum falar de aspectos como os objetivos a serem alcançados, o conteúdo a ser ensinado, a forma de ensino …

Porém, é comum ignorar ou ignorar a forma de organizar os saberes que serão apresentados ao longo do ano, limitando-se a ensinar um após o outro e com o único propósito de esperar que os alunos o consigam. durante um exame. .


Nos últimos anos, planos têm sido feitos para mudar essa forma de ensino, tentando incentivar a aprendizagem significativa, garantindo que não apenas o que é dado em sala de aula seja lembrado, mas que seja compreendido e conhecido como relacionado a outros conhecidos. É neste contexto que assume particular importância o conceito de cursos em espiral, uma forma de organizar o conhecimento do ano letivo que veremos em mais detalhes neste artigo.

    O que é um resumo em espiral?

    O currículo em espiral é um programa educacional no qual é feita uma revisão dos conhecimentos já explicados anteriormente durante o curso. Esta revisão é feita de forma iterativa, ou seja, em sala de aula os conceitos e assuntos vistos anteriormente são abordados repetidamente.

    Não se engane ao pensar que este tipo de currículo envolve simplesmente repetir determinado conhecimento repetidamente de forma superficial, esperando que os alunos memorizem ponto por ponto e vírgula por vírgula o que foi explicado. No programa em espiral pretendem-se estabelecer conhecimento aprofundando-o, Convidando à reflexão e à pesquisa.

    A primeira pessoa a descrever essa ideia foi Jérôme Bruner em 1960. Esse psicólogo de Nova York observou que os professores que ensinavam matemática, história e ciências e podiam transmitir seus conhecimentos compartilhavam mais ou menos bem a seguinte metodologia de ensino.

    Primeiro, eles apresentaram intuitivamente uma série de idéias ou operações básicas. Após o domínio dessas noções básicas, elas foram gradativamente reformuladas com mais complexidade, além de estarem vinculadas a outros conhecimentos adquiridos anteriormente. Como resultado desse processo, as disciplinas citadas foram aprendidas de forma satisfatória, independente de seu conteúdo e dificuldade.

    Com esse método de organização do conhecimento, Bruner defendeu a ideia de que as aulas deveriam ser estimuladas em torno do aprendizado de questões, princípios e valores valorizados socialmente. O fim disso foi permitem que os alunos adquiram conhecimentos úteis, que sabem aplicar na sua vida quotidiana e permitir que ele se desenvolva mais facilmente como um adulto socialmente adaptado.

    Características básicas

    As principais características desse tipo de programa educacional são descritas a seguir.

    1. Revisão de conteúdo

    Ao longo do curso, os alunos veem o mesmo tema ou ideia repetidamente.

    Ao longo do curso, os alunos ele volta para ver, em diversas ocasiões, os temas já apresentados anteriormente.

    Assim, ao repetir as explicações de um conhecimento, é possível verificar até que ponto os alunos o aprenderam e detectar as dúvidas que possam existir.

    2. Dificuldade progressiva

    No início, o assunto é apresentado de forma simples e básica, Com o objetivo de que os alunos consigam ter uma ideia geral sobre o conceito dado.

    Posteriormente, quando o assunto for revisitado, isso será feito de forma mais complexa, introduzindo mais detalhes e aumentando a dificuldade.

    Assim, à medida que a complexidade do programa aumenta, o aprendizado torna-se mais fluido, sem correr o risco de queimar o aluno por não entender o que é explicado em aula.

    3. O novo está ligado ao antigo

    São introduzidas novas informações e habilidades, que estão vinculadas aos conhecimentos adquiridos nas fases anteriores da espiral.

    O que foi aprendido no início do curso, ou seja, nas primeiras voltas da espiral, está diretamente ligado ao que será aprendido mais tarde.

    Se o primeiro conhecimento for introduzido corretamente, o aluno não se sentirá saturado quando for explicado de forma mais complexa no futuro.

      4. Aumenta as habilidades do aluno

      Cada vez que o conhecimento é revisitado, a competência do aluno aumenta, Para atingir a meta acordada no programa.

      Benefícios dos currículos em espiral

      Como vimos, o desenho de currículos em espiral tem uma série de características bem diferenciadas no que diz respeito a como o ensino tem sido abordado a partir de uma perspectiva tradicional e sua forma linear na organização do conhecimento. . Essas diferenças no método espiral, por sua vez, oferecem vantagens, que são:

      1. Reforce o que foi aprendido

      Muitos professores costumam reclamar que, embora dêem um tópico que supostamente já foi visto em outras aulas, os alunos costumam dizer algo como: “Eu sei que dei, mas não me lembro o que era”.

      No currículo em espiral, como já mencionamos, uma repetição controlada do conhecimento dado é dada.

