Como um psicólogo ajuda você a tomar decisões importantes na vida?

Nós, humanos, temos um dom muito valioso: a capacidade de fazer estimativas de longo prazo do que vai acontecer, ou o que pode acontecer se certas circunstâncias ocorrerem.

Podemos fazer previsões com base em nossa capacidade imaginativa, na qual combinamos informações sobre o passado e o presente para fazer projeções sobre o futuro. E isso, claro, é uma grande parte do que nos permitiu ser uma espécie com tanta capacidade de adaptação a diversos ambientes ao redor do planeta, bem como estabelecer sociedades muito complexas baseadas na confiança e no consenso.


No entanto, com essa habilidade vem uma série de responsabilidades que muitas vezes colocam muita pressão sobre nós. Somos confrontados com a necessidade de tomar decisões importantes que determinará como nossas vidas serão nos próximos meses ou mesmo anos.

Isto é, à medida que nossa mente projeta o futuro, mesmo que não o façamos de propósito, temos de lidar com as implicações emocionais de tomar decisões sobre cada um dos importantes dilemas com os quais nos deparamos. E às vezes essas decisões são tão grandes que nos sentimos emocionalmente sobrecarregados. Felizmente A partir da psicologia, foram desenvolvidas estratégias para lidar adequadamente com esse tipo de experiência tão complicado.

    É assim que os psicólogos apoiam importantes tomadas de decisão

    Muitas pessoas vão ao psicólogo sem perceber que desenvolveram psicopatologia, simplesmente para “limpar a mente” diante de um grande dilema, ou vários deles. Exemplos relativamente comuns são: duvidar se deve ou não deixar o trabalho, decidir terminar um relacionamento ou continuar oferecendo oportunidades, chegar a um conluio sobre ficar com a família ou mudar para outro país ou outra cidade, etc. .

    Diante de tais dilemas, no entanto, Psicólogos não dão conselhos sobre qual opção escolher (não é nosso trabalho, e a decisão deve ser tomada inteiramente pela pessoa), disponibilizamos recursos para lidar com a decisão da forma mais construtiva e psicologicamente saudável, sem hesitação e sem deixar o “decidir em outro momento”. adia a pergunta indefinidamente.

    Então… Por meio de que processo o psicólogo ajuda aqueles que precisam tomar uma decisão importante? Vamos ver.

    1. Apoia o processo de autoconhecimento

    Na primeira etapa do processo, é necessário que a pessoa tenha plena consciência de seus valores, as ideias e os fundamentos éticos sobre os quais assenta a sua forma de encarar a vida. Dessa forma, sua decisão será o que a pessoa acha aceitável, o que define o bom comportamento, com o que ela se sente confortável.

    Para fazer isso, a pessoa é treinada em certas técnicas de introspecção que a ajudam a analisar e ordenar suas idéias e as crenças a partir das quais interpreta a realidade.

      2. Ajuda a detectar pontos fortes e fracos

      Uma parte um pouco mais técnica de conhecer a si mesmo é estar ciente de seus próprios pontos fortes e fracos. Esse permitirá que você descubra os riscos e oportunidades que envolvem as diferentes opções que a pessoa tem que escolher.

      3. Treine em técnicas de gerenciamento de ansiedade

      Saber tomar decisões importantes não significa bloquear completamente o desconforto causado pela ansiedade e pelo estresse. Temos que assumir que sentiremos algum desconforto apenas por lidar com um alto grau de incerteza. Portanto, na psicoterapia, ele se treina no uso de técnicas de gerenciamento de ansiedade, para evitar que paralisa a pessoa.

        4. Ensine técnicas de gerenciamento de tempo para progredir

        É importante definir metas específicas no processo de tomada de decisão final. Reunir informações, verificar o status de nossas habilidades que precisaríamos usar no caso de escolher uma das opções, etc. Para fazer isso, psicólogos ensinam maneiras de segmentar padrões de comportamento com referências temporais claras início e fim.

          5. Ajuda a detectar pensamentos de auto-sabotagem

          Por fim, esse tipo de apoio psicoterapêutico também ajuda as pessoas a identificar e prever o surgimento de pensamentos armadilha de autossabotagem, que são aqueles que surgem em nossa consciência de forma inesperada e servem de desculpa para cair no curto prazo fácil (o que geralmente é prejudicial em médio e longo prazo). Geralmente esses pensamentos Eles nos trazem de volta à nossa zona de conforto e corroem tanto nossa auto-estima que não ousamos arriscar e mostrar a nós mesmos do que somos capazes.

            Tem interesse em ter assistência psicológica profissional?

            Se procura serviços de psicologia para enfrentar os desafios do quotidiano ou para iniciar um projeto emocionalmente exigente no campo pessoal ou profissional, convido-o a contactar-me.

            Meu nome é Tomás Santa Cecília, sou psicóloga e trabalho a partir das estratégias e técnicas do modelo de intervenção cognitivo-comportamental aplicado a adultos, adolescentes e equipes empresariais. Você pode contar com meus serviços pessoalmente ou online via videochamada.

            Referências bibliográficas

            • Associação Psiquiátrica Americana (2013). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (5ª ed.). Arlington, VA: Publicação Psiquiátrica Americana.
            • Naqvi, N.; Shiv, B.; OnlineBéchara, A. (2006). O papel da emoção na tomada de decisão: uma perspectiva da neurociência cognitiva. Direções atuais em ciências psicológicas. 15 (5): 260-264.
            • Phillips, AC; Carroll, D.; Der, G. (2015). Eventos de vida negativos e sintomas de depressão e ansiedade: causa do estresse e/ou geração de estresse. Ansiedade, estresse e enfrentamento. 28 (4): pág. 357 – 371.

            Deixe um comentário