10 razões para ir para a psicoterapia

A vida tem seus altos e baixos e enquanto em muitos casos somos capazes de resolver os problemas por conta própria, em outros precisamos de uma ajudinha para seguir em frente, porque senão vamos sofrer e sofrer até o fim do dia. ‘Esse é o problema que é causar-nos dano vai embora, se assim for. Nestes casos, ir ao psicólogo é o mais indicado.

Mas embora seja recomendado ir ao psicólogo caso você esteja sofrendo de um problema emocional, isso não significa que tenhamos que esperar que um evento estressante ou uma grande mudança de vida aconteça para nós para ir ao psicólogo. É melhor prevenir do que remediar, por isso devemos ir ao psicólogo, mesmo que não acreditemos que algo de ruim está acontecendo conosco.


Muitas coisas em nossa vida diária são leves hoje, mas podem ser sérias amanhã. Abaixo iremos descobrir os principais motivos para ir à psicoterapia, de diferentes gravidades e urgências.

    Razões para ir à psicoterapia

    Ir ao psicólogo não é nada constrangedor ou sinônimo de psicopatologia grave. Muitas pessoas recorrem aos profissionais de saúde mental para retomar o controle de suas vidas, crescer nelas e se conhecerem.

    A psicoterapia não consiste em sentar-se em uma poltrona (ou divã de cinema) conversando longamente com o psicólogo para que ele nos dê “conselhos”. Não, o que o psicólogo não faz é isso, mas aplicar técnicas comprovadas cientificamente e nos ensinar estratégias para poder melhorar nossas vidas.

    Outras pessoas parecem saber o que faz um psicólogo e respeitá-lo como profissional, mas não acham necessário falar com uma pessoa perfeitamente “bem-intencionada”. Por acreditar que muitos dos problemas do dia a dia são resolvidos por conta própria ou com pouco esforço, muitas pessoas consideram uma despesa desnecessária ir a um psicólogo para saber o que fazer. Como acham que têm uma ideia da solução, a maioria das pessoas considera essa etapa excessiva.

    Contudo, investir na nossa saúde mental não é um gasto desnecessário, mas sim uma medida preventiva. Muitas vezes, um problema emocional que originalmente era perfeitamente controlável evolui, se cristaliza e se torna crônico, tornando-se um verdadeiro transtorno mental, um transtorno que poderia ter sido evitado se a vítima tivesse feito psicoterapia. Pode acontecer também que não seja um transtorno mental que surja, mas sim um problema do parceiro, da família, do trabalho ou do estudo que, não sabendo como tratá-lo, agora explode na pessoa com toda a sua face.

    Diante de tudo isso e com o intuito de motivar o leitor a ir ao psicólogo e assim melhorar sua vida ou pelo menos evitar que ela piore, veremos a seguir vários motivos para ir à psicoterapia, que é como se não houvesse e um problema sério que limita nossas vidas.

    1. Saudável superando um duelo

    A morte é uma parte inevitável da vida e todos nós já sofremos a morte de um ente querido, ou a vivenciaremos no futuro. Embora isso seja uma coisa normal e tenhamos que aceitá-lo, também é um evento com o qual não é fácil lidar, especialmente se o luto se deve à perda de um ente querido e sua morte foi … muito repentina.

    O luto faz parte da vida, o luto patológico não é. Às vezes não sabemos como lidar com isso, ficamos presos e passamos meses e meses nos sentindo muito desconfortáveis ​​quando nosso ente querido vai embora. É como se estivéssemos mortos vivos.

    Por isso, para o evitar, é uma boa ideia recorrer à psicoterapia. Podemos acabar superando o duelo sozinhos, mas nunca é demais ter certeza de que realmente superamos isso com as melhores estratégias psicológicas possíveis.

    2. Use grandes mudanças vitais

    A vida é cheia de altos e baixos e mesmo nos picos você pode ser bastante estressante. Por exemplo, ser mãe, mudar-se para uma nova cidade, começar uma carreira universitária ou começar um novo e bom emprego são eventos felizes, mas também causam incerteza e medo.

    Para ter certeza de que tudo está indo bem, consultar um psicólogo sobre essas grandes mudanças na vida é uma das melhores opções. Isso nos ajudará a lidar com o estresse, medos e desconfortos que podem surgir no caminho para o nosso sucesso., Faça-nos enfrentar nossos desafios vitais da maneira mais eficaz possível.

    3. Use emoções perturbadoras

    As pessoas experimentam emoções positivas e negativas, todas com funções adaptativas se se manifestarem em níveis eutímicos. Contudo, embora sejam perfeitamente normais e distantes da psicopatologia, existem emoções negativas que podem nos oprimir..

    Não precisam ser grandes emoções negativas, como infelicidade momentânea ou transtorno grave. As pressões cotidianas como o trabalho, a família ou a situação política e econômica global são pequenos incômodos que, quando acumulados, acabam causando estragos.

    Não vamos deixar isso acontecer! Ir ao psicólogo ajudará a identificar essas pressões e aprender a canalizar o estresse que ele produz para liberá-lo em atividades produtivas e satisfatórias.

      4. Superar os medos e limitar os medos

      Muitas pessoas podem nem perceber, mas elas realmente têm fobias e medos e medos de todos os tipos. Eles podem não ser tão clinicamente graves quanto aqueles normalmente diagnosticados, pois isso permite que eles levem uma vida diária relativamente normal, mas no final das contas. são problemas que, se piorarem, limitarão a pessoa afetada.

