Os 7 pilares da terapia de casais

Você já se perguntou como funciona a terapia de casal? Ou seja, o que explica porque fazem o que fazem os psicólogos especializados nesta especialidade.

Tão bom; A terapia de casal não é simplesmente uma técnica que, aplicada aos relacionamentos românticos, os fixa sempre de acordo com a mesma fórmula mágica. Em todo caso, trata-se de uma espécie de intervenção psicológica (ou seja, realizada por profissionais da psicologia) em que diferentes ferramentas e métodos são utilizados para atender às necessidades de uma dada relação, levando em consideração suas peculiaridades.


Isso significa que a terapia de casal se caracteriza pela sua pluralidade, pela heterogeneidade de suas propostas e de suas abordagens do problema a ser tratado. Portanto, essa tarefa dos especialistas em relacionamentos amorosos não pode se resumir em uma única ação ou fórmula para fortalecer o vínculo afetivo entre duas pessoas. Em outras palavras, existem muitos pilares na terapia de casais que explicam como funciona. Vamos ver o que são.

    Os Pilares da Terapia de Casais: Idéias-chave para fortalecer o relacionamento

    Estas são as idéias-chave que o ajudam a entender o que é terapia de casal e por que ela pode ser de grande ajuda para aqueles que decidem assistir a essas sessões com um psicólogo ou psicólogo.

    1. A comunicação é a base de tudo

    Qualquer relacionamento requer um fluxo constante de comunicação. Ou seja, o diálogo deve fazer parte do cotidiano de duas pessoas que formam um casal.

    No entanto, é isso uma condição necessária, mas insuficiente em si mesma para que o vínculo de amor seja forte; essa característica pode ocorrer e, ao mesmo tempo, as discussões fazem com que o relacionamento se torne mal, por exemplo.

    2. O contato físico é crucial, além do sexo

    Os relacionamentos devem permitir momentos de contato físico e alguma intimidade. Esses momentos, além das vivências agradáveis, eles fornecem proximidade emocional: A sensação de que com essa pessoa, você pode agir de uma forma diferente, de se expressar de uma forma que não nos expressamos com mais ninguém.

    Além disso, esse contato físico não precisa ser sexual em todos os casos: há pessoas que não sentem esses desejos e impulsos, e não lhes é problema se estiverem com outra pessoa compatível com sua assexualidade.

    3. Encontrar interesses e hobbies comuns é uma vantagem

    A ideia de que no amor os pólos opostos são atraídos é um mito. Embora sempre haja exceções, é normal que os relacionamentos mais fortes e bem-sucedidos se desenvolvam entre pessoas que têm muito em comum. É por isso que um dos pilares da terapia de casais é criar situações em que ambos encontrem interesses comuns, O que lhes permite viver muitos momentos estimulantes juntos.

    4. As discussões não devem ser evitadas

    Outro pilar da terapia de casal é que não é necessário evitar discussões, porque se estamos pensando em fazê-lo, é porque um conflito já surgiu (grande ou pequeno que está girando em nossas cabeças …).

    O que fazer com as discussões, em qualquer caso, é gerenciá-los bem e tomá-los como uma coisa natural em qualquer relacionamento entre pessoas que passam muito tempo juntas. Assim, não se tornarão apenas um ritual, uma forma de entreter-atacar a outra, pois assumir que as conversas são uma anomalia leva a turvar seu verdadeiro propósito e acabar por utilizá-las para tudo.

      5. Leva tempo juntos

      Relacionamentos românticos não existem fora de nossas condições de vida. Um casamento em que os dois trabalham muito e voltam para casa tarde da noite dificilmente encontrará tempo para compartilhar, e isso esgota a saúde desse vínculo emocional. Devemos encontrar novos modos de vida e fazê-lo de forma coordenada e consensual.

      6. É normal querer viver além do casal

      Um relacionamento é um compromisso que engloba muitas responsabilidades, sacrifícios e planos, mas é errado supor que a vida de cada um de seus membros tenha que se reduzir a isso. Portanto, na terapia de casais, você trabalha para que todos esclareçam quais são as diferentes maneiras pelas quais desejam se envolver no relacionamento, E a que horas e situações prefere reservar para si.

      7. É importante aprender a não prejulgar

      O amor é um fenômeno psicológico intenso porque nos incentiva a nos perdermos no que estamos sentindo em cada momento que compartilhamos com a outra pessoa. Contudo, você também deve saber como adotar uma perspectiva distante e o mais neutra possível para avaliar por que a outra pessoa está se comportando da maneira que está e por que estamos nos comportando dessa maneira.

      Se não o conseguirmos, corremos o risco de sermos constantemente preconceituosos, dedicando mais os nossos esforços a fazer julgamentos sobre a moralidade do outro do que a procurar soluções eficazes.

      Onde procurar ajuda profissional?

      Se você tem interesse em fazer terapia de casal para melhorar o estado de seu relacionamento amoroso ou conjugal, ou para se dar uma segunda chance depois de passar por uma crise romântica e desencadear o rompimento, pode contar com a ajuda de um profissional. Aconselhamento psicológico para acordar.

      A nossa equipa de psicólogos altamente qualificados está presente tanto em Madrid Capital como em várias localidades do CAM: Leganés, Getafe e Móstoles. Para ver nossos detalhes de contato, clique aqui.

      Referências bibliográficas:

      • Christensen A., Atkins DC, Baucom B., Yi J. (2010). “Estado civil e satisfação cinco anos após um ensaio clínico randomizado que compara a terapia comportamental tradicional de casais com integração.” Jornal de Consultoria e Psicologia Clínica. 78 (2): pág. 225 – 235.
      • O’Donohue, W. e Ferguson, KE (2006). Prática baseada em evidências em psicologia e análise do comportamento. O analista do comportamento hoje.

      Deixe um comentário