Terapia Racional Emocional Comportamental (TREC) de Albert Ellis

Albert Ellis (1913 – 2007) foi um dos psicólogos mais influentes do século XX e uma das figuras mais proeminentes no campo da psicologia após sua ruptura com a escola da psicodinâmica.

Ele foi o criador de uma das teorias que revolucionaram os fundamentos e a metodologia no tratamento de problemas emocionais e psicológicos, conquistou um lugar de honra entre os maiores psicólogos. Hoje estamos falando sobre Albert Ellis e o TREC.


Albert Ellis e a Terapia Racional Emocional Comportamental (TREC)

Sua teoria (a Terapia Racional Emocional Comportamental).

Albert Ellis nasceu em Pittsburgh em 1913 e estudou na Columbia University, em Nova York, especializando-se na formação de profissionais psicanalíticos. Lá obteve seu doutorado em 1947. Ellis rapidamente tomou consciência dos limites da teoria de Sigmund Freud e, decepcionado com os poucos resultados que obteve com seus pacientes, abandonou gradualmente a teoria psicanalítica para começar a trabalhar em sua própria teoria.

A partir de 1953, rompeu completamente com a psicanálise e começou a desenvolver um tipo de psicoterapia que chamaria de Terapia Racional Emocional, uma espécie de psicoterapia de orientação. comportamento cognitivo.

TREC: O que é?

Mas, O que é Terapia Racional Emocional? Ellis é conhecido por ter sido treinado no campo das letras. Entre seus estudos, teve muito a ver com filosofia, que serviria como base principal para o desenvolvimento posterior de sua teoria. Ellis acreditava que sua teoria poderia ser resumida na frase do famoso filósofo estóico grego Epiteto, que afirmou que “as pessoas não se incomodam com os fatos, mas com o que pensam dos fatos”.

Ellis desenvolveu sua teoria ilustrando-a como mostrado em este gráfico:

Albert Ellis considerou problemas comportamentais e emocionais poderiam ter sua gênese a partir de suas três fontes: a do pensamento, a emocional e a do comportamento. Ele apontou como os pensamentos afetam os distúrbios psicológicos.

Ellis (1995) afirmou que as pessoas são em grande parte responsáveis ​​por seus sentimentos perturbados, que são gerados consciente ou inconscientemente. Portanto, essas mesmas pessoas têm todos os recursos para poder mudar seus pensamentos e trazer estados duradouros e estáveis ​​para suas vidas.

A ligação entre pensamento e emoção

De acordo com Ellis, isso mostra como o pensamento e a emoção estão intimamente ligados. Ellis argumentou que a causa da perturbação ou angústia emocional não é o que acontece no ponto A, mas que as pessoas criam uma estrutura de crenças no ponto B e reforçam essas crenças de forma negativa e muitas vezes prejudicial que se manifesta em reações comportamentais ou emocionais: ponto C, de acordo com Ellis (1962).

Este corpo teórico e a terapia que dele deriva Tem sido amplamente criticado por alguns profissionais psiquiátricos e da própria psicologia, alegando que pecou por um excesso de “racionalismo” que tornou a teoria percebida como inviável e não científica. aplicou o TREC, com grande confiabilidade e excelentes resultados, razão pela qual o TREC, desde sua criação por Albert Ellis até os dias atuais, está na vanguarda da psicoterapia.

Os estudos que Ellis desenvolveu ao longo de sua vida deram frutos. Atualmente, seu instituto localizado em Nova York continua trabalhando na formação de psicoterapeutas, por meio de conferências, atendimento a pessoas com problemas familiares e pessoais, e com estudos que fazem a ciência da psicologia desenvolver dia a dia novas ferramentas para um século tão exigente quanto aquele em que vivemos.

A terapia racional emocional comportamental tem um papel claro a desempenhar, como aponta Saranson (2006) em seu livro Abnormal Psychopathology. o problema do comportamento inadequadoonde ele se refere a Ellis e Dryden (1977): as pessoas precisam desafiar suas crenças centrais (na maioria dos casos, irracionais) e depois substituí-las por crenças mais construtivas (racionais).

O TREC não tem sido aplicado apenas no campo clínico, mas existem vários escritos sobre a intervenção nos campos do trabalho e da educação. Uma psicoterapia que oferece muitas possibilidades no estudo do ser humano, emoções, pensamento e saúde mental.

Referências bibliográficas:

  • Caballo, V. (2010), Manual Técnico e Modificação de Comportamento
  • Ellis, A. (2003), Handbook of Rational Emotional Therapy, Editorial Desclee
  • Saranson, B. e Saranson, I. (2006), Psicopatologia anormal, o problema da má conduta, Pearson Editorial

Deixe um comentário