Como entender meu filho adolescente por meio da paternidade?

Os conflitos entre pais e adolescentes se devem, em parte, à diferença entre as gerações.

Uma aceleração tecnológica tem chamado a atenção de adolescentes que buscam se sentir conectados ao mundo por meio de redes sociais, jogos …


Os adolescentes de hoje desenvolveram habilidades para usar essas tecnologias desde tenra idade e, em alguns meninos, isso gerou um estilo de vida de ficar conectado na maior parte do tempo. . Em alguns casos, eles deixaram de priorizar as atividades escolares para se manterem ocupados dessa forma, e a preocupação dos pais sobre como gerenciar o acesso e o tempo sem restringir completamente o uso desses dispositivos eletrônicos está aumentando.

Isso causou conflitos nas relações entre pais e adolescentes. Como abordá-los? Vamos ver.

    Erros comuns na educação de adolescentes

    Quando os meninos mostram intolerância e irritabilidade e atinge toda a família, os pais às vezes fazem tentativas desesperadas para melhorar a situação.

    Aqui estão as formas mais comuns usadas pelos pais que frequentam as sessões de aconselhamento terapêutico:

    • Impor penalidades e limitar o uso de dispositivos em sua totalidade (jogos, celulares, computadores) por períodos prolongados (de duas semanas a um mês).
    • Repreensão com expressões com adjetivos desqualificantes (bobo, covarde, irresponsável, rebelde).
    • Empurre, agite.
    • Restrinja autorizações para festas ou atividades de socialização com amigos.
    • Atribua responsabilidades dentro da casa, como participar de uma atividade de arrumação e limpeza da casa ou do quarto.
    • Limite o acesso à escolha de um gosto pessoal e sua aquisição.

    Muitas vezes isso não funciona para eles, e os pais chegam a um ponto em que sua paciência se esgota e eles percebem que não podem mais “controlar” seu filho adolescente.

    Entendendo o adolescente a partir da psicologia

    Quando os pais vêm para a consulta de psicologia, o conselho que recebem é voltado para certas questões, como as seguintes.

    • Ajude-os a iniciar uma nova maneira de fazer mudanças na comunicação com o filho adolescente.
    • Fornece ferramentas para facilitar as restrições impostas.
    • Estabeleça novos limites de forma clara e com acordos.
    • Orientar os pais sobre como desempenhar seu papel parental e situar o papel do filho, orientando as responsabilidades de acordo com sua idade e permitindo que fortaleçam seu desenvolvimento.
    • Ensine-os a acompanhar o filho adolescente neste novo caminho de descoberta e autoconhecimento para se tornar um jovem e depois um adulto.

    É por isso que os seguintes pontos são discutidos:

    • Entenda que seu filho está entrando em uma nova fase de desenvolvimento que o deixa nervoso, com a necessidade de ser reconhecido até mesmo nas emoções, frustrações, preocupações e na vontade de sentir uma certa independência.
    • Ser capaz de reconhecer que os meninos podem se observar, refletir sobre suas ações e ser capazes de dar suas próprias explicações sobre suas ações.
    • Recupere-se facilmente de conflitos e prossiga com seus negócios.
    • Reconheça que quando os jovens reagem para defender sua posição, não é por desrespeito; procuram não se afirmar na resolução de seus conflitos existenciais, sem sucesso.
    • Eles procuram alcançar sua autonomia expressando seus estados de ânimo, e a família é levada a uma mudança de ritmo e tom na comunicação com os adolescentes.
    • A compreensão de como o adolescente começa a viver vai depender de sua personalidade, de como ele conviveu com os pais quando criança e das mudanças no ambiente doméstico.
    • Entenda como seu filho se sente sobre seu corpo, tamanho, mudanças hormonais e emocionais e as crenças que moldam seu autoconceito e auto-estima.

    Possível centro do problema

    Os pais vêm à consulta para encontrar ajuda para continuar a apoiar o desenvolvimento e a formação de seus filhos. Por outro lado, às vezes a consulta torna-se preventiva para evitar futuras mudanças na vida emocional dos meninos. Esses aspectos são importantes para iniciar um processo de apoio que fortaleça o desenvolvimento do adolescente e direcione ações para a saúde mental e emocional.

    Alguns dos desafios que afetam a saúde mental do adolescente incluem o seguinte.

    1. Saúde física

    Existem doenças que se manifestam com sintomas de falta de energia, interpretada como preguiça ou falta de motivação ou início de depressão; por isso é importante manter as consultas do pediatra até esse período da adolescência.

    2. A qualidade do sono

    Os problemas do sono podem ser temporários ou muito frequentes; é importante procurar as causas. Eles podem passar por ansiedades ou preocupações que são fáceis de resolver e regular o sono.

      3. Sua dieta

      Em quantidade e qualidade, o poder é a chave manter bons hábitos alimentares.

      4. Seu desempenho escolar

      Nesse ponto, é normal que eles comecem a apresentar alguma variação em seu desempenho acadêmico. Isso não é alarmante, desde que permaneçam dentro da média que pode ser fornecida.

      Se esta mudança for muito marcada e inesperada por períodos prolongados ou se ele se ausentar da escola já é motivo de atenção e preocupação.

      5. Problemas com amigos

      A qualidade de seus amigos é uma variável importante para identificar se você está passando por instabilidade emocional em seu desenvolvimento.. É importante observar se ele consegue manter amizades e fazer novos amigos, se se sente rejeitado por seu grupo ou procura amigos que não o valorizam ou não o respeitam.

      6. Mood mismatch

      As flutuações de humor são muito comuns nesta idade. Se as mudanças forem muito drásticas a qualquer momento e impedirem você de falar sobre isso por uma semana inteira, isso pode ser uma indicação de que você pode ter um transtorno psicopatológico e não pode lidar com ele. É aqui que você pode buscar ajuda profissional.

      Deixe um comentário