Meu parceiro não quer minha família – possíveis causas e o que fazer

Quantas vezes você pensa neste pensamento: “meu parceiro não quer minha família”? Você se sente em constante guerra entre sua família e seu parceiro? Não se desespere, neste artigo trazemos algumas idéias-chave para melhorar o relacionamento entre seu parceiro e sua família.

Antes, porém, discutiremos três possíveis circunstâncias (ou causas) que podem surgir ao lado dessa situação e que podem ajudá-lo a entender melhor o porquê de tudo.


    “Meu parceiro não quer minha família”: circunstâncias possíveis

    Pense nisso, “meu parceiro não quer minha família”, mas você simplesmente não entende o porquê. Existem tantas causas (ou circunstâncias) que poderiam explicar issoMas aqui estão alguns exemplos bastante comuns que podem ocorrer no seu caso.

    Então, por que meu parceiro não quer minha família? Que circunstâncias podem ser acompanhadas pela situação pela qual você está passando? Vamos ver alguns:

    1. Sua família não ama seu parceiro

    Uma das possíveis circunstâncias em que seu parceiro não gosta de sua família é que sua família também não gosta de seu parceiro.

    Isso, é claro, muitas vezes é percebido, e pode acontecer que seu parceiro perceba que sua família não gosta dele, o que, por sua vez, causa isso. uma pequena distância entre as duas partes, Ou mesmo o surgimento de conflitos. Em outras palavras, pode não haver sentimentos entre sua família e seu parceiro, e essa “antipatia” é mútua.

    2. Eles não têm nada em comum

    Outra possível circunstância em torno do problema é que ele sua família e seu parceiro não têm nada em comum.

    Isso pode tornar seu parceiro preguiçoso para comparecer a eventos familiares, ou você pode não sentir simpatia direta por ele porque ele nunca se conectou de forma alguma. Assim, a falta de interesses comuns pode levar a uma situação como a que estamos propondo.

    3. Para sua família, seu parceiro é insuficiente

    Também pode acontecer que sua família pense que seu parceiro não é o suficiente para você (bom o suficiente, inteligente, rico, o que for). Em outras palavras, deixe-os pensar que você merece algo “melhor”.

    Os casais acabam percebendo isso, o que pode fazer com que o seu parceiro também não sinta simpatia pela sua família e diretamente “não queira”, pois esses pensamentos sobre ela logicamente a fazem se sentir mal (Sentir-se, por sua vez, “pequeno” pelo seu filho).

    4. Seu parceiro sente que sua família está muito envolvida

    Existem famílias políticas mais “invasivas” do que outras no reino emocional de seus entes queridos; em outras palavras, quer dizer, pais que estão muito envolvidos nos relacionamentos de seus filhos, E outros que lhes dão mais liberdade, mais liberdade de caminho.

    No primeiro caso, pode acontecer que seu parceiro se sinta oprimido pela interferência de sua família no relacionamento, e que esse transbordamento seja a causa de não querer estar com a família (ou diretamente “não querer”).

      Como a situação pode ser melhorada?

      Se você constantemente tem esse sentimento ou pensa que seu parceiro simplesmente não gosta de sua família, pode ser hora de considerar algumas mudanças em sua vida e comece a trabalhar para mudar a situação.

      Deve ficar claro, porém, que por isso é essencial que você e seu parceiro queiram realmente mudar essa situação e melhorar o relacionamento dele com sua família. Em outras palavras, deve haver motivação real e interesse real. Sem esse primeiro passo, é impossível mudar nada.

      Vamos dividir esta seção em duas: na primeira falaremos sobre diretrizes ou ideias-chave que seu parceiro pode implementar para melhorar o relacionamento com sua família (que geralmente são seus pais), e na segunda, diretrizes ou ideias-chave que você pode colocar em prática.

      1. Orientações para o casal

      Ao se deparar com o pensamento de que seu parceiro não quer sua família, você também deve considerar o seguinte: Como você pode não ajudar a mudar a situação? (Além de você). Sempre no caso de ela querer, e que esse caminho também seja voltado para a melhoria do seu relacionamento, caso tenha sido afetado pela situação. Aqui estão algumas diretrizes:

      1.1. Fale com a familia

      Uma primeira ideia é que seu parceiro fale diretamente com a família. Ele pode simplesmente abordá-la lentamente, para descobrir se há um problema ou conflito subjacente do qual ela não está ciente, ou perguntar diretamente a ela.

      Dependendo das circunstâncias e da confiança, você pode perguntar sobre esses problemas ou perguntar diretamente se eles têm algum problema com este. Também pode ser uma boa oportunidade para abordar posturas, ter empatia com a outra parte, ouvir um ao outro, entender, classificar asperezas, etc.

      1.2. Organizem uma atividade juntos

      Outra ideia é que o seu parceiro, ou ambos (com você) organizem uma atividade ou evento para compartilhar o tempo juntos. O ideal seria desenvolvê-lo em um ambiente aconchegante, agradável e descontraído, para que não ocorram conflitos e as coisas possam ser discutidas com absoluta naturalidade.

      2. Diretrizes para si mesmo

      Se você deseja ser o único a assumir o controle e agir, aqui estão algumas dicas que podem ajudar:

      2.1. Fale com o seu parceiro

      O primeiro passo que você pode dar é falar diretamente com seu parceiro sobre a situação; sobre como você se sente, o que pensa sobre isso, como isso afeta você, como ela vivencia isso, etc. Procure um bom momento para fazê-lo e para poder compartilhar sentimentos, pensamentos ou crenças sobre a situação atual.

      É certo que seu parceiro também deve “desabafar” e expressar suas preocupações e necessidades a esse respeito.

      2.2. Fale com a familia

      Além de falar com seu parceiro também pode ser importante que você converse com sua família, E deixe-os expressar o que você pensa sobre esta situação. Eles se sentem desconfortáveis ​​com seu parceiro? Eles não gostam? Eles acham que seu parceiro os rejeita? Como eles vivem isso?

      Estas são apenas algumas perguntas que você pode fazer à sua família, direta ou indiretamente. O objetivo é que sua família entenda que eles, você e seu parceiro são importantes e que você não quer que o relacionamento com eles interfira no seu relacionamento ou na dinâmica familiar.

      Escolha entre família ou parceiro?

      Uma coisa é sentir “meu companheiro não quer minha família”, e a outra, que vai muito além, é ter que escolher entre seu companheiro ou sua família. Se não foi levantado por nenhuma das partes, você não precisa aumentá-lo, pelo menos a priori.

      Idealmente, você pode manter os dois relacionamentos e um não deve ser incompatível com o outro.. Em última análise, somos humanos e as pessoas, falando, se entendem. No entanto, se as coisas estão ficando muito feias ou se há muita tensão entre seu parceiro e sua família (e você já tentou de tudo), este pode ser um bom momento para pensar sobre isso.

      Você não precisa ser radical e escolher entre “uma coisa ou outra”, mas você faz. você pode elevar talvez dividir seu tempo entre as duas facetas de sua vida, Chega, e sem o seu parceiro ter muito contato com a família. Já estamos falando de casos extremos, mas às vezes eles ocorrem.

      Referências bibliográficas:

      • Albuquerque, JP (2017). Família, conflitos familiares e mediação. Editorial Ubijus. México.
      • Villaluenga, LG (2006). Mediação em conflitos familiares: uma construção do direito da família. Editorial de Reus. Madrid.

      Deixe um comentário