Como melhorar o controle da impulsividade por meio de hábitos

Um dos aspectos mais importantes do trabalho de um psicólogo é ser capaz de encontrar generalidades nos problemas das pessoas que atendemos.

Em outras palavras, muito do nosso trabalho se concentra nas experiências do dia a dia que lhes causam desconforto e na identificação de padrões de comportamento que explicam vários de uma vez; a predisposição psicológica que faz com que a pessoa tropece repetidamente na mesma pedra.


Por exemplo, ao longo de décadas de pesquisa, sabemos que muitos dos problemas enfrentados por quem vai à psicoterapia se devem ao mau controle dos impulsos, um padrão de comportamento que pode levar a várias formas de desconforto: vícios, tendência a morder. gerenciamento de raiva, etc. Portanto, neste artigo veremos dicas para aumentar seu controle de impulsividade com hábitos simples para aplicar no dia a dia.

    Dicas para melhorar o controle da impulsividade por meio de hábitos

    Aplique esses hábitos em sua vida diária para fortalecer seu autocontrole e manter a impulsividade sob controle.

    1. Mantenha seu próprio registro de comportamentos automáticos

    Primeiro, é preciso estar atento ao problema que se quer resolver introduza novos hábitos em sua vida. Para fazer isso, você precisa adquirir o hábito de analisar seu próprio comportamento em busca de comportamentos problemáticos relacionados ao controle insuficiente dos impulsos; Quando perceber que algo assim está acontecendo com você, anote em um caderno que você sempre carrega consigo tudo sobre o que ouviu, pensou e fez antes e depois de realizar o comportamento problemático.

    O objetivo desse hábito é começar a reconhecer as semelhanças em todas as ocasiões em que o impulso “assumir” seu comportamento, o que o ajudará a desacelerar no futuro.

    2. Adote hábitos que reduzem seus níveis de ansiedade

    Muitas vezes, as questões de autocontrole são alimentadas por intensa ansiedade, a sensação de ser oprimido pelos desafios que nos rodeiam. Por isso, como medida preventiva, é importante que você introduza no seu dia a dia hábitos que visem evitar a exposição à ansiedade acumulada.

    Para iniciar, certifique-se de dormir bemPorque algo tão simples como não dormir o suficiente vai enfraquecê-lo muito mentalmente e predispô-lo a se deixar levar por seus velhos hábitos, que incluem voltar aos seus erros habituais continuamente.

    Além disso, evite beber café além da primeira hora após acordar, e fazer exercícios aeróbicos moderados ser capaz de acompanhar o estresse produzido por suas responsabilidades, suas preocupações, etc.

    3. Defina objetivos específicos

    Gradualmente, você se vê estabelecendo metas de curto prazo muito específicas (dias ou uma ou duas semanas à vista) que têm a ver com avançar na direção na qual deseja mudar seu comportamento. Por aqui você vai melhorar sua habilidade de controlar impulsos e ao mesmo tempo ter uma visão clara de seus sucessos, Desde que você não tenha definido seus objetivos de uma forma ambígua e fácil de interpretar muito complacente.

    Quando você falhar, adote uma mentalidade construtiva, anote seus erros e tente novamente o desafio que você ainda não superou.

    4. Detecta sentimentos de antecipação

    Agora que você tem a experiência de sentir os estados psicológicos que precedem a expressão dos impulsos que você precisa controlar, é mais fácil contê-los antes que seja tarde demais. Quando você percebe que esses pensamentos, emoções ou imagens mentais surgem em sua consciência, concentre-se em realizar uma tarefa que seja incompatível com o comportamento que você deseja evitar.

    5. Retransmitir incentivos

    Recompense-se pelo progresso que fizer, se possível, sem sempre ter que contar com recompensas materiais. Por exemplo, quando você atinge metas por uma semana inteira, pode ir a um restaurante de sua preferência e, em outros momentos, pode se dar um incentivo de natureza mais simbólica ou contextual, como pendurar algo na parede. peça que representa o seu progresso.

    Você está procurando ajuda profissional?

    Em alguns casos, não é suficiente tentar mudar seus hábitos e torna-se necessário chamar um psicólogo profissional.

    Em situações como essa, a intervenção psicológica consiste em passar por um programa de “treinamento” no qual o psicólogo dá as chaves teóricas e práticas para progredir e fazer melhorias, permanecendo sempre pontual.

    Em pouco tempo é possível alcançar resultados surpreendentes, e os benefícios desses avanços são muito visíveis em diferentes aspectos da vida.

    Referências bibliográficas:

    • Carr, JE e Chong, IM (2005). Tratamento da reversão do hábito de tique: uma crítica metodológica da literatura. Behavior Modification, 29 (6), páginas 858-875.
    • Christenson, GA, Crow, SJ (1996). Caracterização e tratamento da tricotilomania. The Journal of Clinical Psychiatry. 57 (8): páginas 42 a 47
    • Rhéaume, J.; Freeston, MH; Dugas, MJ; Letarte, H.; Ladouceur, R. (1995). Perfeccionismo, responsabilidade e sintomas obsessivo-compulsivos. Behavioral research and therapy 33 (7): páginas 785 a 794.

    Deixe um comentário