Os 5 motivos mais frequentes de consulta em terapia de casal

Uma das buscas mais intensas do ser humano é a busca de um parceiro. Esse desafio, por mais bem-intencionado que seja, às vezes surge do caos e não da paz e do prazer de compartilhar a vida com outra pessoa.

O maior erro está no conceito inicial da pesquisa, quando pensamos a partir da ilusão, mas não da realidade que um casal implica. Isso também pode ser constatado através dos motivos mais frequentes de consulta em terapia de casais.

Quais são as 5 razões mais frequentes para consultar um casal?

Essa motivos que mais frequentemente levam o casal a consultar são:

  • Infidelidade, ciúme, desconfiança.
  • Sexualidade, insatisfação, fantasias.

  • Comunicação, reclamações, reclamações.
  • Economia
  • Famílias reunidas

Esses motivos levam à conexão emocional com certas situações de caos e crise que, se não resolvidas a tempo, podem se agravar e se desenvolver excessivamente.

1. Infidelidade

Este é um tema que é amplamente ouvido, gerando desconfiança, controle e graves crises no relacionamento.

Às vezes, quando isso acontece, há casais que podem trabalhar com isso e elaborar o que aconteceu e crescer com a situação, outras vezes, quando essa situação acontece, desencadeia tanta confusão emocional nos dois que termina em uma separação.

2. Sexualidade

Em alguns casais, o sexo é afetado devido a certos fatores sintomas ocultos, dando origem a problemas de sexualidade; É muito comum observar turbulências emocionais não resolvidas que se manifestam durante encontros íntimos, como; ansiedades, ansiedades, abuso, abandono, etc.

3. Comunicações

É um fator importante para o casal trabalhar; quando falha, ouve-se no vínculo das exigências, das queixas e da raiva resoluta.

A inexistência de diálogo e a ausência de comunicação assertiva entre os membros de uma relação é um obstáculo na hora de registrar a fala de quem tenta expressá-la.

4. Economia

Outra questão de influência no relacionamento efetivo é o dinheiro, pois muitos casais com padrões primários diferentes não conseguem se organizar e fazer novos acordos sobre essa questão. Assim aparecem as crises mais intensas que deixem o amor em segundo plano, tornando-se protagonistas do julgamento que, em vários casos, conduz a situações jurídicas.

5. Famílias combinadas

Os vínculos passam por um processo de adaptação na união, tendo que aprender a conviver com os filhos que acompanham a pessoa escolhida.

Como construir um casal de luz e não de sombra?

Embora esses tópicos sejam os mais comuns no momento da consulta, existem outros que podem estar relacionados.

É importante pensar que um vínculo afetivo como um casal se estabelece várias vezes à sombra de cada um dos membros, com os modelos da família primária que estabeleceram uma estrutura psíquica para cada membro. A partir deste lugar será necessário rever a história de vida de cada um para se curar como indivíduo pare de projetar no casal o que é dele.

Ao nascer, o ser passa pela “ferida da separação” com a mãe com o corte do cordão umbilical, deixando um espaço confortável e seguro para começar a sentir o mundo que o espera. Nesse desapego, as deficiências e falhas que começarão a ser significativas começam a procurar fora o que existia em seu mundinho.

Este é o início de alguns problemas relacionados a essas deficiências: sentimentos de desproteção, medos, inseguranças, vazio, necessidade de ser cuidado e protegido… Esses sentimentos, em primeiro lugar, serão um pedido aos pais. , e mais tarde na vida adulta, se não for revisto e resolvido, será projetada no casal.

A projeção como mecanismo de defesa será depositada no sujeito escolhido como parceiro; é equivalente a escolher entre esta falha que não foi sanada. Ali, são geradas reclamações, repreensões, controles e pedidos de mudança com o outro para se sentir bem consigo mesmo, para tentar suprir essa necessidade, aqui um dos principais conflitos do relacionamento amoroso.

Essa busca e essa escolha são feitas a partir de um lugar inconsciente.do desconhecido, das sombras e quando se geram esgotamento e conflito, é a crise que se expõe, surgindo as separações e as buscas subsequentes para que o ciclo recomece em outros rostos e cenários iguais, com a mesma menina/ou ferida o ponto

Ele é procurado na vida de vínculo para cobrir o orfanato emocional que o acompanha desde o nascimento, estando justamente no lugar errado, pois tal ferida só pode ser curada com um trabalho muito profundo e adequado, entendendo que poder compartilhar a vida com outra pessoa, há, antes de mais nada, poder aprender a estar só, aprender a mergulhar para descobrir o que e quem vive neste interior desconhecido.

Os relacionamentos mostram aquelas coisas que não são vistas em cada um, daí o conceito de projeção, tenho nojo e raiva de coisas no outro que não consigo ver em mim, sendo mais fácil de encontrar com meu parceiro.

Os casais serão as extensões da família primária por semelhança ou diferença, sendo os pais ou treinadores os primeiros modelos a visualizar.

Acho…

O que o deixa com raiva em um relacionamento apontará para questões não resolvidas dentro de você que precisam ser revisadas, trabalhadas para serem curadas.

Quando duas pessoas se reúnem depois de se curarem, o caminho será simplesmente maravilhoso.

Deixe um comentário