Os 6 benefícios mais importantes de ir ao psicólogo durante a gravidez

A gravidez não é apenas um processo no qual ocorre uma clara transformação física. É também um fenômeno com repercussões psicológicas significativas para as mulheres e, por extensão, também para o parceiro (se aplicável).

Isso ocorre principalmente no caso de mães adolescentes, mas em maior ou menor grau também ocorre em praticamente todas as gestações, independentemente das que já ocorreram. Não se trata apenas das mudanças hormonais que ocorrem no corpo da gestante, mas também das mudanças em seu contexto, de seus papéis e das expectativas que ela deve saber administrar, entre outras.


Em suma, muitos elementos psicológicos e sociais entram em jogo quando um bebê é esperado. E é justamente por isso que muitos psicólogos oferecem atendimento especializado para quem precisa se adaptar à gravidez e tudo o que isso acarreta. Portanto, veremos aqui um resumo dos benefícios de ir ao psicólogo durante a gravidez.

    O que é psicologia perinatal?

    A psicologia perinatal é o ramo da psicologia que é responsável pela pesquisa e intervenção em todos os processos emocionais, comportamentais e cognitivos relacionados à gravidez e maternidade durante os primeiros meses da paternidade.

    Esta é uma área de trabalho que auxilia pessoas que não precisam desenvolver psicopatologia, mas que de qualquer forma têm necessidades especiais relacionadas ao modo como enfrentam a nova situação de gravidez.

    Assim, psicólogos que oferecem serviços em psicologia perinatal dão apoio a gestantes e puérperas, bem como, em muitos casos, seus parceiros. Além disso, também é comum apoiar mulheres que fizeram um aborto indesejado ou que têm problemas de fertilidade e os obstáculos em tentar ser mãe afetam sua qualidade de vida.

    Os benefícios de ir ao psicólogo durante a gravidez

    Este é um resumo dos principais benefícios de ir ao psicólogo durante a gravidez.

    1. Aconselhamento é oferecido

    Nos serviços de psicologia para gestantes, é possível encontrar modelos de comportamento para se adaptar psicologicamente à gravidez e à maternidade após o nascimento do bebê. esta ajuda saber como gerir todos os desafios colocados por esta nova forma de vida sem que a própria saúde mental sofra.

    Por exemplo, fornece informações sobre como administrar horários, como dividir responsabilidades dentro do casal sem alimentar conflitos, como combinar momentos de descanso com os de trabalho, etc.

    2. Promova programas de autocuidado

    No ponto anterior, vimos que nas sessões com a psicóloga é possível obter informações sobre os mais diversos aspectos relacionados à gravidez..

    Porém, também é possível ir além de receber informações e se envolver em programas de treinamento psicológico para poder transformar palavras em ações, principalmente em algo tão importante como o autossustentável.

    Por aqui, o trabalho do psicólogo gera atividades e contextos que facilitam a manutenção de hábitos saudáveis ​​tanto física quanto psicologicamente dia a dia. Isso envolve fazer exercícios de automotivação para acompanhar os horários, atenção para manter a ansiedade sob controle, definir gatilhos de ação para evitar adiar nossas responsabilidades alimentares ou ficar bem.

    4. Ajuda a gerenciar medos

    A gravidez está associada a tudo uma série de expectativas e previsões sobre o que pode acontecer.

    Nesses casos, é relativamente fácil cair em pensamentos obsessivos sobre tudo que pode dar errado, o que não é incomum quando você considera que ter um bebê é uma experiência de mudança de vida: na falta de informação, é comum se preocupar com até que ponto os problemas podem surgir durante a gravidez, parto, adaptação ao papel da mãe, etc.

    Portanto, nas sessões com o psicólogo ferramentas são oferecidas para gerenciar essa ansiedade, adotando uma mentalidade construtiva.

    5. Melhora o autoconhecimento

    Durante a gravidez, é fácil para as mulheres grávidas entrarem em contato com partes suas que nunca conheceram antes.

    Por isso, da Psicologia Perinatal oferece ajuda no aproveitamento do potencial de autoconhecimento desses tipos de experiências. Por exemplo, eles são ensinados a manter um diário de emoções, a detectar formas problemáticas de gerenciamento emocional (ânsias de comida, puxões de cabelo, etc.), a compreender a escala de valores e prioridades que são seguidos e o mês.

    6. Ajuda é oferecida em face de possíveis problemas psicológicos.

    Em alguns casos, a gravidez pode atuar como um gatilho (não a única causa) para distúrbios psicológicos que precisam ser tratados na terapia. Confrontado com isso, é importante detectar esses problemas o mais rápido possível e resolvê-los com suporte profissional.

    Procura ajuda psicológica no processo de gravidez e maternidade?

    Se deseja beneficiar de apoio profissional na área da psicologia perinatal, contacte a nossa equipa de profissionais. Fr Bem estar vibra Oferecemos assistência psicológica presencial no nosso centro de Madrid e através de terapia online.

    Referências bibliográficas:

    • Dirix, CEH; Nijhuis, JG; Hornstra, G. (2009). Aspectos da aprendizagem e memória fetal. In: Desenvolvimento infantil, 80 (4): pp. 1251-1258.
    • Hepper, PG (1994) The Beginnings of the Spirit: Evidence of Fetal Behavior. Journal of Reproductive and Child Psychology, 12: páginas 143-154.
    • Masoni, S.; Maio, A.; Trimarchi, G.; De Punzio, C.; Fioretti, P. (1994). Síndrome de Couvade. Journal of Psychosomatic Obstetrics & Gynecology, 15 (3): páginas 125-131.
    • Miller, LJ (2002). Depressão pós-parto. JAMA, 287 (6): páginas 762-765.
    • Stewart, DE; Vigod, SN (2019). Depressão pós-parto: fisiopatologia, tratamento e terapia emergente. Annual Journal of Medicine, 70 (1): páginas 183 – 196.

    Deixe um comentário