      Embora a estratégia seja não repetir à saciedade o que é dado na aula, é verdade que além disso a repetição tem menos probabilidade de esquecer o conteúdo dado.

      2. Do simples ao complexo

      Os tópicos a serem abordados durante o restante do curso são introduzidos de forma simples o suficiente para que os alunos não fiquem saturados ou exaustos no início.

      Um dos fatores que influenciam o fracasso escolar é a sensação de que o que é dado na aula está fora do alcance da pessoa, Sentir uma combinação de emoções negativas, como ansiedade e irritabilidade, que contribui para o não interesse pelos estudos ou pelo assunto em questão.

      Começando pelo básico e facilmente acessível, o nível de dificuldade aumenta, o que significa duas grandes vantagens.

      O primeiro é aquele o aluno sente que está no controle da situação e que não é tão difícil para ele aprender o novo conhecimento porque ele já domina o anterior.

      O segundo é aquele observe que ele aprende gradualmente mais e mais, Sendo um aspecto que contribui para o desenvolvimento de emoções positivas e também estimula a motivação e o interesse em aprender mais.

      3. Integração

      Tradicionalmente, o ensino tem sido feito de forma que o conteúdo das disciplinas seja apresentado de maneira totalmente independente. Mesmo dentro do mesmo tema, o conteúdo visto em um ano era radicalmente diferente ou nada relacionado ao dos anos seguintes.

      Por exemplo, É comum que as disciplinas de química e biologia sejam explicadas de forma completamente separada no ensino médio., Sem usar tópicos como química orgânica e fluidos do sistema digestivo como um elo interessante, para dar um exemplo.

      Outro caso, desta vez na mesma disciplina, é a forma como a biologia costuma ser ensinada no ensino médio. O primeiro ano se concentra na anatomia e função de sistemas e dispositivos no corpo humano, enquanto o próximo se concentra na composição química do corpo e na estrutura do DNA.

      Com o método do currículo em espiral, não se trata apenas de relacionar os saberes ministrados nas disciplinas da mesma disciplina, destina-se a se relacionar com outros tópicos.

      Essa integração é uma grande vantagem porque o conhecimento aplicado à vida real não faz distinção entre disciplinas ou disciplinas. Na vida cotidiana, o que foi aprendido é aplicado em vários contextos e sem fronteiras.

      4. Sequência lógica

      Embora este benefício possa parecer o mesmo da educação linear tradicional, há uma nuance a se considerar.

      Na educação linear, segue-se uma sequência em que os conhecimentos se sucedem, de acordo com as preferências dos professores.

      Aqui no currículo em espiral, esta sequência também pode implicar que o conhecimento vai um após o outro, mas depois de um tempo passar nas aulas por eles será um conhecimento repetido e seu nível aumentará. Há uma hierarquia e um aumento gradual da dificuldade, e essa dificuldade é feita com base no que os alunos viram ter aprendido.

      5. Objetivos de nível superior

      Na educação tradicional, o objetivo é que os alunos memorizem o que é ensinado em sala de aula e apresente durante um exame ou trabalho.

      No programa em espiral os alunos são convidados a participar de seu treinamento, Mostre-lhe que as coisas vistas na aula terão sempre um maior grau de complexidade, o que o convida a investigar este assunto por si mesmo.

      Por exemplo, em conexão com o exemplo anterior sobre biologia, o sistema respiratório pode ser explicado a você no início do curso. Nas próximas lições, você poderá explicar que existem certas doenças que afetam esse sistema, convidando-os a pesquisar seus próprios problemas médicos relacionados à respiração e quais tratamentos estão disponíveis para cada um deles.

      6. Flexibilidade

      Este tipo de curso é flexível, visto que é assimilado pelos alunos, Ser capaz de modificar o nível de dificuldade das fases seguintes da espiral, além de modificar o conteúdo a ser relacionado.

      Assim, ninguém fica para trás e é garantido que todos tenham um conhecimento bem estabelecido, além de facilitar a aprendizagem construtiva.

      Referências bibliográficas:

      • Dowding, TJ (1993) Applying a Spiral Curriculum Model to Technical Training Programs, Educational Technology, 33 (7), 18-28.
      • Good, T. e Brophy, J (1995). Psicologia educacional contemporânea. McGrawHill. México.
      • Harden, RM (1986) Dez perguntas a fazer ao planejar um curso ou programa.
      • Harden, RM (1999) O que é um programa em espiral?, Professor of Medicine, 21: 2, 141-143
      • Folheto de Educação Médica ASME No. 20, Educação Médica, 20, 356-365.
      • Kabara, JJ (1972) Spiral Curriculum, Journal of Medical Education, 47, 314-316.

      Deixe um comentário