Como o estresse afeta os relacionamentos?

O estresse é um dos transtornos mais estudados no campo da psicologia há décadas, e é por isso que agora sabemos que ele afeta muitas áreas da vida, tanto pessoal quanto profissionalmente.

O estresse também pode desempenhar um papel muito importante nos relacionamentos, afetando decisivamente uma ampla variedade de dinâmicas de comunicação, convivência, expressão de emoções e interações em geral. Aqui está um resumo dos principais maneiras pelas quais muitos problemas de estresse afetam os relacionamentos românticos.


    Problemas Relacionados ao Estresse nos Relacionamentos

    Essas são as maneiras mais comuns pelas quais o estresse pode arruinar a vida de um casal.

    1. Incompreensão

    Uma das principais causas de estresse nos relacionamentos é a sensação de incompreensão e frustração sentida por uma das duas partes por causa de sua situação.

    Pessoas que suportam cargas muito estressantes diariamente eles podem chegar a pensar que seu parceiro não os entende ou que eles desconhecem o desconforto que estão experimentando em suas vidas diárias..

    Ao mesmo tempo, a exposição prolongada ao alto estresse, tanto pessoal quanto profissionalmente, pode fazer com que algumas pessoas levem suas queixas para o outro membro do casal.

      2. Discussões habituais

      A exposição a altos níveis de estresse geralmente leva à irritabilidade e desconforto em um ou ambos os membros do casal, o que acaba por resultar no aumento das discussões no mesmo.

      As discussões de casal geralmente aparecem em todos os tipos de situações cotidianas de pouca importância aparente, especialmente aquelas relacionadas à coabitação ou à comunicação diária.

        3. Sentimentos de culpa

        Outro fenômeno comum que ocorre ao lidar com situações estressantes em um relacionamento é o surgimento de sentimentos de culpa por parte da pessoa que está sofrendo.

        Este sentimento de culpa muitas vezes é experimentado não ser capaz de desfrutar plenamente do relacionamento, e também se sentir responsável para que a outra pessoa possa se sentir completamente confortável nessa situação.

          4. Passe menos tempo no relacionamento

          Estilos de vida estressantes em que há uma grande variedade de demandas de trabalho muitas vezes levam a uma má gestão do tempo devido à ansiedade e sobrecarga de “frentes” para lidar ao mesmo tempo que gera ao mesmo tempo. gestão de tempo ineficiente, levando a um mau equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

          As pessoas que passam cada vez menos tempo com seu parceiro por causa do estresse internalizam uma perspectiva de curto prazo da realidade e preferem gastar seu tempo prosperando no trabalho em vez de investi-lo em seu parceiro.

            5. Disfunções sexuais

            Há vários anos, profissionais da psicologia e da medicina estudam a relação entre situações estressantes e o aparecimento de diversas disfunções sexuais que podem afetar o bom funcionamento da vida íntima dos casais.

            Agora sabemos que o estresse pode causar ou precipitar o aparecimento de problemas como disfunção erétil, vaginismo, ejaculação precoce e diminuição do apetite sexual tanto em homens como em mulheres.

              6. Disputas familiares

              Como indicado, o estresse é um dos maiores geradores de discussão que existe tanto no casal quanto em outras esferas da vida cotidiana.

              É por isso que também pode ser comum ter discussões cada vez mais frequentes tanto com a família mais próxima com quem convivemos diariamente quanto com parentes distantes com os quais nos relacionamos pouco ao longo da vida. . O desconforto que ocorre quando uma pessoa não se dá bem com seus sogros pode nos levam à situação de “ficar do lado de alguém”, que desgasta psicologicamente e indiretamente prejudica o próprio relacionamento.

                7. Inseguranças pessoais

                O estresse muitas vezes causa uma série de inseguranças em um ou ambos os membros do casal que também estão ligadas a baixa autoestima, crença de que não somos bons o suficiente para a outra pessoa ou medo de que ela nos deixe.

                Esse sentimento de insegurança geralmente aparece principalmente em jovens devido à falta de experiência em relacionamentos amorosos.

                O que fazer?

                A melhor maneira de lidar com esse tipo de problema, tanto o estresse excessivo quanto as complicações da vida conjugal, é ir para psicoterapia, seja para sessões individualizadas ou para um programa de terapia de casal.

                Portanto, se você achar que essas complicações emocionais estão afetando sua qualidade de vida ou colocando sua corte ou casamento em uma posição vulnerável, convido você a entrar em contato comigo. Sou psicóloga especialista em problemas emocionais e crises de casal.

                Referências bibliográficas

                • Biscotti, O. (2006). Terapia de casal: uma visão sistêmica. Buenos Aires: Lúmen.
                • Borgarello, eu; Losardo, RJ (2021). Prevenção de Estresse e Burnout em Cuidados de Saúde: O Link para a Qualidade dos Cuidados de Saúde e Segurança do Paciente. Revista da Associação Médica Argentina 134 (2): pp. 4-8.
                • Christensen, A.; Atkins, DC; Yi, J.; Baucom, DH e George, WH (2006). Ajuste de casal e individual por 2 anos após um ensaio clínico randomizado comparando terapia de casal tradicional versus comportamental. Revista de consulta clínica e psicologia. 74 (6): pág. 1180-1191.
                • Hüther, G. (2012). Biologia do medo. Estresse e emoções. Barcelona: plataforma editorial.

                Deixe um comentário