7 rotinas e hábitos para superar mais facilmente o estresse pós-traumático

O transtorno de estresse pós-traumático é um transtorno que ocorre após uma experiência traumática, entendido como um evento que gera choque emocional grave, como exposição à morte real, perigo de vida ou violência sexual.

Dado o comprometimento da funcionalidade e o desconforto causado por esse transtorno, será necessário receber tratamento psicológico profissional e, se necessário, psiquiátrico. Mas além do tratamento psicológico, podem ser estabelecidos hábitos que nos ajudam a recuperar melhor e mais rápido.


Neste artigo veremos quais hábitos podemos usar para ajudar a superar o transtorno de estresse pós-traumático mais facilmente.

    O que é transtorno de estresse pós-traumático?

    O transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) é definido como um transtorno mental que aparece antes da ocorrência de um trauma, um evento aversivo incomum. A quinta edição do Manual de Diagnóstico da American Psychiatric Association (DSM 5) afirma que esta condição é devido à exposição a morte real ou com risco de vida, lesão grave ou violência sexual, diretamente, como testemunha, estando ciente dos eventos que aconteceram a alguém próximo ou experiente repetidamente ou ser exposto a detalhes aversivos de um evento traumático, como ser equipe médica de ambulância.

    Diante do evento traumático vivenciado, o sujeito apresenta diferentes sintomas que definem os critérios para TEPT, como reviver o evento durante o sono ou através de memórias intrusivas ou reações dissociativas em que o sujeito acredita estar revivendo o evento; há também uma evitação de pensamentos e estímulos externos (lugares, pessoas…) que podem recordar o trauma, e aparecem cognições, afetos negativos e hiperexcitação. Lembrando-se do evento traumático, a pessoa fica irritada, assustada e tem dificuldade para dormir e se concentrar.

    Além dos sintomas já citados, para fazer o diagnóstico, eles devem estar presentes há mais de um mês e causar deterioração ou desconforto no sujeito.

      Hábitos que podem ajudar a superar o estresse pós-traumático

      Quando o estresse pós-traumático é considerado um transtorno, será necessário tratamento psicológico para chegar a uma correta superação do problema. A par da intervenção profissional, podemos e devemos estabelecer hábitos e rotinas que nos ajudem a melhorar a nossa situação.

      Agora que sabemos quais são os sintomas característicos do TEPT, vejamos quais comportamentos podem nos ajudar em nossa recuperação, complementando os cuidados terapêuticos.

      1. Pratique o relaxamento

      O treinamento e o uso de técnicas de relaxamento são comuns na terapia desse transtorno. Também podemos usar essas técnicas fora de consulta em nossa vida cotidiana.para reduzir o estresse e pensamentos ou memórias negativas.

      Podemos usar estratégias de respiração onde usamos o diafragma ou o abdômen para reduzir o risco de hiperventilação. Isso envolve puxar lentamente o ar pelo nariz enquanto conto até três, observando como meu abdômen incha, pausando e liberando ar lentamente enquanto conto até três, tentaremos expirar (expelir) mais do que inspirar (agarrar).

        2. Mantenha contato social

        As pessoas são seres sociais e, portanto, precisamos de contato com os outros para nos sentirmos bem e sermos bons. Além disso, mesmo que você não queira ver ninguém, é importante manter contato com seus entes queridos e arredores imediatos, pois eles podem apoiá-lo durante a situação difícil e o processo de recuperação. Pode ser bom conversar com eles e expressar como você se sente, além de se sentir protegido, também vai te ajudar a organizar seus pensamentos e ter mais consciência de como você é ou apenas a presença deles vai te ajudar a não se sentir sozinho. .

          3. Faça atividades que você goste

          Da mesma forma que não podemos nos isolar socialmente, não é bom ficar dentro de casa, então, pouco a pouco, tente fazer atividades que você goste, que o distraiam e o ajudem a melhorar seu estado cognitivo. não virar repetidamente pensamentos negativosporque a ativação ajuda a melhorar nosso humor.

          Comece com atividades mais simples, que levem menos tempo e façam você se sentir mais seguro e, aos poucos, introduza atividades mais complexas ou demoradas, faça isso gradualmente.

          4. Tente reduzir situações de alto estresse

          Seu estado de ativação e atribuição coloca você em risco, pode piorar sua condição diante de qualquer estímulo externo, no mínimo. Portanto, será aconselhável não se forçar e fazer as atividades com as quais você acha que pode lidar, para evitar situações que possam estressá-lo. Na medida do possível, tente controlar ou ficar longe de problemas familiares ou financeiros que afetem sua condição ou controle as horas que você passa no trabalho e, em caso de sobrecarga, peça licença.

          5. Siga uma rotina saudável

          O controle externo permite que você tenha mais controle e seja melhor internamente. É importante estabelecer hábitos saudáveis ​​que beneficiem nossa rápida recuperação, por isso procure comer alimentos variados e em diferentes horários do dia, estabeleça uma rotina para ir dormir e acordar para que seu corpo se acostume e reduza problemas de sono. você pode ter, praticar esportes e tentar se exercitar pelo menos três vezes para isso, esta prática ajuda a liberar endorfinas que nos fazem sentir melhor e também nos ajuda a limpar nossas mentes e reduzir nossas preocupações por um tempo.

          Do mesmo jeito eliminando hábitos não saudáveis, como beber álcool com frequência para escapar ou ficar na cama o dia todo sem fazer nada.

            6. Mantenha-se ativo

            Para que a terapia psicológica tenha bons resultados, é fundamental que nos mostremos colaborar com o terapeuta e com as técnicas e tratamentos que ele propõe. Sob recomendação do profissional apresenta as estratégias que você treina na terapia, como exposição. Essa técnica é uma das mais eficazes no tratamento do estresse pós-traumático, e funcionará para que o paciente possa ser exposto às situações e estímulos temidos ou até mesmo pensamentos que lhe causam desconforto, como evitar determinados locais e interações apenas compostas o problema.

            Introduza aos poucos atividades, lugares, pessoas… que te incomodam, para poder enfrentar e superar a situação.

            7. Dedique tempo

            É importante cuidar de si mesmo, porque ninguém pode saber melhor do que nós como somos ou somos. Pode ajudá-lo a escrever seus pensamentos, suas emoções, suas experiências… Para organizar sua mente. Usar essa técnica também pode facilitar a sua expressão e a liberação do que quer que esteja carregando dentro de si, pois essa será a única maneira de se curar.

            Além disso, como apontamos anteriormente, tente fazer atividades que você goste que ajudem a reduzir o estresse e a se desconectar, como caminhar ou ir à piscina. Atividades relaxantes, como ioga, meditação ou até mesmo ouvir música, também podem ajudar.

            Procura apoio psicológico profissional?

            Se estiver interessado em ter serviços na área da psicologia, contacte-nos. UMA Psicoconsulta Atendemos adultos e idosos presencial e online.

            Referências bibliográficas

            • Barbado, JA e Fernández, M. (2020) Um guia para a resiliência diante do estresse causado pela pandemia de Covid-19: recursos para profissionais de saúde. Centro de Psiquiatria e Psicologia do MIMAPA.
            • Instituto Nacional de Saúde Mental (2020) Transtorno de estresse pós-traumático. NIH.
            • Sanz, LJ (2018) Manual de Preparação do CEDE PIR: Clinical Psychology Vol.1. CEDE: 5ª Edição.

            Deixe um comentário