      Essas fobias podem ser em relação a um objeto ou animal, e também podem ser em relação a situações catastróficas implausíveis que, embora haja pouca chance de que ocorram, não sairão da nossa mente.

      Seja enfrentando algo ou enfrentando uma situação, a psicoterapia pode nos ajudar a superar um medo e ousar experimentar coisas novas ou realizar atividades nas quais o objeto fóbico estava.

        5. Recupere a motivação

        Existem pessoas que simplesmente perdem a motivação. Não, eles não estão deprimidos, mas é como se de repente perdessem o interesse pelos hobbies que os ocupavam e, se fossem negligenciados, caminham passo a passo em direção a um transtorno de humor. Isso pode acontecer com todos nós e, felizmente, tem uma solução.

        O psicólogo pode nos ajudar a recuperar a motivação, detectando qual é o problema subjacente que nos faz sentir assim e buscando estratégias para lidar com ele. É verdade que pode não ser uma coisa muito séria, mas não há dúvida de que o que nos preocupa está interferindo em nossas vidas e, a longo prazo, será muito prejudicial.

        6. Evite e supere vícios

        Sem eufemismos ou meios-tons: o uso de drogas não é justificável. Nem álcool, nem tabaco, e muito menos cocaína ou maconha, têm uso justificado. Muitas pessoas estão cientes disso, mas continuam a tomá-los ou estão completamente protegidas do consumo.

        Algumas situações da vida podem ser tão extremas emocionalmente que, apesar de estarmos cientes de sua gravidade, acabamos usando drogas para lidar com o desconforto que a situação nos está causando. Mas o que está acontecendo aqui não é que eliminemos o problema que nos incomoda, mas que o encobrimos com algum hábito maluco.

        A psicoterapia nos ajuda a evitar o uso de substâncias e recaídas porque nos fornece estratégias eficazes contra os problemas que podem surgir para nós, sejam graves ou menores, mas todos administráveis ​​de uma forma ou de outra.

          7. Melhorar nosso relacionamento

          Muitos casais dizem que são felizes, mas quando se trata da verdade há muitos problemas de coexistência que deixam os dois amantes insatisfeitos com a direção que o relação.

          Os relacionamentos exigem muito cuidado e trabalho árduo, o que nem sempre fazemos. Nesse caso, a psicoterapia pode ajudar os dois membros do casal a aprender estratégias de comunicação eficazes, tornar-se mais assertivos no relacionamento ou mostrar de forma mais explícita o quanto se amam. Também podem ser adquiridas ferramentas para resolver os pequenos atritos da coexistência de uma maneira pacífica e funcional.

          8. Quer dormir melhor

          Muitas pessoas têm problemas para dormir e não têm certeza do motivo. Eles experimentaram pílulas para dormir, reduziram a cafeína, iriam para a cama mais cedo todos os dias … e nada, absolutamente nada, eles conseguiram.

          Às vezes nosso espírito é muito bom. Ao deitar, ele começa a se tornar inteligente e a se lembrar de coisas que nos mantêm acordados. Este “rum-rum” mantém-nos acordados e, embora tenhamos tentado todas as opções anteriores, não conseguimos dormir. Também pode acontecer que estejamos tão estressados ​​que nem percebemos como estamos tensos na cama.

          Embora haja poucos casos em que tentar essas estratégias não funcione para eles, deve-se dizer que uma das maneiras de descobrir o que realmente está acontecendo é consultar um psicólogo. Ele saberá se a insônia é realmente devido a um problema psicológico ou por outra causa.

          9. Elimine doenças do corpo

          Freqüentemente, problemas emocionais se manifestam como dor por todo o corpo. Temos dor de cabeça, temos dores de estômago, temos cólicas, temos tonturas … sensações incômodas que aparentemente não têm explicação médica.

          Talvez sejam realmente manifestações de um alto nível de estresse que, embora não entendamos a importância, continua sendo um problema. Se não fizermos nada, essas doenças psicossomáticas vão piorar, o que pode levar a problemas como doenças gastrointestinais ou enxaquecas constantes.

          10. Nada do que testamos funcionou

          Finalmente, uma das razões para entrar em psicoterapia é que, embora aparentemente controlável, descobrimos problemas que não podíamos controlar. Tudo o que tentamos falhou. Não são questões que colocam em risco nossa vida ou integridade física ou mental, mas são irritantes e começam a diminuir nossa auto-estima e desejo.

          Talvez tentemos ter sucesso em nossos estudos e fracassemos em tudo, ou no trabalho nos tornemos fatais, embora façamos o nosso melhor para ser pontuais na entrega de relatórios. Mesmo que tentemos estar de bom humor, mais cedo ou mais tarde discutimos com nossa família.

          De qualquer forma, todas essas situações são exemplos de sinais de alerta para recorrer a um psicólogo, pois realmente pode haver um problema com controle da raiva, desmotivação generalizada, sintomas de depressão silenciosa e ‘outras condições psicológicas que, se não forem controladas, podem destruir a vida .

          Referências bibliográficas:

          • American Psychiatric Association. (2013). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Quinta edição. DSM-V. Masson, Barcelona.
          • Muñoz, AM e Novos, MM (2012). Motivos da consulta e hipóteses clínicas explicativas. Terapia psicológica, 30 (1).

          Deixe um comentário