Como a terapia do autoconhecimento ajuda

Costumamos dar como certo que nos conhecemos bem. No entanto, a verdade é que muitas pessoas vivem sem realmente se conhecer. Eles são verdadeiros estranhos para si mesmos. Eles podem saber qual é o seu sabor ou cor favorita, mas não são capazes de elucidar sua principal fraqueza ou seus medos mais profundos. E é que, mesmo que não gostemos de admitir, a realidade é que não sabemos mais do que sabemos sobre nós mesmos.

Você sabe de onde vem o seu medo de altura ou escuridão? Você sabe quais são seus talentos? Você já pensou sobre o que realmente te causa ansiedade? Muitos de nós não seriam capazes de responder a essas perguntas com verdade. Conhecer uns aos outros é muito mais complicado do que você imagina. Como disse Saint-Exupéry: “Você vai se julgar. Esta é a parte mais difícil. É muito mais difícil julgar a si mesmo do que julgar os outros. Se você pode se julgar bem, é porque você é um verdadeiro sábio.”


No entanto, se queremos resolver nossos conflitos, superar nossas barreiras internas e crescer como indivíduos, devemos fazer uma jornada dentro de nós mesmos. Uma jornada de autoconhecimento que nos permite descobrir quem realmente somos ou o que queremos para nossa vidae nos ajude a nos aceitar plenamente com nossas luzes e sombras.

    Autoconhecimento, a arte de conhecer a si mesmo

    Muitos de nós passamos grande parte de nossas vidas no piloto automático. Tomamos nossas decisões sob o radar de nossa consciência sem questionar o que estamos pensando ou sentindo em um determinado momento. Isso ajuda a simplificar a vida cotidiana e economiza uma enorme quantidade de energia. O problema surge quando Estamos no piloto automático há tanto tempo que nem percebemos nossos comportamentos, pensamentos e emoções.. Então perdemos o controle dele; eles começam a nos controlar.

    No entanto, poderíamos evitar isso se pudéssemos olhar um para o outro de vez em quando. O autoconhecimento não é apenas vital para melhor compreender a si mesmo, para ver por que se age de determinada maneira ou por que se sente uma emoção e não outra, mas Permite-nos tomar melhores decisões e focar nos objetivos que nos ajudarão a construir a vida que queremos.. Basicamente nos ajuda a parar de viver de forma reativa e começar a viver de forma proativa.

    E nessa jornada de introspecção ao longo da vida, aprendemos a nos aceitar como somos e a abraçar nossas forças e aquelas sombras que não gostamos tanto, mas que também fazem parte de nós. Aprendemos a assumir o controle de nossas vidas e a assumir a responsabilidade por nosso bem-estar e felicidade, percebendo que, embora não possamos escolher as circunstâncias, podemos decidir como responder a elas. Então, paramos de desperdiçar energia preciosa em coisas que não podemos mudar e nos concentramos nas coisas que realmente fazem a diferença.

    Conhecer a nós mesmos também nos permite tomar consciência de hábitos negativos ou ambientes tóxicos que nos prejudicam e descobrir as habilidades que precisamos desenvolver para nos tornarmos as pessoas que queremos ser. Quando temos um conhecimento profundo de nós mesmos, aprendemos a viver com propósito e intenção e a dar sentido à nossa existência. Dessa forma, podemos discernir o essencial do supérfluo e ter clareza sobre nossos valores para seguir o caminho que escolhemos.

    Certo o caminho para o autoconhecimento é único. Cada pessoa vivencia essa jornada de descoberta interior de uma maneira diferente. No entanto, não importa como você o experimente, ao longo do caminho você pode precisar de diferentes ferramentas psicológicas para cavar mais fundo, descobrir seu “eu” mais profundo e começar a curar suas feridas. Nesse sentido, a terapia psicológica pode se tornar uma excelente aliada para guiá-lo ao longo do caminho e fornecer os recursos adequados.

      5 maneiras como a terapia ajuda você a se conhecer

      O autoconhecimento é um dos temas mais importantes em nossas vidas. Por isso, muitas sessões de psicoterapia são dedicadas a promover a introspecção e o autoconhecimento. Um passo essencial no qual você não apenas poderá se conhecer e se aceitar, mas também poderá crescer como pessoa, porque poderá analisar suas fraquezas, reconhecer seus pontos fortes e desenvolver sua autoconfiança. Nesse sentido, a terapia lhe dará as ferramentas para alcançar o seguinte.

