Como enfrentar o medo do casamento, em 5 dicas

O medo do casamento é mais comum do que parece, E seus efeitos prejudiciais na qualidade de vida de quem sofre disso podem ser sentidos por anos.

Neste artigo, veremos várias dicas sobre como lidar com o medo do casamento e não permitir que ele adicione uma dose de ansiedade à sua vida.


    Medo do casamento: o que fazer?

    Preocupações e nervos antes do casamento são muito comuns, mas são sempre fenômenos que têm mais a ver com o próprio ritual e a celebração daquele momento especial. Contudo, além desses episódios de leve desconfortoHá quem não tenha medo do dia do casamento em si, mas da vida de casado, fase da vida que começa a partir deste momento.

    Antes de abordar o problema da ansiedade na experiência do medo do casamento, no entanto, deve ficar claro que esse fenômeno não precisa ser algo que ocorre isoladamente em cada indivíduo: a influência social é importante e muito.

    Até certo ponto, o medo do casamento pode ser baseado na pressão social. Ninguém escapa do fato de que ainda hoje existe uma forte “inércia” que nos leva a supor que o casamento faz parte de uma vida normalmente desenvolvida, de forma que pessoas de certa idade que não fazem essa ligação são casos estranhos, às vezes até mesmo a causa de desprezo ou ridículo.

    Assim, o medo do casamento pode ser resultado do desconforto de se sentir “predestinado” a passar pelo altar mesmo que não haja vontade real de casar ou de viver uma vida de casado. Portanto, antes de considerar se o medo do casamento é em si o problema, devemos prestar atenção ao contexto em que vivemosPara descobrir se o que nos faz sentir mal tem a ver com as expectativas que os outros depositam sobre nós.

    Posto isto, e considerando que este é um medo verdadeiramente pessoal e não baseado em pressões do nosso círculo social, podemos agora passar ao aconselhamento.

    1. Se você não tem um parceiro …

    Tem gente que tem medo do casamento mesmo que não tenha companheiro. Nesses casos, o que geralmente acontece é que é a influência do resto que nos faz supor que chegará o dia em que precisaremos nos engajar. O que acontece é que essa influência não precisa ser muito óbvia, e pode até vir não de pessoas específicas (amigos, familiares, vizinhos …) mas pela influência da cultura em que vivemos imersos.

    Lembre-se, se você não tem um parceiro, não faz sentido ter medo do casamento. Na prática, precisamos nos adaptar o máximo possível às situações pelas quais estamos realmente passando, e não àquelas imaginárias ou hipotéticas. Seja qual for a sua situação, o medo do casamento só vai lhe dar uma preocupação extra de que você simplesmente não deveria estar aqui.

      2. Não presuma que vai dar errado novamente

      Existem muitas emoções em jogo no reino do amor, e isso torna relativamente fácil ter experiências psicologicamente dolorosas. Como resultado, há pessoas que desenvolvem medo de compromissos emocionais, e o medo do casamento é o exemplo mais claro desse tipo de vínculo em que duas pessoas se comprometem a cuidar uma da outra.

      Nesses casos, é bom mudar essas crenças porque elas criam desconforto por um lado e não nos tornam mais realistas por outro. Este último é assim porque a história de amor de alguém nunca é tão longa como ter uma amostra representativa que nos permite conhecer “o povo” em geral. Cada pessoa é um mundo e, se é verdade que existem regularidades psicológicas, não se pode saber pelo simples fato de já ter tido uma dúzia de casais.

      3. Examine as condições materiais

      É possível que as circunstâncias tenham aproximado a ideia de casamento que você não se sente capaz de seguir em frente para este tipo de vida. Mas parte dessa preocupação pode vir do fato de que o despreparo não é psicológico, mas material.

      Se não tem estabilidade financeira que lhe permita começar a vida de casado com segurança, deve primeiro abordar as questões que têm a ver com as suas condições de vida, evidentemente em diálogo constante com o seu parceiro.

      4. Analise se este é um grande salto qualitativo

      Embora se casar tenha um significado simbólico e legal, não deveria ser uma grande mudança na definição do tipo de compormiso emocional que o une ao seu parceiro. O ideal é casar-se quando já experimenta um nível de intimidade e compromisso semelhante ao das pessoas casadas. Caso contrário, o medo de que algo esteja errado pode fazer com que você se sinta estressado simplesmente por causa da incerteza.

      5. Adote novas formas de engajamento

      Finalmente, você precisa considerar a possibilidade de que, se você está sentindo medo do casamento, é devido ao fato de que não tem preparação suficiente para viver como um casal continuamente. Nesse caso, leve a sério a tarefa de aprender os hábitos que a vida em comum exige.

      Deixe um comentário