Psicologia em casa: uma nova forma de cuidar dos pacientes

Hoje, uma nova forma de psicoterapia está se desenvolvendo: é psicologia em casa.

Este tipo de terapia, ao contrário da terapia tradicional, é realizada na casa do cliente, de modo que a intervenção psicológica doméstica combina algumas vantagens da terapia online e da terapia tradicional face a face o que é feito em consulta. Neste artigo, analisamos as chaves para a compreensão dessa nova abordagem.


    O que é terapia em casa?

    A psicologia domiciliar refere-se às situações em que o psicoterapeuta vai até a casa do paciente para realizar as sessões que permitirão ao paciente melhorar sua qualidade de vida e bem-estar.

    A ideia da psicologia domiciliar surge porque muitas vezes o paciente pode ter muitos problemas para ir à consulta quando está em um momento emocional ruim, ele tem uma deficiência que o impede de se mover, ele sofre de uma crise grave ou tem um limitação quanto ao meio de transporte (seja porque não tem veículo ou porque a rede de transporte público não é a ideal para chegar ao posto).

    Por causa de suas características e benefícios associados, a psicologia domiciliar pode ser a solução para essas barreiras, assim como quando um médico visita a casa de um paciente. É outra alternativa à terapia face a face, da mesma forma que a terapia online tenta tornar o serviço um pouco mais acessível. No entanto, quando se trata do último, alguns pacientes podem considerá-lo muito impessoal quando feito por meio de um computador, telefone ou e-mail.

    Em contraste, a psicoterapia domiciliar permite que você mantenha contato face a face com o paciente, pois é uma forma de terapia face a face, mas com todos os confortos de casa. Assim, o paciente pode se sentir mais confortável e confiante por estar em um local que conhece muito bem.

    Por que fazer terapia psicológica

    Seja pessoalmente durante a consulta, online ou em casa, passar por uma terapia psicológica pode ser benéfico para muitas pessoas. Mas mesmo que um indivíduo não se sinta completamente bem emocionalmente porque certas situações em sua vida o oprimem, nem sempre é fácil se locomover e ir a uma clínica de psicologia para buscar ajuda e receber tratamento.

      Ainda há muita gente que pensa que para ir ao psicólogo é preciso ter um distúrbio grave, quando na realidade as pessoas vão às sessões de psicoterapia por vários motivos: por problemas de relacionamento, para melhorar o conhecimento. De si mesmo e da inteligência emocional ou para adquirir uma série de hábitos ou habilidades que irão melhorar sua adaptação ao ambiente ao seu redor.

      Na verdade, ainda existem indivíduos que eles acreditam que a visita de um psicoterapeuta é um sintoma de fraquezaQuando na verdade é um sintoma de coragem e uma forma de se tornar uma pessoa muito mais forte e preparada para o que pode surgir no seu dia a dia.

      Se você está planejando ir ao psicólogo, é bom ter isso em mente os benefícios associados à psicoterapia:

      • Isso ajuda você a se sentir melhor.
      • Melhore sua autoconfiança.
      • Ele fornece ferramentas para gerenciar conflitos diariamente.
      • Ajuda a superar crenças limitantes.
      • Ele permite que você viva em harmonia com as pessoas com quem se relaciona.
      • Ajuda você a encontrar um equilíbrio emocional.
      • A relação terapêutica é confidencial, então você pode explicar o que precisa ao psicólogo.
      • Ajuda você a se fortalecer na vida.

      Se você quiser explorar esses benefícios mais a fundo, pode ler este artigo: “Os 8 benefícios de se submeter à terapia psicológica”

      Psicólogos domiciliares: algumas considerações

      Como vimos, a terapia em casa pode ser uma opção muito boa para os pacientes eles estão em casa e se sentem mais confortáveisAssim, podem desenvolver facilmente no profissional a confiança necessária para a criação de um bom ambiente terapêutico.

      É também uma excelente alternativa no caso da psicoterapia infantil, pois os profissionais que realizam a intervenção podem observar as habilidades e estilos parentais em seu ambiente natural, ou seja, na casa da família. Psicólogos domésticos podem observar a dinâmica do relacionamento que ocorrem entre pais e filhos no dia a dia, com menos filtros do que em outros ambientes. Por exemplo, isso pode ser particularmente útil no caso de uma garota problemática que exibe padrões de comportamento perturbadores.

      No entanto, nesses casos, deve-se tomar cuidado para garantir que todos os membros da família estejam presentes e envolvidos no processo de terapia e, se necessário, deve-se oferecer apoio aos pais na criação de seus filhos. Deve-se ter em mente que as barreiras que os adolescentes possam colocar devem ser retiradas, pois podem sentir que seu espaço está sendo violado, estando o psicólogo em seu próprio território.

      benefícios

      Já vimos que a terapia domiciliar compartilha os benefícios da terapia face a face e da terapia à distância. Mas quais são essas vantagens? O que torna esse tipo de terapia uma boa alternativa?

      Contado e debatido, os principais benefícios da psicologia doméstica são as seguintes:

      • A casa da pessoa pode fornecer informações que uma clínica não consegue encontrar.
      • O paciente pode se sentir menos vulnerável porque é ele quem recebe o psicólogo. Ele se sente em seu campo, onde faz sua vida com total normalidade.
      • Os pacientes não são atendidos no centro de psicologia, então há mais privacidade.
      • Mais conforto por não ter que mover o paciente.
      • Maior confiança para sentir o paciente em seu campo.
      • Custo menor, pois o psicólogo não precisa pagar por vaga para realizar a terapia.
      • Possibilidade de mais membros da família presentes.
      • Ambiente propício à realização de exercícios (principalmente com os mais pequenos que se sentem em casa).

      A psicologia doméstica como uma nova opção

      Sessões de psicologia domiciliar são definitivamente uma boa maneira de fazer terapia, pois os pacientes podem se beneficiar por uma série de razões, como você deve ter visto.

      Contudo, ao realizar na casa do paciente, certas questões devem ser levadas em consideração: É seguro fazer sessões de terapia em casa? Existe um mínimo de confidencialidade? Existe um lugar confortável para conversar? O cliente se sente seguro em casa? O cliente e o terapeuta podem se concentrar na terapia em casa?

      O terapeuta deve estar ciente de que, se uma série de fatores não forem levados em consideração, é muito fácil perder o controle em diferentes situações. Se esses fatores forem controlados, as sessões podem ser bem-sucedidas.

      Deixe um comentário