      1. Torne-se consciente de suas emoções

      Todos nós sentimos emoções, mas nem sempre somos capazes de reconhecê-las e nomeá-las com precisão. Dessa forma, podemos acabar vivendo em uma montanha-russa emocional que, mais cedo ou mais tarde, causará desequilíbrios. A boa notícia é que com as ferramentas que a terapia lhe dá, você poderá tomar consciência de suas emoções e entender como eles influenciam seus pensamentos e comportamentosbem como a influência que suas idéias e comportamentos têm em seus estados emocionais.

      Você também aprenderá a prestar atenção e interpretar as reações físicas que geram essas emoções, desde a desagradável sensação de ter um nó na garganta até aquelas cócegas no estômago, pressão no peito ou sensação de calor galopante. E, após este trabalho de introspecção, você poderá começar a entender por que sente essas emoções e não outras, e qual é a causa que as provoca, o primeiro passo para aprender a gerenciá-las melhor.

        2. Reflita sobre seus pensamentos

        Somos o que pensamos. Nossos pensamentos têm mais poder sobre nós do que imaginamos. Eles podem nos dar a motivação que precisamos para agir e alcançar nossos sonhos ou, inversamente, nos fazer pensar que não somos bons o suficiente para tentar. O pior é que muitas vezes nem temos consciência desses pensamentos, que em alguns casos nos acompanham há décadas.

        Nesses casos, ter ferramentas de introspecção pode ajudá-lo a refletir sobre seus pensamentos e descobrir as barreiras internas que o impedem de crescer. Além disso, isso o ajudará a detectar de onde eles vêm, por que se afundaram tão profundamente em você e como influenciam sua estabilidade mental. Dessa forma, você pode começar a trabalhar para eliminá-los e incluir ideias mais positivas.

          3. Identifique suas crenças e estereótipos

          Todos nós nos deixamos levar por crenças e estereótipos em nossas vidas cotidianas. Poucos segundos depois de conhecer alguém, mesmo sem dizer uma palavra, já temos uma teoria sobre quem eles são. Isto pode pavimentar o caminho quando estamos em território desconhecido, mas também pode se tornar um freio ao nosso desenvolvimento..

          Afinal, esse acúmulo de crenças e ideias irracionais acaba por orientar nossas decisões e comportamentos.

          Felizmente, quando você tem os recursos certos para a terapia, é capaz de detectar essas crenças e estereótipos. Você notará que muitos deles foram ensinados a você quando criança, outros foram incutidos em você pela sociedade, e haverá alguns que você mesmo moldou com base em suas experiências passadas. Aprenda a identificá-los e perceba o quanto eles são limitantes é crucial que você possa repensá-los e adotar uma perspectiva mais positiva.

            4. Repense tudo o que você considera garantido

            À medida que envelhecemos, perdemos essa curiosidade que sentíamos quando criança e paramos de fazer perguntas. Assim, também paramos de nos questionar sobre o que está acontecendo ao nosso redor e dentro de nós, e passamos a aceitar tudo passivamente. Nesse exato momento, nosso pensamento crítico desliga e começamos a viver no piloto automático. Contudo, quando começamos a terapia e começamos a nos redescobrir, redescobrimos aquela curiosidade perdida.

            Assim, você começará a se fazer novas perguntas, e suas possibilidades, antes muito limitadas, se tornarão quase infinito. Você se tornará uma pessoa mais livre e criativa porque finalmente entenderá que, mesmo que sempre tenha feito algo de uma maneira, isso não significa que seja a única maneira possível. Essas perguntas serão um sinal de que você está começando a quebrar os limites e olhar as coisas de uma perspectiva diferente.

              5. Esclareça seus objetivos e prioridades

              Todos nós temos prioridades e objetivos na vida, mas é importante tê-los claros ou corremos o risco de nos desviar deles todas as vezes. ventos de mudança. Ou pior, deixar que outros decidam por nós e determinem o que fazer com nossas vidas. Sempre haverá alguém para nos dizer o que fazer e como fazer.

              No entanto, quando você tem as ferramentas certas para a terapia e começa a olhar para dentro de si mesmo, você é capaz de determinar o que realmente quer fazer e suas prioridades tomarão forma. Este é o primeiro passo para recuperar o controle de sua vida e assumir a responsabilidade por suas decisões.

              Viajar dentro de si é talvez uma das jornadas mais difíceis que o aguardam na vida, mas à medida que você descobre esse “eu” dentro de você, muitas coisas começarão a acontecer, farão sentido e você se sentirá cada vez mais motivado. . O primeiro passo é começar a resolver todos os seus conflitos e se transformar na pessoa que você quer ser.

              Deixe um comentário