As 10 regras essenciais para liberar a carga emocional

Carga emocional, como se livrar das cargas emocionais? Existe uma maneira de reduzir a carga emocional, o estresse e os pensamentos intrusivos?

Durante nossa vida, experimentamos sentimentos prejudiciais que permanecem latentes em nossa memória vital. A consequência é um fardo de ressentimento, tristeza, medo e conflito, mas podemos fazer algo sobre nossa higiene emocional?


Como se livrar da carga emocional

A seguir, oferecemos a você o decálogo de dez técnicas para eliminar essas cargas emocionais. O lastro emocional precisa ser esclarecido antes de seguirmos em frente.

1. Concentre-se em pensamentos positivos e controle os pensamentos negativos

A ansiedade é alimentada por pensamentos negativos, pois eles geram uma quantidade enorme de desconforto. Bem o oposto dos pontos positivos. Para que com afirmações positivas possamos trocar pensamentos com a ferramenta da linguagem, ou seja, se repetir para si mesmo: “Eu consigo”, “Eu me amo”, “Eu valho” não é suficiente , essas palavras devem ser acreditadas e internalizadas para que tenham efeito.

Portanto, você tem que reforçar o que deseja atrair e sua mente o levará de mãos dadas para o reino emocional e você poderá alcançá-lo.

2. Construir metas

Temos a tendência de priorizar demais nossas necessidades diárias imediatas, o que nos distrai do que pensamos e sentimos diariamente. Não podemos prever o futuro, mas podemos temos a possibilidade de gerenciar os objetivos assim, a partir de pequenos desafios ao nosso alcance, ganhamos confiança.

3. Atitude se refere ao humor

Você se lembra daquele dia em que tudo mudou? ou, ao contrário, você já se levantou com o pé direito e tudo parece girar em um perfeito e delicioso sincronismo? A diferença é a atitude que enfrentamos todos os dias. Vemos o mundo a partir de nosso estado interior: quanto mais otimistas somos para interpretar o que está acontecendo conosco, melhor nossa autoestima – melhor nossa autoestima e nossa melhor adaptação ao meio ambiente.

Portanto, uma atitude positiva depende de um boa autoestima

  • Recomendamos nosso artigo “10 segredos para aumentar sua auto-estima em 30 dias”

4. Vontade e ação

Vontade é nossa capacidade de decidir se devemos ou não realizar uma ação. Para ter uma boa predisposição para a ação voluntária, é preciso ser receptivo, priorizar os passos a seguir e visualizar o objetivo de forma positiva. Portanto, a vontade deve ser a faísca que nos leva à ação.

5. Zona de aprendizagem e zona de conforto

Muitas vezes impomos um zona de conforto onde nos sentimos seguros. Mas essa área pode levar ao medo do desconhecido e pode nos mergulhar em um isolamento vital. Para viver plenamente, devemos explorar novos horizontes, perder o medo de seguir em frente, acessando novos mundos que nos oferecem uma nova sabedoria e maturidade pessoal.

Quando decidimos nos deixar surpreender pela vida, sem medo dos redemoinhos, acessamos o que se denomina “zona de aprendizagem”.

6. Quer, pode e merece

É importante ficar claro, é fundamental entender que o que realmente nos define não são as opiniões positivas ou críticas a que somos expostos por outros, mas a avaliação que fazemos de nós mesmos., Ou seja: a autoestima. , a confiança que temos em nossas possibilidades.

7. Autoconfiança: foco no bem-estar

Para alcançar uma progressão correta de autoconfiança, é recomendável que nos conheçamos e nossos potenciais para que possamos focalizá-los. Precisamos cuidar de nós mesmos e ser autossuficientes emocionalmente, com atitude de considerar nossos limites e autocriticar quando necessário.

Também é essencial passar algum tempo todos os dias para relaxar e apostar no senso de humor.

8. Vire a página sem esquecer

Não devemos esquecer, mas superar. Precisamos fugir de todas essas perdas, relacionamentos, decepções, desconfortos, medos, relacionamentos e feridas sentimentais. A dor é um daqueles momentos ruins, mas é preciso lidar com o sofrimento. Tentar esquecer as lembranças ruins só funcionará contra você.

É preciso admitir um episódio ruim para poder sair aos poucos. Desta maneira, é importante conhecer uma chamada habilidade resiliência.

9. Comentários: como adaptá-los

A diferença entre crítica construtiva e crítica negativa (ou destrutiva) é a intenção, as palavras usadas e a maneira como as dizem. Mas não importa o quão destrutiva uma revisão possa ser, o receptor não se importa. ele não vai experimentar isso como um crime. Portanto, quando fazemos uma crítica, devemos estar atentos e enfatizar a estima, também o respeito, de buscar a oportunidade do momento e sempre dar àquele que é levantado a possibilidade de responder, de respeitar a lei.

Esse ponto é fundamental para que possamos relaxar envolvimento emocional durante o dia.

10. Comunicação

Finalmente, e como base do equilíbrio pessoal de nossas emoções, temos comunicação. Saber comunicar-se e entender-se é vital para nos entendermos. A qualidade da comunicação pode determinar se você tem uma vida agitada ou uma série de conflitos.

Nós recomendamos leve vários pontos em consideração para que a comunicação seja eficaz:

  • Tenha a atitude certa

  • Concentre-se em um tópico específico

  • Escute com atenção

  • Expresse-se de forma clara e direta

  • Diga o que pensamos e sentimos

  • Aceite a opinião da outra pessoa

  • Não tome nada como garantido

  • Seja consistente com o que dizemos e expressamos com linguagem não verbal

Deixe um comentário